Todos os cães do mundo evoluíram a partir de um único grupo de lobos

Paco Ruiz / Flickr

Um novo estudo argumenta que os cães podem ter evoluído de uma população de lobos de único local por volta de 20 mil a 40 mil anos atrás.

Coordenado por Krishna Veeramah, da Universidade Stony Brook, nos EUA, o estudo contradiz a principal teoria sobre a evolução canina – a de que ela ocorreu de populações diferentes de lobos vivendo a milhares de quilômetros uma da outra.

A nova hipótese tem como base o estudo do DNA dos ossos de três cachorros encontrados em sítios arqueológicos na Alemanha e na Irlanda, com idades variando entre 4,7 mil e 7 mil anos. Os animais antigos tinham ancestrais em comum com caninos modernos europeus.

Analisando as taxas de mudança genética, os cientistas conseguiram estimar que a domesticação de lobos ocorreu entre 20 mil e 40 mil anos atrás.

Veeramah explica que o processo teve início quando uma população de lobos se aproximou de acampamentos nômades em busca de sobras de comida.

“Os humanos não se beneficiaram imediatamente do processo, mas com o passar do tempo desenvolveram algum tipo de relacionamento simbiótico com os animais. Eventualmente, os animais evoluíram para os cães que conhecemos hoje”, explica o cientista.

Como os cães de rua

A história do surgimento dos cães a partir de lobos é complexa e gera intensos debates.

Cientistas acreditam que os cachorros começaram a correr o mundo, possivelmente na companhia de humanos, há cerca de 20 mil anos. Há 7 mil anos, estavam dispersos pelo planeta, mas ainda não eram o que se pode chamar de animais de estimação.

”Eles provavelmente eram animais parecidos com os cães de rua de hoje, que se reproduzem livremente e não vivem em nenhuma casa específica”, explica Veeramah.

Posteriormente, os animais passaram a ser criados para ajudar na caça e no pastoreio, um processo que ao longo do tempo criou centenas de raças modernas.

O estudo, publicado na revista científica Nature Communications, sugere que raças encontradas em locais tão distintos quanto as Américas e as Ilhas do Pacífico derivam de cães europeus. “Nosso cachorro de 7 mil anos da Europa é virtualmente um ancestral para a maioria das raças modernas”, diz Veeramah.

”E esse relacionamento pode chegar até ao mais antigo fóssil canino que conhecemos, que é aproximadamente de 14 mil anos atrás e foi encontrado na Alemanha.”

Pesquisas anteriores argumentaram que os primeiros cães domesticados surgiram em lados opostos da Eurásia há mais de 12 mil anos. Posteriormente, os cães orientais teriam migrado com humanos e se reproduzido com os ocidentais.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início da pandemia, em índice superior à média dos 30 países e territórios pesquisados. Segundo pesquisa do …

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …