Escola nos EUA é processada por suicídio de aluna que sofria bullying

Dianne Grossman / Facebook

Mallory, que tinha 12 anos, começou a sofrer cyberbullying em 2016, seu primeiro ano na escola de ensino fundamental de Copeland

Os pais de uma menina de 12 anos que cometeu suicídio em 2017, depois de meses sofrendo bullying dos colegas, estão processando a escola em que ela estudava, no Estado americano de New Jersey, alegando que a instituição não fez seu papel para evitar que a menina fosse perseguida.

Dianne e Seth Grossman afirmam que a escola ignorou as reiteradas queixas que faziam de que a filha Mallory estava sendo alvo de bullying por outros alunos.

Na ação movida pelo casal consta que Mallory recebia mensagens de texto e através do Snapchat em que era chamada de “fracassada” e que debochavam de sua aparência.

Várias mensagens repetiam que Mallory não tinha amigos, e uma chegava a sugerir que ela tirasse a própria vida. As ofensas começaram no primeiro ano na escola, em 2016, e se estenderam por meses.

Aberta na última terça-feira, dia 19, pouco mais de um ano depois da morte de Mallory, em 14 de junho de 2017, a ação judicial acusa a escola de ensino fundamental de Copeland de não tomar uma atitude mais enérgica para evitar que o bullying entre os alunos acontecesse.

A ação argumenta que a resposta da escola à reclamação feita pelos pais foi forçar Mallory a abraçar um dos colegas que supostamente faziam bullying com ela, em vez de aplicar uma ação disciplinar, e que a coordenação chegou a sugerir que, para que não fosse importunada, a criança passasse a fazer seus lanches em uma sala isolada, e não mais no refeitório.

O processo acusa ainda o distrito escolar de desencorajar o casal, que tem outros três filhos, de fazer uma reclamação formal contra a escola, e que os representantes da escola haviam sido instruídos para não comentar sobre o caso.

A jurisdição escolar do distrito de Rockaway, que administra as escolas públicas da região, não comenta o processo. Em um comunicado divulgado em agosto do ano passado, o distrito escolar afirma que “a alegação de que o distrito de Rockaway ignorou os pedidos da família Grossman e falhou contra o bullying de forma geral é categoricamente falsa“.

Em uma coletiva de imprensa na última terça, o advogado da família Grossman, Bruce Nagel, reiterou que as queixas à escola haviam sido “completamente ignoradas” e salientou que os smartphones podem ser “uma arma letal nas mãos da criança errada”.

“Temos esperança que vamos atrair atenção para a epidemia de cyberbullying que acontecesse no país, para que não precisemos ir a mais funerais de estudantes que foram vítimas dele”, ressaltou.

A mãe de Mallory disse ao canal de televisão News 12 que queria que a escola “se importasse menos com as notas de provas e mais com a inteligência emocional” das crianças.

“Em vez de tirar Mallory da aula de canto”, acrescentou, “eu queria que as garotas que viviam empurrando a cadeira dela, chamando-a de palavrões… eu queria que essas crianças tivessem sido tiradas da sala. Não a Mallory“.

A ação judicial é o primeiro caso de suicídio por cyberbullying que vai à Justiça no Estado de New Jersey. As famílias do grupo de garotas acusadas de fazer bullying com Mallory foram notificadas de que também podem enfrentar consequências legais, segundo Nagel.

Funcionários da escola e o distrito como um todo também foram citados no processo por supostamente terem falhado em garantir a segurança da criança no ambiente escolar.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas encontraram pássaro que é três espécies em uma só

Cientistas encontraram um pássaro incomum na Pensilvânia, que guarda um incrível segredo genético: a toutinegra é o híbrido de três espécies diferentes de pássaros. Uma equipe de cientistas encontrou um pássaro incomum na Pensilvânia, cuja mãe …

Hitler abraçou uma menina judia; 85 anos depois, a foto foi a leilão

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazista ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por …

No deserto mais seco do mundo, a chuva mata

No deserto mais seco e mais antigo da Terra, as coisas não funcionam da mesma maneira que em outros lugares. A água, por exemplo, não é uma bênção. No deserto do Atacama, no Chile, as …

CIA pensou em usar “soro da verdade” nos interrogatórios do 11 de setembro

O “Projeto Medicação” foi posto de lado em 2003, mas, até lá, os médicos da CIA estudaram a hipótese de substituir as violentas técnicas de interrogatório pelo uso de um “soro da verdade” que fizesse …

Distração de professora provoca ferimentos em 40 crianças na China

A distração de uma professora que se esqueceu de apagar uma luz ultravioleta em uma escola de Tianjin, perto de Pequim, causou ferimentos e queimaduras em mais de 40 crianças, informou nesta sexta-feira a imprensa …

Hábito diário pode ajudar a prever morte prematura

A velocidade com que caminhamos fornece muitas pistas sobre o nosso estado de saúde e pode mesmo ajudar a prever uma morte prematura.  Segundo um novo estudo, realizado o por cientistas da Universidade do Sul …

Assassino de John Lennon sente “mais vergonha” a cada dia que passa

Mark David Chapman, que assassinou John Lennon em 1980, disse a um conselho de condicional que se sente “mais e mais envergonhado” a cada ano que passa por ter assassinado o ex-Beatle. “Há 30 anos, eu …

Submarino argentino ARA San Juan é achado um ano após ter desaparecido com 44 tripulantes

A carcaça do submarino argentino Ara San Juan, desaparecido desde 15 de novembro de 2017 com 44 tripulantes a bordo, foi localizada no fundo do oceano Atlântico, a 800 metros de profundidade, a leste da …

Cientistas determinam qual foi o pior período na história da humanidade

Cientistas americanos chegaram à conclusão de que em 536 d.C., "um dos períodos mais terríveis" começou na história da humanidade. Segundo o historiador medieval Michael McCormick, arqueólogo da Universidade de Harvard, um "nevoeiro misterioso" caiu sobre a …

Quadro é leiloado por valor recorde para artista vivo

Obra do pintor britânico David Hockney, de 81 anos, é vendida por mais de 90 milhões de dólares em Nova York. Recorde anterior era de escultura do americano Jeff Koons, vendida em 2013 por 58,4 …