Cientistas criam minicérebros de Neandertal em laboratório

Um grupo de cientistas norte-americanos está usando células-tronco para desenvolver minicérebros que contêm DNA Neandertal. O verdadeiro objetivo da pesquisa é entender como o órgão, que faz de nós que realmente somos, se desenvolveu.

Os cientistas já tinham conseguido cultivar cérebros em miniatura a partir de células-tronco e, embora seja um grande passo para a ciência, não é uma novidade. Mas, agora, conseguiram desenvolver cérebros neandertais e, isso sim, é uma descoberta que nos deixa boquiabertos.

À frente do projeto está um grupo de cientistas da University of California San Diego School Of Medicine, projeto que só foi possível graças à ajuda e cooperação de várias áreas de pesquisa científica.

Os organoides (versões em miniatura de órgãos usados para estudos) foram criados anteriormente a partir de tecido cerebral humano moderno. Todavia, a equipe de cientistas tem usado DNA Neandertal para criar pequenas versões do córtex da espécie humana já extinta há vários anos.

De acordo com a equipe, os minicérebros demoram vários meses para se desenvolver e, em comparação com os minicérebros de humanos modernos, os “neanderoides” apresentam uma rede neural anormal.

São estas diferenças que sugerem que os Neandertais não conseguiam se comunicar tão bem quanto nós. Seus cérebros não estavam, simplesmente, preparados para isso.

Criados em laboratório, os minicérebros de Neandertal são muito semelhantes a pipocas do tamanho de uma ervilha. Mas, apesar do tamanho, os cientistas afirmam que o modo como os neurônios se desenvolveram é muito parecido com como alguns neurônios se desenvolvem em pessoas que sofrem autismo.

Ainda assim, a equipe não estabeleceu qualquer relação. “Não quero que as famílias concluam que estou comparando as crianças autistas com os neandertais, mas essa é, de fato, uma observação importante”, afirmou Alysson Muotri, geneticista da Universidade da Califórnia, à Science Magazine.

Esses minicérebros cultivados a partir de células-tronco pluripotentes dão aos cientistas a possibilidade de entender melhor o cérebro e como o órgão se desenvolve. Além disso, dão também aos cientistas a possibilidade de testar novos fármacos em um modelo humano, embora simplificado, que produz resultados mais fiéis do que testes em animais.

Os cientistas tentaram criar um minicérebro de Neandertal, mas não criaram um Neandertal vivo. Em vez disso, usaram células-tronco para desenvolver uma versão minúscula e simplificada de um órgão muito semelhante ao cérebro.

Ainda assim, essa foi uma medida tomada para entender melhor nossos antepassados menos sortudos, que poderia nos ajudar a entender como nos tornamos a espécie que somos hoje.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …