Estudo confirma: temos mais empatia por cães do que por pessoas

Imagine que você está assistindo à um filme. Na tela, um cachorro e seus companheiros humanos atravessam um campo de batalha, se esquivando de tiros e explosões. Agora, seja honesto: você está mais preocupado com o fato de o cão morrer, e não as pessoas. Certo?

Para muitas pessoas, cães altruístas ​​e incondicionalmente leais são mais fáceis de amar do que seres humanos. E de acordo com um novo estudo, publicado na revista Society & Animals, realmente temos mais empatia pelos cães do que por pessoas, e os autores tentam explicar o porquê.

A equipe, da Northeastern University Boston e da Universidade do Colorado Boulder, descobriu que somente crianças provocam uma resposta mais empática em certas condições do que os cães, sejam eles filhotes ou totalmente crescidos.

O estudo reuniu 256 alunos de graduação juntos e apresentou a eles notícias falsas de ataques a um bebê de 1 ano de idade, a um adulto de 30 anos, a um filhote de cachorro e a um cão com 6 anos. Sem importar quem fosse a vítima, todas elas foram submetidas a pancadas com um bastão de basebol, que deixou várias feridas graves.

A ideia era que, quanto mais vulnerável fosse uma vítima, mais empatia os participantes do estudo demonstrariam. Quando foram revelados, os níveis de empatia pelo bebê, o filhote de cachorro e o cão mais velho eram iguais; a vítima adulta teve empatia por parte dos participantes, mas em menor grau.

“Além disso, as mulheres participantes foram significativamente mais empáticas em relação a todas as vítimas que o participantes masculinos”, observaram os autores no estudo, em citação do IFLScience.

A ideia geral do porquê nos sentimos assim com os cães, de acordo com a pesquisa, é que os vemos como tendo o mesmo grau de vulnerabilidade que as crianças; em outras palavras, eles são incapazes de se protegerem.

A inspiração do estudo ocorreu em parte devido à atenção que um caso bastante controverso recebeu nas mídias sociais nos EUA: um pit bull chamado Michey atacou um garoto de 4 anos em Phoenix, no estado norte-americano do Arizona, em 2014, deixando-o com lesões graves e que levou o menino a precisar de cirurgias reconstrutivas.

O cão estava ameaçado de eutanásia e uma campanha foi criada para salvá-lo desse destino. Dentro de algumas semanas, a página de Mickey no Facebook tinha mais de 40 mil pessoas, enquanto a página que apoiava o menino tinha cerca de 500.

Outro caso envolveu uma campanha de caridade. Em uma das peças publicitárias, foi usada a foto de um cão, e outra peça usou a fotografia de um menino real que sofria de uma forma de distrofia muscular. A campanha de angariação de fundos ganhou o dobro de cliques quando a imagem do cachorro foi usada nos anúncios.

No entanto, a violência contra pessoas e animais é um problema global e, com base neste estudo, os autores suspeitam que uma boa maneira de gerar atitudes humanas em grupos de pessoas é enfatizar a vulnerabilidade das vítimas.

“Ao enfatizar a vulnerabilidade compartilhada, em vez de se concentrar na exposição à violência e à agressão, os programas inovadores poderiam reformular o tratamento e a prevenção de abusos de animais”, concluíram.

EM, Ciberia // IFLScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …