Estudo: se mulheres ganhassem o mesmo que homens, economia teria R$ 461 bi a mais

“Se as mulheres ganhassem o mesmo que os homens, nós teríamos R$ 461 bilhões a mais na economia brasileira. As mulheres ganham menos e estudaram mais”.

A fala do publicitário Renato Meirelles talvez seja o retrato mais evidente do quanto o Brasil está longe de alcançar a igualdade entre gêneros no mercado de trabalho e na sociedade – ainda que não acredite ser um país machista.

“Nós teríamos, nessa situação de crise que o país vive hoje, R$ 461 bilhões a mais”, repetiu Meirelles, salientando a incrível cifra.

Ele foi um dos convidados para o evento “Por que precisamos enfrentar o machismo?”, realizado nesta segunda-feira (29), pela Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, que desde o início do ano tem a deputada Manuela D’Ávila (PC do B) como titular.

Meirelles, que é criador do Data Favela e Data Popular, falou ao lado de Manoela Miklos, uma das idealizadoras da campanha #agoraéquesãoelas, traçando um painel de números que provam que o machismo é ainda um problema muito brasileiro.

Segundo números apresentados por ele, 14% dos homens brasileiros se consideram machistas. Porém, 93% acreditam que vivemos em uma sociedade machista. “Ou seja, machistas são os outros”, ironizou Meirelles.

“Apenas 6% dos brasileiros discordam da frase que é justo homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo terem o mesmo salário. No entanto, 68% consideram que se o chefe souber que a funcionária vai engravidar pode prejudicar a carreira da mulher. E 6 de cada 10 brasileiros afirmam preferir ter um chefe homem do que uma chefe mulher”, explicou.

O publicitário apontou os números da desigualdade com base em pesquisas realizadas por sua agência – Locomotiva – em entrevistas com homens e mulheres.

Sobre renda e trabalho, por exemplo, a pesquisa apresentada por ele mostra que 52% dos brasileiros disseram que acreditam que os homens estão mais aptos para aguentar “pressão” no ambiente de trabalho; 40% afirmam que os homens são mais ambiciosos; enquanto isso, 42% dos entrevistados diz que as mulheres são mais “mandonas”; 46% afirmam que as mulheres ajudam mais os colegas; 67% consideram as mulheres as mais pacientes; 45% afirmam que são elas as mais comprometidas com o trabalho; 49% que são elas as mais confiáveis e 47% que são elas as mais eficientes.

“Já que a sociedade brasileira, na prática, reconhece um conjunto de qualidades que são as mais defendidas pelos gestores do mundo inteiro, mesmo assim, quanto maior o cargo de chefia, quanto maior o cargo de liderança, menor a presença das mulheres. O que além do machismo explica?”, questionou ele.

“A crença que existe na sociedade brasileira é que o machismo, assim como a violência contra a mulher, não existe na elite intelectualizada e financeira”, acrescentou.

Há ainda o outro lado do machismo que vai além da economia.

De acordo com Meirelles, no Brasil atual, 50,5 milhões de homens admitem já terem agrediram suas companheiras.

“Nós fizemos outra pesquisa no ambiente universitário, 58% dos homens responderam que se uma mulher está numa ‘calourada’ (festa de calouros), ela topa ser beijada. E o que está por trás disso? É o sentimento de posse (…) muitas vezes se apoia no crime perfeito, que se ela está vestida de tal jeito é porque quer. O crime perfeito que culpa a vítima pela violência que ele fez”, diz ele, lembrando que esse é o machismo naturalizado e sobre o qual não se fala.

“Se não se discute isso, você está fora do jogo. Não se muda situações que não são discutidas”, afirma.

A experiência do #agoraéquesãoelas

Um dos cases mais bem sucedidos do país em “falar” sobre o que ninguém quer reconhecer, tem sido o blog #agoraéquesãoelas, hospedado no site da Folha de S.Paulo, com curadoria de Alessandra Orofino, Antonia Pellegrino, Ana Carolina Evangelista e Manoela Miklos.

No evento desta segunda, Manoela apresentou um pouco da história da iniciativa e os resultados que ela vem colhendo desde o final de 2015.

“Tem uma coisa que todas nós sabemos e que é surpresa para muitos homens, é o tamanho da desigualdade e como é difícil fazer reconhecer que a gente importa igual. Isso soa surpreendente para muitas de nós também. O sentimento de que a gente vale igual é construída dentro de nós”, contou ela.

A campanha #agoraéquesãoelas surgiu no final de 2015, quando as mulheres do Brasil se uniam nas ruas contra o projeto de lei 5069, proposto pelo então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), que dificultaria o acesso de mulheres a métodos contraceptivos e durante a atenção após serem vítimas de violência sexual.

O evento no Rio Grande do Sul serviu ainda para apresentar cinco novos projetos da Procuradoria Especial da Mulher para ajudar a dar visibilidade àquelas que quase nunca tem chance de serem ouvidas, segundo a deputada Manuela D’Ávila, atual procuradora.

Entre os projetos, estão iniciativas como “A História das Mulheres no Parlamento”; “Cidade Amiga Das Mulheres” – que busca sensibilizar estabelecimentos e serviços para atendimento acolhedor e sem machismo; “Agora é Que São Elas” – comprometer veículos de comunicação e jornalistas a darem espaço para mulheres em colunas e artigos dominados por homens; “Seminário Educação sem Machismo” – capacitando educadores a abordar temas de gênero; e “Projeto Institucional da Procuradoria da Mulher” – que prevê a criação de procuradorias do tipo em Câmaras de Vereadores pelo Estado.

“O Estado precisa do nosso envolvimento. Desde que me envolvi [com a questão], em 2011, não quero tirar o papel das mulheres, que tem caminhado há muito tempo por essa causa. O que eu quero é conversar com os homens”, disse o presidente da Assembleia, Edegar Pretto (PT), que é um dos representantes no país da campanha Eles Por Elas (He For She), da Organização das Nações unidas (ONU).

O parlamento gaúcho foi um dos pioneiros na criação de uma frente parlamentar de homens voltada a discutir a violência contra a mulher, também encabeçada pelo petista.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …

'Estamos em guerra': França confiscou 1 milhão de máscaras destinadas à Espanha e Itália

Os dois países se envolveram em uma disputa diplomática depois que parte das máscaras com destino a outros países vindas da China foram retidas em cidades francesas. As autoridades francesas apreenderam milhões de máscaras que uma …

Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Depois da Segunda Guerra Mundial e da pandemia de gripe espanhola, a nova inimiga do soldado aposentado William ‘Bill’ Lapschies, nascido em Salem em 1916, foi a Covid-19 – e ele venceu a batalha! Aos 104 …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

UE teme que política autoritária adotada na Hungria por causa do coronavírus tenha efeito dominó no bloco

Em nome da luta contra o novo coronavírus, a Hungria estabeleceu estado de emergência e concedeu poderes ilimitados ao governo de Viktor Orbán. A Europa condena o uso político da pandemia da Covid-19 e …

Grécia põe campo de refugiados em quarentena após infeção

Autoridades confirmam ao menos 20 infecções, todas sem sintomas. Exames foram feitos após uma mulher que deu à luz ter testado positivo para o novo coronavírus no hospital. A Grécia colocou em quarentena o campo de …

Bactérias em rochas a 6 km de profundidade no Pacífico reacendem esperanças de vida em Marte

Bactérias unicelulares recém-descobertas nas profundezas marinhas deram aos investigadores pistas sobre como podem encontrar vida em Marte. A novidade científica foi anunciada hoje (2) no portal SciTechDaily em um artigo da Universidade de Tóquio, Japão. Estas …

JK Rowling lança portal do Harry Potter e salva quarentena mundial

A saga de ‘Harry Potter’ acabou faz muito tempo e conquistou milhões de fãs ao redor de todo o mundo. E nesse momento de quarentena, quem poderia esquecer do bruxinho mais famoso da cultura pop? Quem …

Potência agrícola da Europa, Itália enfrenta falta de mão de obra para manter cadeia produtiva de alimentos

“Existe o risco de escassez de alimentos no mercado mundial, devido a perturbações derivadas da COVID-19 no comércio internacional e nas cadeias de suprimentos” . Este foi o alarme lançado na quarta-feira (1) em …

"Gangue" de cabras selvagens toma conta das ruas de uma cidade britânica em quarentena

Um rebanho de cabras selvagens simplesmente tomou as ruas desertas de Llandudno, no País de Gales, enquanto seus residentes ficam dentro de casa para limitar a propagação do coronavírus. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, …