EUA aprovam remédio pioneiro no combate ao declínio cognitivo causado pelo Alzheimer

Auntie P / Flickr

Os Estados Unidos aprovaram nesta segunda-feira (7) um medicamento chamado Aduhelm para tratar pacientes com Alzheimer. Trata-se do primeiro remédio contra a doença em quase duas décadas, e uma droga pioneira no combate ao declínio cognitivo relacionado à doença.

A tão esperada decisão da Food and Drug Administration (FDA) é polêmica, já que um painel de especialistas independentes encontrou evidências insuficientes sobre os benefícios do Aduhelm, em novembro de 2020.

“O Aduhelm é o primeiro tratamento que visa a fisiopatologia subjacente da doença de Alzheimer, com a presença de placas de beta amilóide no cérebro”, disse Patrizia Cavazzoni, representante do regulador norte-americano.

O sinal verde do regulador acontece por meio do selo da “Aprovação Rápida”, usada pelo FDA quando o regulador acredita que um medicamento pode fornecer benefícios significativos sobre os tratamentos existentes, mas ainda há incerteza entre os especialistas.

“Como costuma acontecer quando se trata de interpretar dados científicos, a comunidade de especialistas ofereceu perspectivas diferentes”, disse Cavazzoni em um comunicado, reconhecendo a polêmica.

O Aduhelm, um anticorpo monoclonal também conhecido por seu nome genérico aducanumab, foi testado duas vezes em humanos em estágio avançado de Alzheimer, procedimento conhecido como testes de fase 3. O remédio mostrou uma redução no declínio cognitivo em um paciente, mas não no outro.

Mas em todos os estudos, o Aduhelm demonstrou de forma convincente uma redução no acúmulo de uma proteína chamada beta-amilóide no tecido cerebral de pacientes com Alzheimer. Uma teoria defendida por cientistas afirma que a doença é causada por um acúmulo excessivo dessas proteínas no cérebro de algumas pessoas à medida que envelhecem, e seu sistema imunológico se deteriora.

Portanto, fornecer anticorpos a esses pacientes pode ser um meio de restaurar parte de sua capacidade de eliminar o acúmulo de placa.

Reação dos especialistas

“Em nome das pessoas afetadas pelo Alzheimer e todos os outros tipos de demência, celebramos a decisão histórica de hoje“, tuitou a Associação de Alzheimer, uma organização sem fins lucrativos dos Estados Unidos.

Os cientistas tiveram uma reação mais comedida, e declararam esperar que a aprovação do Aduhelm serva para estimular o desenvolvimento de medicamentos mais potentes no futuro.

“Embora eu esteja satisfeito com a aprovação do aducanumabe, temos que deixar claro que, na melhor das hipóteses, essa é uma droga de benefício marginal que só ajudará pacientes selecionados com muito cuidado“, disse John Hardy, professor de neurociência da universidade de Londres. “Precisaremos de drogas amilóides melhores no futuro”, acrescentou.

O último medicamento para a doença de Alzheimer foi aprovado em 2003 e todos os produtos anteriores focavam nos sintomas associados à doença, não em sua causa subjacente.

Estima-se que o Alzheimer, a forma mais comum de demência, afete 50 milhões de pessoas em todo o mundo. A doença geralmente se manifesta após os 65 anos.

Ela destrói progressivamente o tecido cerebral, atingindo a memória das pessoas, deixando-as desorientadas e às vezes incapazes de realizar as tarefas diárias. O Alzheimer também está associado a alterações de humor acentuadas e problemas de comunicação.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …