Extinção ameaça um milhão de espécies, diz estudo

Nunca na história da Humanidade a natureza esteve em tamanho perigo, com um milhão de espécies de plantas e animais ameaçadas de extinção já nas próximas décadas, aponta um estudo divulgado nesta segunda-feira (06/05).

O relatório de 1.800 páginas foi elaborado pelas Nações Unidas, assinado por representantes de mais de 130 países e é considerado o mais abrangente já divulgado sobre o tema. “Estamos erodindo os fundamentos das nossas economias, meios de subsistência, segurança alimentar, saúde e qualidade de vida em todo o mundo”, diz Robert Watson, chefe da Plataforma Intergovernamental Científica e Política da Biodiversidade e Ecossistemas (IPBES), responsável pela coordenação do estudo.

Segundo o documento, as causas diretas da perda de espécies, em ordem de importância, são: o encolhimento do habitat e das mudanças no uso da terra; caça por alimentos ou comércio ilícito de partes do corpo de animais; as mudanças climáticas e a poluição.

“Há também dois grandes fatores indiretos de perda de biodiversidade e mudança climática – o número de pessoas no mundo e sua crescente capacidade de consumir”, diz Watson.

O relatório da IPBES alerta para “uma rápida aceleração iminente na taxa global de extinção de espécies”. O ritmo da perda “já é dezenas a centenas de vezes maior do que foi, em média, nos últimos 10 milhões de anos”. De acordo com o relatório das Nações Unidas, 75% do meio ambiente terrestre “foi severamente prejudicado” pelas atividades humanas, desde desmatamento, agricultura intensiva, pesca excessiva ou urbanização desenfreada, com 66% do ambiente marinho também afetado.

Meio milhão a um milhão de espécies estão ameaçadas de extinção, muitas em décadas, observa o estudo. Assim, muitos especialistas acreditam que o chamado evento de extinção em massa – apenas o sexto do último meio bilhão de anos – já está em andamento. O mais recente aconteceu no fim do período Cretáceo, cerca de 66 milhões de anos atrás, quando o choque de um asteroide de 10 quilômetros de diâmetro acabou com a maioria das formas de vida do planeta.

Os cientistas estimam que a Terra é hoje o lar de cerca de oito milhões de espécies distintas, a maioria delas insetos. Um quarto das espécies catalogadas de animais e plantas já está sendo ameaçado, comido ou envenenado.

Pelo menos 680 espécies com coluna vertebral já foram extintas desde 1960, e o relatório aponta que desapareceram 559 raças domesticadas de mamíferos usados para alimentação. Além disso, mais de 40% das espécies de anfíbios do mundo, mais de um terço dos mamíferos marinhos e cerca de um terço dos tubarões e peixes estão ameaçados de extinção. Essa primeira avaliação do ecossistema mundial nos últimos 15 anos foi adotada na reunião internacional, sob a égide da ONU, que reuniu em Paris até o último sábado cientistas e diplomatas de mais de 130 países.

O grupo de especialistas trabalhou durante três anos no relatório de 1.800 páginas que deve se tornar a verdadeira referência científica sobre a biodiversidade, assim como as conclusões do Painel Intergovernamental para as Mudanças Climáticas já são para o clima.

A perda acelerada de ar limpo, água potável, florestas que absorvem CO2, insetos polinizadores, peixes ricos em proteínas e manguezais bloqueadores de tempestades –para mencionar apenas alguns dos poucos serviços prestados pela natureza – não são menos ameaçadores do que as mudanças climáticas, diz o estudo.

“Precisamos reconhecer que as mudanças climáticas e a perda da biodiversidade são igualmente importantes, não apenas para o meio ambiente, mas também para questões econômicas e de desenvolvimento”, afirma Robert Watson, presidente do órgão que compilou o relatório.

“As provas são incontestáveis: a nossa destruição da biodiversidade e dos ecossistemas atingiu níveis que ameaçam o bem-estar da humanidade, pelo menos tanto quanto as alterações climáticas induzidas pelo homem”, explica Watson.

“A forma como produzimos nossos alimentos e energia está minando os serviços de regulação que recebemos da natureza”, completou Watson, acrescentando que apenas “mudanças transformadoras” podem conter os danos.

O documento das Nações Unidas destaca também que a qualidade de vida vai se degradar ainda mais entre os mais pobres e nas regiões onde vivem populações autóctones muito dependentes da natureza.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano

Pela primeira vez, uma mulher ocupará um cargo de alto nível no Vaticano. O Papa Francisco nomeou Francesca Di Giovanni para a função de vice-ministra da Secretaria de Estado da Santa Sé, órgão equivalente ao …

Khamenei chama Trump de "palhaço" e exalta ataque a bases dos EUA

Em primeiro sermão desde 2012, líder supremo do Irã afirma que Trump finge apoio ao povo iraniano e pede união após dizer que queda de avião foi "acidente trágico". EUA admitem que militares ficaram feridos. O …

Uma desconhecida explosão de ondas gravitacionais foi detectada na Terra

Os detectores de ondas gravitacionais da Terra, os observatórios LIGO e Virgo, identificaram uma misteriosa “explosão” de ondas gravitacionais não prevista na última terça-feira, 14 de janeiro. As ondas gravitacionais detectadas até hoje foram resultado de …

Twitter pede desculpas por permitir anúncios direcionados a neonazistas

O Twitter emitiu hoje (16), um pedido de desculpas público, logo após a BBC fazer uma denúncia de que a plataforma de anúncios da empresa estava permitindo o direcionamento de conteúdo para neonazistas e outros …

SP quer lei para incentivar uso de veículos híbridos e elétricos

Um novo projeto de lei apresentado em São Paulo pretende combater os problemas ambientais provocados pelos carros à combustão, que utilizam os tão poluentes combustíveis fósseis, através do incentivo ao uso de veículos elétricos ou …

Ataques iranianos teriam deixado 11 militares dos EUA feridos

Ao menos 11 militares norte-americanos foram retirados do Iraque para receberem tratamento médico em decorrência dos ataques iranianos contra as bases dos EUA. "Quando ficarem aptos para o serviço, estes militares regressarão ao Iraque", declarou à …

Evo recua e diz que não pretende mais criar milícias

Em carta pública divulgada nesta quinta-feira (16/01), o ex-presidente da Bolívia Evo Morales, que está refugiado na Argentina há mais de um mês, recuou da ideia de promover a formação de milícias no país. "Há alguns …

Dinossauros foram extintos por impacto de asteroide, defende pesquisa científica

O mistério que levou ao fim da era dos dinossauros motiva pesquisadores do mundo inteiro a debater o que teria provocado essa extinção. Um novo estudo busca descartar a teoria de que a atividade vulcânica …

Microsoft assume compromisso de ser uma empresa carbono negativo até 2030

A Microsoft fez uma transmissão ao vivo para contar ao mundo o seu engajamento com o meio ambiente, a fim de trazer um futuro mais sustentável. Em apresentação conduzida por Satya Nadella (CEO), Amy Hood (CFO) …

Marine Le Pen se lança em pré-campanha presidencial

A líder da extrema direita francesa, Marine Le Pen, anunciou nesta quinta-feira (16) o lançamento de sua campanha “pré-presidencial”. O pleito acontece apenas em 2022, mas a candidata derrotada no segundo turno em 2017, que enfrenta …