Em 1ª aparição pública após invasão do Capitólio, Trump vai ao Texas exaltar muro na fronteira com México

Gage Skidmore / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Na véspera do voto do segundo processo de impeachment lançado pelos democratas contra Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos vai até ao Texas nesta terça-feira para exaltar sua política de imigração e a construção do muro na fronteira com o México. Esta é sua primeira aparição pública depois do seu exaltado discurso de quarta-feira passada, que resultou na invasão do Congresso por centenas de militantes trumpistas.

Desde a invasão do Congresso americano em Washington, Trump está mais isolado do que nunca. A ida ao Texas será, sem dúvida, uma de suas últimas viagens como presidente.

A visita tem um duplo objetivo. Em primeiro lugar, diante da multiplicação de pedidos por sua demissão imediata, o republicano mostra sua determinação em ocupar a Casa Branca até o último dia de seu mandato, em 20 de janeiro próximo. S

em poder utilizar seu canal de comunicação preferido depois que o Twitter suspendeu sua conta há alguns dias, Trump também terá a oportunidade de falar diretamente com seus partidários.

Ele não vai desistir e vai continuar até o fim de seus dias a não aceitar o resultado da eleição, alegando fraudes”, prevê James Cohen, professor da Universidade Sorbonne Nouvelle de Paris, especialista em imigração e assuntos de fronteiras dos Estados Unidos, em entrevista à jornalista Jelena Tomic, do serviço internacional da RFI.

O especialista acredita que Trump “tentará criar uma base militante à direita ou à margem da direita do Partido Republicano. Também há senadores e deputados que ainda estão no cargo e que também vão tentar consolidar esse segmento extremista do Partido Republicano”.

O discurso do presidente americano nesta terça-feira acontece em Fort Alamo para celebrar a conclusão de uma nova parte do muro que ainda está em construção na fronteira com o México, informa o enviado especial da RFI, Éric de Salve, a Harlingen, no sul do Texas. A barreira era uma das principais promessas de campanha da Trump e só foi realizada pela metade.

Gasto de US$ 18 milhões

Ao contrário do que o republicano havia afirmado na época, o México nunca pagou um centavo para a construção do muro que já custou US$ 18 milhões aos cofres públicos americanos. A maioria dos novos trechos erguidos apenas substituiu ou reforçou partes já existentes. Somente 12 km foram realmente erguidos em terrenos descampados.

“Ele não conseguiu obter do Congresso os fundos necessários”, lembra James Cohen. “O presidente teve que brigar e burlar um pouco a lei para pagar cerca de US$ 10 bilhões aos militares. Ele sempre sustentou que o muro servia para bloquear os imigrantes, os candidatos ao asilo e também o tráfico de drogas. Mas na verdade, sabemos que a maioria da droga entra nos Estados Unidos em veículos que chegam ao país pelas rodovias. Quanto aos imigrantes, foi a política de Trump que os obrigou a ficar no México, contrariando a lei americana e o direito internacional”, explica o professor da Sorbonne Nouvelle.

Assim que Donadl Trump deixar a Casa Branca, a construção do muro na fronteira com o México será interrompida. O presidente eleito Joe Biden não deseja dar continuidade a este polêmico projeto. No entanto, os 700 km de barreiras de metal já construídos não serão demolidos pela nova administração democrata.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …