Cientistas trazem à tona explicação por que chovem diamantes em Netuno

WikiImages / Pixabay

Uma equipe de cientistas teorizou que diamantes podem se formar através de metano em planetas como Netuno e Urano, que possuem temperaturas maiores que as esperadas em seus centros.

As profundezas dos planetas mais afastados do Sol, Netuno e Urano, podem estar produzindo diamantes, adiantam cientistas do Centro de Aceleração Linear de Stanford (SLAC, na sigla em inglês), Califórnia, EUA.

Apesar do frio existente nas atmosferas dos dois planetas, uma teoria é que o calor e a pressão intensos milhares de quilômetros abaixo da superfície destes gigantes de gelo deveriam dividir os compostos de hidrocarbonetos, com o carbono se comprimindo em diamante e afundando ainda mais em direção aos núcleos planetários.

Os pesquisadores utilizaram a Fonte de Luz Coerente Linac (LCLS, na sigla em inglês) da instituição para medir o processo. Uma outra equipe de cientistas na Alemanha decidiu então prosseguir as pesquisas.

“Agora temos uma nova abordagem muito promissora baseada na dispersão de raios X”, disse o físico Dominik Kraus do Helmholtz-Zentrum Dresden-Rossendorf, um laboratório na Alemanha, sobre seu trabalho.

Segundo dados da NASA, os gigantes gelados são extremamente comuns na Via Láctea, cerca de 10 vezes mais comuns que os exoplanetas semelhantes a Júpiter, o que significa que a pesquisa realizada sobre planetas como Urano e Netuno é importante na hora de procurar planetas na nossa galáxia.

Estudo dos planetas

A atmosfera de Netuno e Urano é composta principalmente por hidrogênio e hélio, com uma pequena quantidade de metano. Abaixo destas camadas atmosféricas, um fluido muito quente e superdenso de materiais “gelados” como água, metano e amoníaco envolve o núcleo do planeta.

Anteriores experimentos e cálculos ao longo das décadas mostraram que o metano pode ser decomposto em diamantes com pressão e temperatura suficientes, sugerindo que é possível que estejam sendo produzidos no planeta.

Para estudar isso é necessário aquecer e pressurizar o material através do laser até uma temperatura de 4.727 graus Celsius. Os cientistas têm notado que o interior de Netuno emite 2,6 vezes mais energia do que absorve do Sol, o que poderia ser por causa da energia gravitacional lançada pelos diamantes, que se converte em calor gerado pelo atrito entre os diamantes e o material ao seu redor.

Esta técnica poderia então ajudar a entender os processos que ocorrem dentro de outros planetas.

“Nossas experiências estão fornecendo parâmetros importantes de modelos, onde antes só tínhamos uma incerteza massiva. Isto se tornará cada vez mais relevante quanto mais exoplanetas descobrirmos”, comenta Klaus.

“Por exemplo, poderemos ver como o hidrogênio e o hélio, elementos encontrados no interior de gigantes gasosos como Júpiter e Saturno, se misturam e separam sob estas condições extremas. É uma nova maneira de estudar a história evolutiva dos planetas e sistemas planetários, bem como apoiar experiências em direção a potenciais formas futuras de energia de fusão”, conclui.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China diz que encontrou traços de coronavírus em frango brasileiro

Carga de asas de frango que chegou a Shenzhen, no sul do país asiático, foi confiscada. Funcionários da alfândega que entraram em contato com alimentos foram testados, mas exames deram negativo. Traços do novo coronavírus foram …

Vacinação em SP começa em janeiro, segundo diretor do Butantan

Com a pandemia, inúmeras empresas estão dedicadas ao desenvolvimento de uma vacina que possa ajudar na luta contra a COVID-19. Nesta quarta-feira (12), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, afirmou que o estado …

Descoberto "Stonehenge de madeira" de 4.500 anos em Portugal

A estrutura de madeira achada é a "única na pré-história da Península Ibérica", explicou o arqueólogo que lidera as escavações. Durante uma escavação no sítio arqueológico de Perdigões, arqueólogos descobriram uma estrutura para fins cerimoniais de …

Coronavírus reaparece na "protegida" Nova Zelândia e gera alerta

A detecção de quatro casos de transmissão local do novo coronavírus, depois de mais de 100 dias sem o vírus, levou as autoridades da Nova Zelândia a restaurar a quarentena em Auckland, cidade mais populosa …

Viagem aos anos 90: Airbnb abrirá reservas para pernoites na última Blockbuster

Quem viveu o boom das locadoras nos anos 90 sabe que ir até uma Blockbuster ou redes semelhantes de VHS e DVDs era um verdadeiro programa de final de semana: a experiência de assistir a …

Joe Biden escolhe Kamala Harris como candidata a vice

Senadora eleita pela Califórnia pode se tornar a primeira mulher vice-presidente dos Estados Unidos, caso chapa democrata derrote Donald Trump em eleição de novembro. O candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira …

Bilionários do Vale do Silício apostam em bunkers para vencer fim do mundo

Esqueça a vida no espaço: bilionários do Vale do Silício estão se preparando para o apocalipse comprando bunkers. A parte mais abastada da população mundial tem se mostrado interessada em adquirir “buracos na terra” equipados para …

Presidente russo Vladimir Putin anuncia registro de 1ª vacina contra COVID-19

Nesta terça-feira (11), o presidente Vladimir Putin anunciou o registro da primeira vacina russa contra a COVID-19. "Tanto quanto sei, nesta manhã foi registrada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra a COVID-19", disse o …

O planeta anão Ceres é um Oceano, afirmam cientistas

O planeta anão Ceres — há muito considerado uma estéril rocha espacial — é um mundo oceânico com reservatórios de água marinha sob sua superfície, descobriu uma grande missão de exploração que divulgou seus resultados …

Líder da oposição de Belarus deixa o país

Ministro da Lituânia afirma que Svetlana Tikhanovskaya "está em segurança” no país vizinho. Regime de Alexander Lukansheko, no poder desde 1994, vem reprimindo protestos que acusam governo de fraudar eleições. O ministro das Relações Exteriores da …