Em estudo polêmico, peixe pequeno parece tão autoconsciente quanto chimpanzés e golfinhos

Rickard Zerpe / Wikimedia

Bodião-limpador (Labroides dimidiatus)

Uma nova pesquisa japonesa mostrou que uma espécie de peixe pequeno pode passar em um teste que é amplamente considerado o “padrão de ouro” da inteligência animal.

Até hoje, apenas alguns animais considerados bastante inteligentes – além de nós – haviam passado neste teste de autorreconhecimento, como grandes símios (gorilas, chimpanzés, bonobos e orangotangos), golfinhos-nariz-de-garrafa e elefantes-asiáticos.

Mas uma nova pesquisa japonesa mostrou que uma espécie de peixe pequeno pode passar em um teste que é amplamente considerado o “padrão de ouro” da inteligência animal. O estudo foi publicado em um artigo na revista científica PLOS Biology.

À luz dessa descoberta inesperada, os pesquisadores argumentam que pode ser hora de repensarmos como testamos a inteligência animal.

A equipe internacional de pesquisa liderada por Masanori Kohda, especialista em comportamento de peixes da Universidade da Cidade de Osaka (Japão), concluiu que o bodião-limpador (Labroides dimidiatus) mostra sinais de reconhecimento ao se olhar em um espelho.

O bodião, que se alimenta de parasitas que “limpa” de outros peixes, parece passar no teste do “autorreconhecimento espelhado”, há muito considerado uma marca da autoconsciência em animais.

Se isso significa que ele é autoconsciente, ou se significa que este é um teste ruim de autoconsciência, é algo que está agora em debate.

O estudo

Quando os pesquisadores colocaram um espelho nos tanques dos peixes, 7 de 10 animais o atacaram, o que significa que provavelmente viram suas reflexões como rivais. Ao longo de uma semana, no entanto, os animais atacaram o espelho cada vez menos e acabaram parando quase inteiramente.

Quando esse comportamento desapareceu, outro tomou o seu lugar: os bodiões começaram a nadar de cabeça para baixo, o que nunca havia sido observado antes em qualquer indivíduo dessa espécie. Parece que estavam inspecionando suas reflexões de uma nova maneira.

As coisas ficaram ainda mais interessantes quando os pesquisadores colocaram uma marca nas gargantas dos peixes, que eles só podiam ver no espelho.

Em vez de morder o reflexo no espelho, como um bodião-limpador faria ao limpar outro peixe, um movimento que significaria que ele não passou no teste, o animal pareceu tentar limpar a marca de sua própria garganta mergulhando no fundo do tanque.

Quando os cientistas usaram uma marca transparente ou removeram o espelho, o comportamento cessou, sugerindo que ver a marca no espelho era a dica que levava o peixe a tentar se limpar.

Os resultados provocaram polêmica entre a comunidade científica. Alguns pesquisadores veem o teste de espelho como uma medida do tipo “tudo ou nada”, que não leva em conta diferenças sutis na cognição e no comportamento animal. Só porque os peixes parecem autoconscientes, não significa que tenham um senso claro de “eu” da mesma forma que os humanos têm.

Capacidades cognitivas complexas evoluem de baixo para cima em pequenos passos incrementais a partir de traços mais básicos compartilhados por uma ampla gama de espécies”, defendeu Frans de Waal, professor de comportamento primata da Universidade Emory, em um editorial encomendado pela revista PLOS Biology para abordar o debate.

Embora o teste possa ser uma maneira imperfeita de medir a autoconsciência, os resultados de fato indicam que os bodiões estão exibindo algum tipo de comportamento que merece estudo adicional.

Ressalvas

O teste de autorreconhecimento do espelho envolve três fases: reações sociais em direção à reflexão; comportamentos idiossincráticos repetidos em direção ao espelho; e observação frequente de sua reflexão. Conforme foi descrito pelos pesquisadores, os peixes se engajaram em todos esses comportamentos.

O que de Waal argumenta é que não está claro se os peixes estão realmente tentando se limpar por causa do que viram no espelho. Talvez eles estejam apenas se limpando reflexivamente depois de verem o que pensam ser outro indivíduo com um parasita. Afinal, o comportamento não é novo.

“A evidência mais convincente seria um comportamento único, nunca visto sem um espelho, enquanto a autolimpeza é um padrão fixo de ação em muitos peixes. Podemos precisar de um estudo aprofundado desse padrão específico antes de podermos determinar o que significa quando realizado diante de um espelho”, sugere de Waal.

Uma dificuldade deste tipo de pesquisa é que os testes que podem ser realizados em um peixe são bastante limitados.

Ao contrário da tromba de um elefante ou dos dedos de um chimpanzé, o bodião não tem um apêndice que usa para explorar seu próprio corpo. Portanto, os cientistas só podem inferir porque o peixe está tentando se limpar, enquanto um chimpanzé inspecionando seu corpo, por exemplo, é um sinal bastante claro de que ele entende o que está olhando em um espelho.

Então, será que o bodião-limpador é tão inteligente quanto um golfinho? Por enquanto, é difícil dizer. Mas está claro que os cientistas precisam descobrir uma nova maneira de avaliar a inteligência animal.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Escolas de samba adiam desfile de Carnaval no Rio de Janeiro

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu adiar os desfiles das escolas de samba do grupo especial, que aconteceriam em fevereiro, devido à pandemia de covid-19. A decisão foi tomada, …

Governo brasileiro publica portaria sobre aborto retirando obrigatoriedade de informar polícia

Nova portaria publicada nesta quinta-feira (24) no Diário Oficial retira a obrigatoriedade de que a polícia seja avisada sobre a realização de abortos previstos em lei. O texto é assinado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. …

Asteroide passa ‘raspando’ pela Terra e chega mais perto de nós do que satélites de TV

Por pouco não tivemos a ‘visita‘ de um asteroide na manhã desta quinta-feira (24). O evento era, basicamente, a cereja do bolo do que está sendo o anos de 2020. Quase! O objeto, chamado de ‘2020 …

Sarcófago de 'supervisor dos tronos' é desenterrado no Egito

Um sarcófago de pedra calcária e várias estatuetas funerárias ushebti foram descobertas na cidade egípcia de Minya, por uma missão arqueológica do país, liderada por Mostafa al-Waziry, o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do …

Trump não se compromete com transferência pacífica de poder

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recusou-se a se comprometer com uma transferência pacífica de poder caso seja derrotado na eleição presidencial de 3 de novembro. "Vamos ver o que vai acontecer", disse Trump, ao …

TikTok impõe restrições em anúncios de emagrecimento para combater gordofobia

O TikTok anunciou nesta quarta-feira (23) uma série de novas regras que restringem a veiculação de anúncios de aplicativos e suprimentos de emagrecimento dentro da plataforma. Segundo o comunicado oficial da rede social, o objetivo das …

Volkswagen vai indenizar ex-trabalhadores que denunciaram ditadura militar no Brasil

A subsidiária da montadora alemã Volkswagen anunciou que vai indenizar ex-trabalhadores por violações de direitos humanos no Brasil. Como reconhecido pela própria empresa, seus serviços de segurança interna colaboraram com a ditadura militar brasileira …

Coreia do Sul acusa Norte de ter matado brutalmente um de seus funcionários desaparecido

A Coreia do Sul afirmou que um dos funcionários de seu Ministério dos Oceanos e Pesca foi morto e queimado após ter desaparecido durante o serviço no mar. O funcionário de 47 anos teria desaparecido nesta …

Pedaço de gelo quase do tamanho do Recife se descola da última plataforma do Ártico

Um pedaço de quase 110 quilômetros quadrados de gelo se desprendeu da última plataforma de gelo da Groenlândia, chamada de Nioghalvfjerdsfjorden ou 79N. A título de comparação, o tamanho da parte que se soltou equivale …

Blue Origin quer criar habitats espaciais comerciais já na década de 2020

Parece que a Blue Origin, empresa de Jeff Bezos focada em voos espaciais comerciais, está mesmo querendo entrar no novíssimo e vindouro mercado de habitats na órbita da Terra — e pode ter a NASA …