Movimento dos “coletes amarelos” completa um ano com efeitos positivos na economia

presidenciaperu / Flickr

O presidente da França, Emmanuel Macron

O diário econômico francês Les Echos desta sexta-feira dedica sua capa e várias páginas ao movimento dos coletes amarelos, que completa um ano neste domingo. O jornal analisa as consequências dos protestos na economia francesa e no comportamento do chefe de Estado.

A crise dos coletes amarelos começou com o aumento dos impostos sobre os combustíveis e evoluiu para uma ampla pauta de reivindicações.

O presidente francês perdeu popularidade e teve que adotar, ainda em 2018, medidas propostas pelo movimento para melhorar o poder aquisitivo da população. O chefe de Estado também saiu em caravana pelo país para debater diretamente com os franceses.

O jornal Les Echos diz que outras crises se sobrepuseram àquela que levou multidões às ruas. Entre elas, a reforma da Previdência e a crise nos hospitais e nas universidades públicas, por exemplo.

O fato é que o efeito “coletes amarelos” fez com que Macron mudasse o seu comportamento. “Depois de uma primeira fase bastante vertical de seu mandato, ele garante ter aprendido, com esta crise, a ouvir e discutir mais, tendo os franceses como mediadores”, ressalta o jornal, que também acredita que, agora, o presidente tenha mais “humanidade.”

O Les Echos ainda lembra que o investimento de cerca de € 17 bilhões para tentar “apagar o incêndio social” no final do ano passado, fez com que a economia francesa resistisse melhor que seus vizinhos à desaceleração do crescimento da economia global, fazendo de Macron “um adepto de Keynes”, em alusão ao economista britânico John Keynes, que defende a função social do Estado na melhoria das condições de vida da população, o chamado Estado-Providência.

O jornal também destaca que o presidente mudou sua maneira de comunicar com o povo. No início do mandato, Macron protagonizou episódios que o levaram a ter fama de arrogante, como quando deu uma bronca em um jovem que o chamou de “Manu.”

Apesar disso, lembra o jornal, Macron não tem um projeto de coesão da sociedade e terá semanas difíceis pela frente: as greves anunciadas a partir do dia 5 de dezembro, para protestar contra a reforma da Previdência, garantem um fim de ano agitado para Macron e para os franceses.

O governo também teme que os coletes amarelos voltem às ruas para comemorar o aniversário de um ano dos protestos de forma violenta.

O movimento continua

Uma outra matéria no mesmo jornal diz que, apesar de enfraquecido, o movimento nunca deixou de existir.

“Os grupos no Facebook aspiram reencontrar esta visibilidade e convocam os coletes amarelos e se encontrarem na avenida Champs Elysées, que se tornou simbólica nas manifestaçõs”, escreve Les Echos.

As figuras emblemáticas do movimento também desapareceram da mídia. Apesar disso, diz o jornal, o movimento continua a ter a aprovação de 22% dos franceses, segundo pesquisa do instituto Elabe.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

COVID-19: produção de vacina pode causar morte de meio milhão de tubarões, alertam especialistas

Óleo natural feito a partir do fígado dos tubarões é um componente-chave entre os ingredientes utilizados por vários candidatos a vacina contra a COVID-19. A Shark Allies, uma organização de defesa aos tubarões, da Califórnia, EUA, …

Quem é Amy Barrett, a indicada de Trump para Suprema Corte?

Se aprovada pelo Senado, atual juíza federal e católica devota poderá influenciar a vida pública dos EUA por décadas e mover de vez a composição da Corte para uma orientação conservadora. Se no Brasil o presidente …

Uber ganha 18 meses de licença para atuar em Londres

Após uma longa batalha jurídica, a Uber ganhou uma licença para restabelecer suas operações em Londres pelos próximos 18 meses. Em novembro de 2019, a empresa havia sido impedida de atuar na capital inglesa, depois que …

Testes de DNA da moda não identificam indígenas brasileiros

Testes de DNA estão na moda. Se você pensou em exames para comprovar paternidade ou algo nesse sentido: não é disso que estamos falando (embora pudéssemos). A nova tendência — entre aqueles que têm condições para …

EUA e Brasil querem barrar governo Maduro na Organização Pan-Americana da Saúde

Os Estados Unidos, o Brasil e outros 11 países rejeitaram nesta segunda-feira (28) a legitimidade do governo de Nicolás Maduro na Venezuela para participar do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). A …

Água líquida em Marte: descobertas mais reservas no polo sul do Planeta Vermelho

Em 2018, pesquisadores italianos anunciaram que haviam encontrado evidências da existência de água líquida em Marte, abaixo da calota polar sul. Agora, a equipe voltou em mais uma série de informações que não apenas sustentam essa …

Cientistas russos encontram nova forma de tratamento para covid-19

Uma equipe de cientistas russos sugeriu tratar os pacientes gravemente afetados pelo coronavírus SARS-CoV-2 da mesma maneira que são tratados alguns casos de intoxicação. De acordo com os especialistas do Instituto de Pesquisa de Medicina de …

Covid-19 já causou a morte de um milhão de pessoas no mundo

Nove meses após seu surgimento na China, a pandemia de Covid-19 superou, neste domingo (27), o número simbólico de um milhão de mortos no mundo. No total, o coronavírus causou 1.000.009 mortes e 33.018.877 casos …

Homem que comia alcaçuz todos os dias morre e médicos alertam sobre riscos à saúde

Um homem de 54 anos morreu após consumir alcaçuz em excesso. Segundo os médicos do Hospital Geral de Massachussets (EUA), após duas semanas ingerindo alcaçuz preto em excesso, o homem teve uma overdose de uma …

Conflito armado se acirra na fronteira entre Armênia e Azerbaijão

A Armênia e o Azerbaijão se acusaram mutuamente neste domingo (27/09) de iniciar confrontos mortais na região separatista de Nagorno-Karabakh, na fronteira entre os dois países, em meio a uma disputa territorial de décadas. Ao …