Emissões de incêndios na Austrália se igualam às de queimadas na Amazônia

(h) Reuters

As emissões de gases de efeito estufa causadas pelos devastadores incêndios florestais na Austrália estão agora quase no mesmo patamar das geradas pelas chamas que atingiram a Amazônia brasileira no ano passado, afirmaram cientistas nesta quinta-feira (09/01).

De setembro a 6 de janeiro, os incêndios florestais na Austrália emitiram 370 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), de acordo com o Serviço de Monitoramento da Atmosfera Copérnico (CAMS), do Centro Europeu de Previsões Meteorológicas de Médio Prazo (ECMWF).

Em comparação, os incêndios que atingiram os estados brasileiros localizados na Amazônia emitiram 392 milhões de toneladas de gases de efeito estufa entre 1º de janeiro e 15 de novembro do ano passado.

“As pessoas não estão percebendo as consequências da emissão de carbono”, afirmou Joe Fontaine, professor de ciências ambientais na Universidade Murdoch, em Perth, na Austrália, sobre os incêndios que estão ocorrendo no país. A estimativa das emissões de carbono geradas pelas chamas que atingem a Austrália “é sóbria e deprimente”, afirmou o especialista à Fundação Thomson Reuters.

Até agora, 27 pessoas morreram, milhares ficaram sem teto e outros milhares tiveram que deixar suas casas à medida que o fogo queimava grandes extensões da Austrália, especialmente no sudeste do país.

Enquanto a cobertura da mídia tem focado os impactos devastadores para as pessoas e a vida selvagem, juntamente com a poluição do ar, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, tem sido criticado por tentar minimizar o papel das mudanças climáticas na crise.

A maioria dos cientistas diz que os incêndios têm sido agravados por três anos de estiagem em todo o país, e que o fogo está ligado às alterações climáticas.

O aquecimento global está tornando eventos extremos como estiagens, ondas de calor e incêndios florestais mais intensos e mais prováveis, afirma Adam Hodge, que trabalha para o Programa Ambiental das Nações Unidas.

“Os incêndios florestais são normais na Austrália como parte do ciclo natural, mas algumas estimativas mostram que a dimensão dos atuais incêndios pode ser a pior já registrada”, diz Hodge. “Eles são um prenúncio do que está por vir. Estes são os efeitos que estamos vendo em um mundo cuja temperatura média subiu para 1,1 ºC acima da média pré-industrial.”

A Austrália responde por apenas 1,3% das emissões globais de carbono, mas é o segundo maior emissor per capita, atrás dos Estados Unidos. O Brasil é o sétimo maior emissor de gases de efeito estufa.

O combate às mudanças climáticas ajudaria a evitar catástrofes como os incêndios recentes, contou Hodge, acrescentando que os países não estão fazendo o suficiente para combater o aquecimento global.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Asteroide Psyche poderia ser núcleo de planeta que não se formou, dizem cientistas

Cientistas examinaram um asteroide que deve ser visitado por uma missão da NASA em 2022, encontrando provas que suas propriedades atraíram sucessão de outros asteroides. Após realizar diversas simulações em 2D e 3D usando um supercomputador, …

Essa “formiga-diabo” pré-histórica ataca sua presa há 99 milhões de anos

Uma linhagem extinta há tempos, nomeada afetuosamente de “formiga do inferno” ou “formiga-diabo”, foi encontrada presa em âmbar há 99 milhões de anos atrás, com sua mandíbula em formato de foice agarrada firme na presa. No …

Mataram um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros depois de 50 anos de perseguição

Notícia triste para quem luta pela preservação do meio ambiente. Conhecido como Demônio, um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros, que segundo moradores aterrorizava vilarejos na ilhas Bangka Belitung (Indonésia), foi morto na semana …

China diz que encontrou traços de coronavírus em frango brasileiro

Carga de asas de frango que chegou a Shenzhen, no sul do país asiático, foi confiscada. Funcionários da alfândega que entraram em contato com alimentos foram testados, mas exames deram negativo. Traços do novo coronavírus foram …

Vacinação em SP começa em janeiro, segundo diretor do Butantan

Com a pandemia, inúmeras empresas estão dedicadas ao desenvolvimento de uma vacina que possa ajudar na luta contra a COVID-19. Nesta quarta-feira (12), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, afirmou que o estado …

Descoberto "Stonehenge de madeira" de 4.500 anos em Portugal

A estrutura de madeira achada é a "única na pré-história da Península Ibérica", explicou o arqueólogo que lidera as escavações. Durante uma escavação no sítio arqueológico de Perdigões, arqueólogos descobriram uma estrutura para fins cerimoniais de …

Coronavírus reaparece na "protegida" Nova Zelândia e gera alerta

A detecção de quatro casos de transmissão local do novo coronavírus, depois de mais de 100 dias sem o vírus, levou as autoridades da Nova Zelândia a restaurar a quarentena em Auckland, cidade mais populosa …

Viagem aos anos 90: Airbnb abrirá reservas para pernoites na última Blockbuster

Quem viveu o boom das locadoras nos anos 90 sabe que ir até uma Blockbuster ou redes semelhantes de VHS e DVDs era um verdadeiro programa de final de semana: a experiência de assistir a …

Joe Biden escolhe Kamala Harris como candidata a vice

Senadora eleita pela Califórnia pode se tornar a primeira mulher vice-presidente dos Estados Unidos, caso chapa democrata derrote Donald Trump em eleição de novembro. O candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira …

Bilionários do Vale do Silício apostam em bunkers para vencer fim do mundo

Esqueça a vida no espaço: bilionários do Vale do Silício estão se preparando para o apocalipse comprando bunkers. A parte mais abastada da população mundial tem se mostrado interessada em adquirir “buracos na terra” equipados para …