Dançar nas ruas, a aposta das chinesas para lidar com a passagem do tempo

Dançar contra a passagem do tempo, essa é a fórmula preferida por milhões de chinesas, que saem diariamente às ruas para se exercitar ao som de músicas e se manterem saudáveis, apesar dos obstáculos da idade.

Às 19h em ponto começa a música para quem decide se exercitar quando o sol se põe. Praças, parques, calçadas largas ou os vãos entre edifícios em uma comunidade, qualquer lugar é válido.

A afluência de pessoas é tanta que este grupo tem um nome próprio, “as damas”, mulheres mais velhas, geralmente aposentadas ou donas de casa, que fazem das ruas a sua academia e também seu ponto de encontro para socializar e se desligar por um momento das obrigações familiares.

“Quando se fica velho as articulações ficam menos flexíveis. Os braços e as pernas mais duros e, com este tipo de exercício, você se sente melhor com o corpo”, contou à Agência EFE Dong Mei, uma aposentada de 64 anos, convencida de que este exercício também ajuda a “atrasar a demência senil”.

A popularidade das “damas” é tão grande que em algumas cidades, como Pequim, os governos locais tiveram que criar leis para restringir o volume da música, diante dos protestos dos moradores por causa do barulho.

A maioria das que saem para dançar são mulheres e estas se reúnem em grupos, dependendo dos diferentes estilos musicais e das coreografias que realizam. Geralmente são movimentos simples que se repetem em série ao ritmo das canções.

“A participação é totalmente livre, qualquer pessoa pode dançar no grupo. As que dançam bem ficam na frente e as novas um pouco atrás, e repetimos a mesma rotina todos os dias”, detalhou Dong, que costuma dançar em uma praça de Pequim.

Enquanto as redes de academias de inspiração ocidental se multiplicam, lotadas de jovens cada vez mais preocupados com seu aspecto físico, as senhoras mais velhas continuam preferindo as ruas e a dança, algo que, na opinião de Liu Peiqun, aposentada de 66 anos, poderia se perder com as próximas gerações.

Quando ela começou a dançar há três décadas, “havia muitos jovens“, mas agora, segundo destacou, “cada vez eles participam menos porque agora têm muitas outras opções, que naquela época não havia”.

Liu pratica uma disciplina conhecida como Mulan Boxing, que não é apenas uma dança, mas também “é reconhecida como um esporte”, disse orgulhosa, e que muitas mulheres escolhem porque “as ajuda a se tranquilizar e a cultivar seu coração, além do exercício do corpo”.

No final de semana passado foi realizado na cidade de Xangai um congresso sobre este esporte que completou 30 anos e que foi criado por uma mulher chamada Ying Meifeng, inspirada na ginástica.

Cerca de 20 mil mulheres de diferentes partes da China se juntaram em um centro esportivo para exibir suas coreografias ao ritmo da música tradicional chinesa, nas quais utilizam elementos como leques e espadas.

É um exercício tranquilo, não muito ruidoso, com música elegante, portanto muito poucas vezes recebemos reclamações ou acusações de barulho como acontece com outras danças”, assegurou Ying à EFE, orgulhosa de que aquilo que começou como um remédio para seu deteriorado estado de saúde hoje seja seguido por milhares de pessoas.

“Apenas em Xangai, há mais de 300 pontos de formação deste exercício, que é feito principalmente de madrugada, e em cada ponto há mais de 30 pessoas”, contou Ying, acrescentando que as mulheres que o praticam não só fazem exercício, mas também aproveitam para “fazer novas amizades”.

Sobre a possibilidade de que, no futuro, sua disciplina ou os bailes nas ruas percam força, Ying acredita que esse é um problema que tem a ver com os departamentos de educação.

“Têm que dar mais importância ao esporte e os jovens deveriam ser obrigados a fazer uma hora de exercício por dia”, sugeriu.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …

Cientistas explicam por que não se consegue parar a pandemia

Cientistas turcos descobriram que a quantidade de vírus SARS-CoV-2 no organismo de pacientes assintomáticos é mais alta do que nos que apresentam sintomas, o que diferencia radicalmente o novo coronavírus de outros patógenos e explica …

Al-Ahly venceu Liga dos Campeões da CAF

A equipa egípcia do Al-Ahly arrecadou o troféu da Liga dos Campeões da Confederação Africana de futebol pela nona vez ao derrotar o outro clube egípcio, o Zamalek, por 1-2. A final 100% egípcia decorreu no …

Monolito misterioso achado no deserto dos EUA desaparece

O misterioso monolito de metal que causou grande especulação após sua descoberta em um deserto no estado americano de Utah, nos EUA, aparentemente desapareceu, segundo funcionários locais. O escritório de administração fundiária do estado de Utah …

Parlamento iraniano assina texto que impede inspeção de centrais nucleares

A proposta é uma represália ao assassinato do cientista Mohsen Fakhrizadeh, chefe do Departamento de Pesquisa e Inovação do Ministério da Defesa, nesta sexta-feira (27). O governo iraniano responsabilizou Israel pelo crime, dizendo que …