EUA aprovam remédio pioneiro no combate ao declínio cognitivo causado pelo Alzheimer

Auntie P / Flickr

Os Estados Unidos aprovaram nesta segunda-feira (7) um medicamento chamado Aduhelm para tratar pacientes com Alzheimer. Trata-se do primeiro remédio contra a doença em quase duas décadas, e uma droga pioneira no combate ao declínio cognitivo relacionado à doença.

A tão esperada decisão da Food and Drug Administration (FDA) é polêmica, já que um painel de especialistas independentes encontrou evidências insuficientes sobre os benefícios do Aduhelm, em novembro de 2020.

“O Aduhelm é o primeiro tratamento que visa a fisiopatologia subjacente da doença de Alzheimer, com a presença de placas de beta amilóide no cérebro”, disse Patrizia Cavazzoni, representante do regulador norte-americano.

O sinal verde do regulador acontece por meio do selo da “Aprovação Rápida”, usada pelo FDA quando o regulador acredita que um medicamento pode fornecer benefícios significativos sobre os tratamentos existentes, mas ainda há incerteza entre os especialistas.

“Como costuma acontecer quando se trata de interpretar dados científicos, a comunidade de especialistas ofereceu perspectivas diferentes”, disse Cavazzoni em um comunicado, reconhecendo a polêmica.

O Aduhelm, um anticorpo monoclonal também conhecido por seu nome genérico aducanumab, foi testado duas vezes em humanos em estágio avançado de Alzheimer, procedimento conhecido como testes de fase 3. O remédio mostrou uma redução no declínio cognitivo em um paciente, mas não no outro.

Mas em todos os estudos, o Aduhelm demonstrou de forma convincente uma redução no acúmulo de uma proteína chamada beta-amilóide no tecido cerebral de pacientes com Alzheimer. Uma teoria defendida por cientistas afirma que a doença é causada por um acúmulo excessivo dessas proteínas no cérebro de algumas pessoas à medida que envelhecem, e seu sistema imunológico se deteriora.

Portanto, fornecer anticorpos a esses pacientes pode ser um meio de restaurar parte de sua capacidade de eliminar o acúmulo de placa.

Reação dos especialistas

“Em nome das pessoas afetadas pelo Alzheimer e todos os outros tipos de demência, celebramos a decisão histórica de hoje“, tuitou a Associação de Alzheimer, uma organização sem fins lucrativos dos Estados Unidos.

Os cientistas tiveram uma reação mais comedida, e declararam esperar que a aprovação do Aduhelm serva para estimular o desenvolvimento de medicamentos mais potentes no futuro.

“Embora eu esteja satisfeito com a aprovação do aducanumabe, temos que deixar claro que, na melhor das hipóteses, essa é uma droga de benefício marginal que só ajudará pacientes selecionados com muito cuidado“, disse John Hardy, professor de neurociência da universidade de Londres. “Precisaremos de drogas amilóides melhores no futuro”, acrescentou.

O último medicamento para a doença de Alzheimer foi aprovado em 2003 e todos os produtos anteriores focavam nos sintomas associados à doença, não em sua causa subjacente.

Estima-se que o Alzheimer, a forma mais comum de demência, afete 50 milhões de pessoas em todo o mundo. A doença geralmente se manifesta após os 65 anos.

Ela destrói progressivamente o tecido cerebral, atingindo a memória das pessoas, deixando-as desorientadas e às vezes incapazes de realizar as tarefas diárias. O Alzheimer também está associado a alterações de humor acentuadas e problemas de comunicação.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …