Dia da Bastilha. Polícia usa gás lacrimogêneo contra manifestantes em Paris

Após desfile do 14 de julho, algumas centenas de pessoas do movimento dos “coletes amarelos” tentaram ocupar Avenida Champs Élysées. Houve detenções e confrontos com policiais.

A polícia francesa usou gás lacrimogêneo contra manifestantes que tentaram ocupar, neste domingo (14/07), a Avenida Champs Élysées, poucas horas depois do desfile de comemoração do 14 de julho no célebre bulevar parisiense.

A avenida no centro de Paris foi reaberta ao tráfego assim que o desfile terminou, mas algumas centenas de manifestantes reclamando ser dos “coletes amarelos” enfrentaram a polícia francesa no período da tarde após o desfile que contou com a presença do presidente francês, Emmanuel Macron, e diversos líderes europeus, entre eles, a chanceler federal alemã, Angela Merkel.

A televisão francesa mostrou imagens da polícia disparando gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, alguns encapuzados, que tentaram bloquear a avenida com barricadas de metal, lixeiras e outros destroços.

Escutaram-se vários estampidos. Os manifestantes arremessaram objetos contra os policiais e atearam fogo em lixeiras. Reinou certa confusão.

Os manifestantes do movimento dos “coletes amarelos” – que há meses protestam contra a política social do presidente Emmanuel Macron – decidiram não usar a sua emblemática jaqueta.

Outros militantes vestidos de preto, com os rostos escondidos sob um lenço, uma máscara ou um capuz, misturaram-se com turistas e transeuntes.

Mais cedo, uma fonte da polícia francesa afirmou que 152 pessoas foram abordadas pelos policiais, ao tentarem organizar um protesto à margem do desfile da queda da Bastilha, já antes do início dos incidentes na Avenida Champs Élysées.

Entre eles, duas figuras do movimento dos “coletes amarelos”, Jérôme Rodrigues e Maxime Nicolle, foram detidas por “organização de uma manifestação ilegal”, após serem interpeladas na Champs Élysées.

Eric Drouet, outra cabeça desse movimento, também foi abordado pela manhã, mas a decisão sobre sua possível detenção ainda não havia sido tomada, disse uma fonte familiarizada com o assunto.

No período da manhã, a situação foi especialmente tensa, com vários pequenos grupos de “coletes amarelos” vaiando e assobiando em direção a Macron, que atravessava a Avenida Champs Élysées dentro de um carro militar.

“Os que tentaram impedir este desfile deveriam ter um pouco de vergonha. Hoje é um dia no qual a nação se une e acredito que a nação deve ser respeitada”, afirmou o ministro francês do Interior, Christophe Castaner.

Após cerca de oito meses de mobilização, desde 17 de novembro último, o movimento dos “coletes amarelos” está encontrando dificuldades para se reunir. No sábado, algumas centenas de pessoas protestaram em várias cidades do país.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Asteroide passa ‘raspando’ pela Terra e chega mais perto de nós do que satélites de TV

Por pouco não tivemos a ‘visita‘ de um asteroide na manhã desta quinta-feira (24). O evento era, basicamente, a cereja do bolo do que está sendo o anos de 2020. Quase! O objeto, chamado de ‘2020 …

Sarcófago de 'supervisor dos tronos' é desenterrado no Egito

Um sarcófago de pedra calcária e várias estatuetas funerárias ushebti foram descobertas na cidade egípcia de Minya, por uma missão arqueológica do país, liderada por Mostafa al-Waziry, o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do …

Trump não se compromete com transferência pacífica de poder

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recusou-se a se comprometer com uma transferência pacífica de poder caso seja derrotado na eleição presidencial de 3 de novembro. "Vamos ver o que vai acontecer", disse Trump, ao …

TikTok impõe restrições em anúncios de emagrecimento para combater gordofobia

O TikTok anunciou nesta quarta-feira (23) uma série de novas regras que restringem a veiculação de anúncios de aplicativos e suprimentos de emagrecimento dentro da plataforma. Segundo o comunicado oficial da rede social, o objetivo das …

Volkswagen vai indenizar ex-trabalhadores que denunciaram ditadura militar no Brasil

A subsidiária da montadora alemã Volkswagen anunciou que vai indenizar ex-trabalhadores por violações de direitos humanos no Brasil. Como reconhecido pela própria empresa, seus serviços de segurança interna colaboraram com a ditadura militar brasileira …

Coreia do Sul acusa Norte de ter matado brutalmente um de seus funcionários desaparecido

A Coreia do Sul afirmou que um dos funcionários de seu Ministério dos Oceanos e Pesca foi morto e queimado após ter desaparecido durante o serviço no mar. O funcionário de 47 anos teria desaparecido nesta …

Pedaço de gelo quase do tamanho do Recife se descola da última plataforma do Ártico

Um pedaço de quase 110 quilômetros quadrados de gelo se desprendeu da última plataforma de gelo da Groenlândia, chamada de Nioghalvfjerdsfjorden ou 79N. A título de comparação, o tamanho da parte que se soltou equivale …

Blue Origin quer criar habitats espaciais comerciais já na década de 2020

Parece que a Blue Origin, empresa de Jeff Bezos focada em voos espaciais comerciais, está mesmo querendo entrar no novíssimo e vindouro mercado de habitats na órbita da Terra — e pode ter a NASA …

Brasil é líder em conflitos socioambientais na Amazônia

Dono da maior extensão de Floresta Amazônica, o Brasil também é campeão em conflitos socioambientais na região. Um levantamento inédito comparando a situação de quatro países mostrou que, dos 1.308 confrontos registrados em 2017 e …

Lukashenko toma posse em cerimônia secreta em Belarus

O presidente de Belarus prestou juramento, nesta quarta-feira (26), em uma cerimônia mantida em sigilo. Este é o sexto mandato do chefe de Estado, no poder há 26 anos. "Alexander Lukashenko prestou juramento no idioma bielorrusso, …