Dentes com 9,7 milhões de anos podem mudar a história da Humanidade

carlos_lorenzo / Flickr

Lucy, uma Australopithecus Afarensis que viveu há 3 milhões de anos

Uma equipe de arqueólogos descobriu, na Alemanha, fósseis de dentes com 9,7 milhões de anos, pertencentes a um grande primata, que podem mudar o que sabemos sobre a história da Humanidade.

Estes fósseis foram encontrados no antigo leito do rio Reno, na cidade de Eppelsheim, perto de Mainz, na Alemanha ocidental. Aquilo que é surpreendente nestes dentes de um grande primata é que são, pelo menos, quatro milhões de anos mais velhos que os dos primeiros hominídeos que foram encontrados em esqueletos na Etiópia.

A descoberta coloca em causa a tese científica mais aceita de que os hominídeos, os antepassados dos humanos, deixaram a África há cerca de 120 mil anos.

Recentemente, a descoberta de fósseis de uma nova espécie, familiar de primatas e de humanos, que datam de há 7,2 milhões de anos, também anunciou a hipótese de que o berço da humanidade não foi a África, mas a Europa.

O conjunto de dentes – um primeiro molar superior direito e um canino superior esquerdo – foi encontrado em 2016, ao lado dos vestígios de um animal semelhante a um cavalo, já extinto. Mas os cientistas ficaram tão espantados com a descoberta que adiaram a publicação do estudo durante um ano, para realizarem mais exames científicos.

Natural History Museum Mainz

Dentes com 9,7 milhões de anos

“Não estávamos à espera desta tremenda descoberta”, salienta o diretor do Museu de História Natural de Mainz e líder das escavações, Herbert Lutz, em declarações ao Deutsche Welle.

A pesquisa foi, finalmente, publicada neste mês de outubro no site ResearchGate. E não há dúvidas de que estamos perante dentes de primatas, mas ninguém sabe explicar de onde este grande macaco veio.

Lutz lembra que só há descobertas comparáveis na África e que elas são “muito, muito mais novas”. O arqueólogo se refere aos primeiros hominídeos que foram encontrados em esqueletos na Etiópia, conhecidos por Lucy (Australopithecus afarensis) e Ardi (Ardipithecus ramidus).

Os dentes descobertos na Alemanha se parecem com os de Ardi e Lucy, “mas têm apenas 2, 3, 4 ou 5 milhões de anos, o de Eppelsheim tem quase 10”, frisa Lutz. “Por isso, a pergunta é: o que aconteceu?“.

Para os mais entusiasmados com a descoberta, como é o caso do prefeito de Mainz, Michael Ebling, já chegou a hora de “começar a reescrever a história da Humanidade”.

Lutz é mais cauteloso. “Novas descobertas levam a novas ideias que podem contribuir para o conhecimento sobre a nossa própria história e esta descoberta tem esse potencial, porque as grandes espécies de primatas têm uma relação com o Homo Sapiens“, aponta.

O diretor do Museu de História Natural de Mainz também explica ao DW que os fósseis, que podem assumir papel de destaque na história da Humanidade, foram encontrados em uma época em que as escavações estavam prestes a terminar, após 17 anos de pesquisas na zona.

Assim, foi “um tremendo golpe de sorte” e é, agora, “um grande mistério”, conclui o arqueólogo.

SV, Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Vacina contra covid-19: a estratégia do país que decidiu vacinar os jovens antes dos idosos

A Indonésia lançou um programa de vacinação em massa gratuito contra a covid-19 em uma tentativa de impedir a propagação do vírus e fazer sua economia voltar a se aquecer. Mas o país está adotando uma …

Com popularidade a mil, Signal vai contratar mais pessoas e otimizar recursos

Recentemente, o Canaltech noticiou que um simples tweet publicado pelo empresário Elon Musk fez com que o Signal, um mensageiro instantâneo conhecido por respeitar a privacidade de seus usuários e ser 100% em código aberto, …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Bolsonaro colocou vida de brasileiros em risco, diz Human Rights Watch

O novo relatório mundial da ONG Human Rights Watch (HRW) de 2021 acusa o presidente Jair Bolsonaro de tentar sabotar os esforços para retardar a disseminação da Covid-19 no Brasil e investir em políticas …

Novo navio insígnia da Rússia é considerado 'maior ameaça' pelo Ocidente

Com novos mísseis, modernos equipamentos a bordo e uma capacidade de combate única, o cruzador nuclear pesado do projeto 1144 Orlan, Admiral Nakhimov, deverá assumir o posto de navio insígnia da Marinha russa em 2022. O …

Biden anuncia pacote de estímulo de quase US$ 2 trilhões

Para revitalizar a maior economia do mundo em meio à pandemia, "Plano de resgate americano" apresentado pelo presidente eleito inclui auxílio a desempregados e escolas e investimento na vacinação. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe …

Coronavírus: Reino Unido proíbe entrada de viajantes vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

Chegadas ao Reino Unido da América do Sul e Portugal serão proibidas a partir de sexta-feira (15/01) devido a preocupações com a variante brasileira do coronavírus. O secretário de transportes, Grant Shapps, disse que a mudança …

Vacinação nacional contra a COVID-19 começa no dia 20, às 10h

Ao que tudo indica o Brasil já tem uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a …

"Futuro assustador de extinção em massa" nos espera, elite dos cientistas alerta

O planeta enfrenta um “futuro assustador de extinção em massa, declínio da saúde e distúrbios climáticos” que ameaçam a sobrevivência humana por causa da ignorância e da inação, de acordo com um grupo internacional de …

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …