Epidemiologista que criou estratégia contra pandemia na Suécia admite que plano causou mortes demais

A decisão da Suécia de não impor um bloqueio mais duro em resposta à pandemia da covid-19 resultou em mais mortes que o esperado.

A conclusão é do homem responsável pela estratégia adotada no país, o epidemiologista sueco Anders Tegnell.

A Suécia tem uma taxa de mortalidade muito maior que a de seus vizinhos mais próximos. Seus cidadãos, hoje, estão proibidos de cruzar as fronteiras do país.

Na quarta-feira (03/6), Tegnell disse a uma rádio sueca que o país poderia ter feito mais do que foi feito desde o início da pandemia. “Obviamente, existe um potencial de melhora no que fizemos.”

Em 3 de junho, a Suécia registrava 4.542 mortes e 40.803 casos de covid-19 em uma população de dez milhões, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins.

Enquanto isso, em países como Dinamarca, Noruega e Finlândia, que impuseram bloqueios, os números de casos confirmados e mortes são bem menores. A Dinamarca registrava 580 mortes; a Noruega, 237; e a Finlândia, 321.

A Suécia foi citada pelo presidente Jair Bolsonaro como modelo a ser seguido, por não impor isolamento duro contra o novo coronavírus e manter aberta boa parte do comércio.

O epidemiologista, que comandou a resposta da Suécia à covid-19, disse à BBC, em abril, que o alto número de mortes ocorreu principalmente pelo fato de as casas de acolhimento de idosos terem sido incapazes de conter a doença.

Tegnell, no entanto, enfatizou na época que não desqualificava “a estratégia como um todo”.

Dois meses depois, o especialista tem outra opinião.

“Se encontrássemos a mesma doença de novo, sabendo o que sabemos sobre ela hoje, acho que ficaríamos satisfeitos em adotar um meio termo entre o que fez a Suécia e o que fez o resto do mundo”, disse ele à rádio pública sueca.

Quando perguntado se achava que muitas pessoas morreram cedo demais no país, Tegnell foi enfático.

“Sim, com certeza.”

No entanto, ele não foi específico em detalhar o que a Suécia poderia ter feito de diferente e disse, mais tarde, na mesma quarta-feira, em uma entrevista coletiva, que “basicamente, ainda acreditamos que esta é a estratégia certa para a Suécia”.

Nas palavras de Tegnell, tentar direcionar a estratégia contra o covid-19 é como dirigir um navio transatlântico, já que cada medição leva três a quatro semanas para ser concluída.

Enquanto o foco da Suécia foi avaliar medidas mais estritas passo a passo, outros países optaram por impor bloqueios imediatos e reabrir gradualmente, disse ele.

Para o especialista, era muito cedo para se ter certeza se quarentenas rigorosas funcionavam ou não.

“Sabemos pela história dos últimos três a quatro meses que esta doença tem uma capacidade muito alta para começar a se espalhar novamente”, disse.

Embora não houvesse quarentena estrita, a Suécia impôs um distanciamento social voluntário, proibiu reuniões de mais de 50 pessoas e suspendeu visitas a casas de repouso.

As viagens não essenciais ainda não são recomendadas pelo país, de acordo com diretrizes nacionais, mas viagens de até duas horas para visitar familiares ou amigos próximos são permitidas, desde que não envolvam visitas a comércios locais e encontros com outros residentes.

Quando a Dinamarca e a Noruega começaram a se abrir novamente, houve críticas crescentes à resposta da Suécia, tanto dentro do país quanto entre seus vizinhos.

O chefe de saúde pública da Noruega, Frode Forland, disse que a Suécia se apoiou demasiadamente em modelos de combate a doenças infecciosas como gripe, enquanto seus vizinhos preferiam medidas estritas de quarentena.

Annika Linde, uma epidemiologista sueca que trabalhou como conselheira do governo no passado, criticou a resposta da Suécia à pandemia, dizendo que ela deveria ter se concentrado em três eixos: quarentena precoce, maior proteção dos lares de idosos e maior quantidade de testes intensivos e monitoramento em áreas de surtos.

Segundo a imprensa sueca, Tegnell e sua família receberam ameaças por e-mail no mês passado.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

As vovós que lutam pela democracia na Polônia

Idosas polonesas organizam protestos regulares contra erosão da democracia no país, governado por partido ultraconservador. "Não sou capaz de ficar tranquila em casa, cada violação dos direitos me dói", diz aposentada. Clima de fim de expediente …

Coruja super rara dá o ar da graça depois de 125 anos

A coruja rajá de Bornéu (Otus brookii brookii) é uma espécie tão pequena que apenas seu tamanho já tornaria sua identificação mais complexa. Nativa do Sudeste da Ásia e com peso médio de apenas 100 gramas, …

Nintendo bate todos os recordes de lucros com videogames durante a pandemia

A Nintendo apresentou resultados recordes para o ano fiscal de 2020/21 encerrado em 31 de março, impulsionada pela mania global dos videogames em tempos de pandemia, mas o grupo japonês não espera repetir essa …

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

Médicos no Canadá têm deparado com pacientes que apresentam sintomas semelhantes aos da doença de Creutzfeldt-Jakob, um mal raro e fatal que ataca o cérebro. Mas quando resolveram investigar o mal em mais detalhe, o …

Governador do Rio diz que operação que terminou com 25 mortos foi ação de 'inteligência'

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou que a operação da Polícia Civil realizada no Jacarezinho foi "ação pautada e orientada por longo e detalhado trabalho de inteligência e investigação".  A operação terminou com …

Butantan diz que ataques de Bolsonaro à China afetam vacinas

Presidente insinuou que chineses, principais fornecedores de matéria-prima para imunizantes ao Brasil, criaram vírus como parte de "guerra química". "Essas declarações têm impacto", diz diretor do Instituto Butantan. A direção do Instituto Butantan e o governador …

Fotos da última sessão de Kurt Cobain são vendidas como NFT

As imagens da última sessão de fotos da vida do compositor e cantor Kurt Cobain irão a leilão em formato de token não-fungível, os célebres NFTs. O anúncio foi feito por Jesse Frohman, fotógrafo por trás …

EUA, França e Rússia apoiam quebra de patentes contra a Covid-19, mas laboratórios resistem

A ideia de suspender as patentes da fabricação de vacinas contra a Covid-19 continuou a ganhar apoio em todo o mundo nesta quinta-feira, após o impulso inicial dado Estados Unidos. Porém, os laboratórios resistem, …

Descoberta a evidência mais antiga de atividade humana

Uma das atividades mais antigas de humanos foi identificada em uma caverna na África do Sul. Uma equipe de geólogos e arqueólogos encontrou evidências de que nossos ancestrais estavam fazendo fogo e ferramentas na Caverna …

Jeff Bezos: os planos do homem mais rico do mundo para voo espacial turístico

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, afirma que está pronto para levar pessoas ao espaço. A empresa Blue Origin, do empresário americano detentor de uma fortuna estimada em R$ 1 trilhão, diz que lançará uma tripulação …