Ex-funcionários do McDonald’s revelam “estratégia de espionagem” da rede de fast-food

A revista Vice analisou testemunhos de supostos trabalhadores anônimos do McDonald’s que tinham conhecimento direto da vigilância, e vazou documentos que explicam as táticas de espionagem.

Uma equipe de analistas de inteligência da cadeia de fast-food McDonald’s está monitorando as atividades do grupo Fight for $15 (Lute por US$ 15), que exige um pagamento mínimo por hora equivalente a 15 dólares, ou seja, R$ 82, escreveu na quarta-feira (24) a revista Vice.

De acordo com documentos obtidos pela revista, a vigilância está sendo realizada a partir de escritórios em Chicago, EUA, e Londres, Reino Unido, tentando descobrir quais trabalhadores do McDonald’s são ativos no movimento através da organização de greves, protestos ou sindicatos.

Um de seus objetivos declarados é descobrir “como e onde o Fight for $15 vai atacar a marca”.

Entre as táticas usadas para suprimir melhores condições trabalhistas, analistas de inteligência têm usado uma ferramenta de monitoramento das redes sociais para coletar e extrair dados disponíveis abertamente on-line, para ajudar a monitorar as contas dos empregados e contas falsas e de amigos relacionadas, relataram dois ex-funcionários do McDonald’s, que pediram anonimato.

Matthew Finkin, professor da Faculdade de Direito da Universidade de Illinois, EUA, e especialista em direito trabalhista, afirmou à revista que espionar funcionários para aprender como eles organizam seus sindicatos, e até mesmo dar a impressão de que estão sendo observados, é ilegal e viola as leis trabalhistas federais norte-americanas.

No entanto, a empresa de fast-food nega todas as alegações, afirmando que “nunca usou contas falsas de redes sociais para coletar ativamente informações, incluindo atividades de trabalho”, segundo o porta-voz do McDonald’s, Jesse Lewin, também citado pela Vice.

Esta história está cheia de informações falsas, juntando pedaços díspares de informações para construir uma narrativa sensacionalista que é imprecisa e enganosa”, disse Lewin.

“Além disso, o McDonald’s não tolera retaliações de qualquer tipo. Para ser claro, nenhum dos trabalhos de inteligência empresarial está relacionado às relações de trabalho”, acrescentou o porta-voz.

Fight for $15

O movimento Fight for $15 nasceu em 2012, com funcionários do McDonald’s de Nova York, EUA, deixando de trabalhar para conseguir uma remuneração mínima de US$ 15 por hora e o direito de formar um sindicato sem retaliação. O movimento se espalhou rapidamente pelos EUA, mobilizando milhares de trabalhadores da rede de fast-food em mais de 150 cidades norte-americanas para protestar e fazer greve.

Em 2014, milhares de manifestantes fecharam parcialmente a sede da empresa em Oak Brook, Illinois, encenando o maior protesto contra o McDonald’s de toda a sua história.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Nasa faz história com primeiro voo de helicóptero direto de Marte

A Agência Espacial dos EUA (NASA) conseguiu executar o primeiro vôo do helicóptero Ingenuity, um pequeno robôzinho voador que vai pairar pela atmosfera de Marte. A máquina conseguiu levantar aos ares do planeta vermelho nessa segunda-feira …

NASA lança telescópio para captar partículas da borda do Sistema Solar

Todo o Sistema Solar está à deriva em um aglomerado de nuvens, uma área limpa por antigas explosões de supernovas. Os astrônomos chamam essa região de Bolha Local. Uma nova missão da agência espacial norte-americana NASA …

Depressão pode ser diagnosticada com um simples exame de sangue

Um exame recém-desenvolvido que monitora biomarcadores sanguíneos ligados a distúrbios de humor poderia levar a novos métodos de diagnosticar e tratar a depressão e o transtorno bipolar, com um simples exame de sangue. Embora a depressão …

EUA aplicaram vacina contra covid-19 em mais da metade dos adultos

Governo americano afirma que quase 130 milhões de pessoas com mais de 18 anos receberam pelo menos uma dose do imunizante contra o coronavírus no país. Mais da metade de toda a população adulta dos Estados …

Covid: Variante acelera intubação de jovens e SP orienta procurar ajuda no 1º dia de sintomas

O avanço da variante P.1, descoberta em Manaus em janeiro, levou a cidade de São Paulo a mudar sua orientação para todos aqueles que forem infectados por coronavírus. Agora, eles devem procurar uma unidade de …

Nepal vê população de rinocerontes aumentar com queda de turismo por pandemia

O Nepal está vendo um crescimento em sua população de rinocerontes. O país abriga boa parte dos dos rinos com um chifre só e eles estão ameaçados de extinção. O país observou que, durante a pandemia …

"Estão matando Navalny na prisão", alertam amigos e médicos do opositor russo

Próximos do opositor russo Alexei Navalny estão extremamente preocupados com a degradação de seu estado de saúde. Doente e em greve de fome em uma colônia penitenciária perto de Moscou, amigos e médicos do …

Inteligência artificial usa esboços de Galileu e mostra como era o Sol em 1612

Com a tecnologia atual, os astrônomos conseguem ver o Sol em detalhes que Galileu Galilei sequer imaginaria existir. Hoje, podemos ver imagens que revelam as estruturas gigantes semelhantes a células do tamanho do estado do …

Cuba vira página histórica com despedida de Raúl Castro

Após mais de 60 anos, a era castrista em Cuba finalmente chega ao fim. Raúl Castro se despede aos 89 anos da política e renuncia ao cargo de presidente do partido no congresso do Partido …

Em SP, 51 pessoas recebem por engano vacina da covid-19, e não da gripe comum

Por engano, 51 pessoas receberam a vacina contra a COVID-19 em vez do imunizante contra a influenza, o vírus da gripe comum, no estado de São Paulo nesta semana. A maior parte destes casos aconteceu no …