Empresa de Weinstein está perto da falência – e mulheres se unem para comprá-la

thomashawk / Flickr

Harvey Weinstein

Depois do escândalo em torno do produtor Harvey Weinstein, mulheres de todo o mundo  ganharam coragem de denunciar assédios sexuais, estupros e agressões.

Mais de 100 mulheres, entre as quais várias atrizes de Hollywood, acusaram Harvey, um dos produtores mais conhecidos de Hollywood, de assédio ou abuso sexual, durante os últimos 40 anos.

Desde as acusações, os projetos da empresa The Weinstein Company – a produtora de Harvey – estão estagnados. Muitas das pessoas e empresas que trabalham ou trabalhavam regularmente com o produtor, passaram a evitar a empresa, que ao que tudo indica já se encontra em dificuldades financeiras.

Entretanto, há agora dois grupos de investidores liderados por mulheres interessados na aquisição da The Weinstein Company.

À frente do primeiro grupo está a produtora independente novaiorquina Killer Content, que se juntou a Abigail Disney, realizadora e neta do fundador da Walt Disney Company, e à New York Women’s Foundation, para avançar com uma proposta de aquisição da empresa de Weinstein.

Apesar de estar próximo da falência, a The Weinstein Company detém um catálogo com mais de 100 filmes e séries de televisão bem sucedidos. E este grupo de investidoras quer adquirir os ativos de cinema e televisão e doar parte dos lucros a organizações que apoiam mulheres vítimas de abusos sexuais.

Segundo a RFI, a segunda oferta será apresentada por Maria Contreras-Sweet, gestora do Gabinete de Pequenas Empresas durante a administração de Barack Obama.

Segundo a Deadline, em carta dirigida ao conselho da TWC, Contreras-Sweet afirma que reuniu “um grupo de sócios financiadores, assessores e consultores de primeiro nível”, que podem oferecer 275 milhões de dólares pela empresa.

Contreras-Sweet afirma ainda ser essencial que seja um grupo liderado por mulheres a assumir a liderança da The Weinstein Company.

Mil artistas norueguesas denunciam assédio sexual

Mil artistas norueguesas denunciaram violações, agressões e assédio sexual, em um manifesto publicado nesta quinta-feira (23) na imprensa local. A Noruega é considerado o segundo país mais igualitário do mundo.

A vergonha e o sentimento de culpa devem voltar ao seu lugar: aos que assediam e aos que os protegem”, afirmaram 295 cantoras norueguesas em artigo publicado no Aftenposte. Em outro artigo, mais de 700 artistas declararam não existir “nenhum motivo para pensar que o mundo da música é melhor na Noruega”.

Segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial (WEF), a Noruega ficou em segundo lugar entre os países que mais respeitam a igualdade de gênero. O relatório analisou as desigualdades salariais e o espaço dado às mulheres na política e na economia.

De acordo com a AFP, o Aftenposte publicou também um conjunto de testemunhos, todos eles anônimos, de artistas que foram vítimas de violência, pressões e humilhações de caráter sexual.

“Em Oslo, sofri uma agressão por parte de um conhecido, mas, como muitas mulheres, pensei que era algo frequente e que não valia a pena denunciá-lo“, afirma uma artista.

“Durante toda a minha carreira, recebi comentários sobre a minha aparência e a minha sexualidade”, diz uma cantora. “Recebi um grande número de mensagens de colegas sobre a minha aparência física, mas nunca recebi mensagens sobre meu trabalho“.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …