Família que não sente dor pode ser importante ajuda para a Medicina

(dr) repubblica.it

A família Marsili

Uma equipe de cientistas identificou uma mutação genética na família Marsili, na Itália, e tem esperança de que a descoberta consiga marcar a diferença no panorama das doenças crônicas.

Letizia Marsili, de 52 anos, nunca sentiu qualquer dor. Além de Letizia, a mãe, a irmã, a sobrinha e os dois filhos sofrem do mesmo problema. A insensibilidade não permite que sintam dor quando, por exemplo, se queimam ou fraturam um osso.

“No dia a dia, vivemos uma vida normal, talvez melhor do que a da restante população, porque muito raramente ficamos doentes ou sentimos dor“, diz Letizia à BBC.

Acredita-se que a causa da resistência à dor esteja relacionada com o mau funcionamento de alguns nervos do corpo. Apesar disso, o fenômeno de ausência de dor despertou interesse na comunidade científica.

Em um estudo publicado recentemente na revista Brain, um grupo de cientistas identificou uma mutação genética na família Marsili. A equipe espera que a descoberta possibilite a criação de novos analgésicos para pessoas que sofrem de doenças crônicas.

O problema – chamado de síndrome de Marsili – impossibilita o reconhecimento de uma queimadura, uma ferida ou uma fratura. No entanto, o que para uns seria um sonho, para a família se tornou um pesadelo.

Como explica Letizia, a dor é um importante sinal de alerta. Como não tem sensibilidade à dor, as fraturas passam muitas vezes despercebidas e causam inflamações nos ossos. No caso do filho mais velho, Ludovico, que é jogador de futebol, a condição é realmente preocupante.

“Meu filho raramente fica deitado no chão quando é derrubado por outro jogador. Apesar disso, tem muita fragilidade nos tornozelos e os exames de raios-X que fez recentemente mostram que tem várias microfraturas nos dois”, conta Letizia.

James Cox, cientista da University College London e líder do estudo, descobriu que os nervos da família “não funcionam como deveriam”. A equipe mapeou as proteínas no genoma de cada um dos seis membros da família e descobriu uma mutação no gene ZFHX2.

Depois de observarem a mutação, decidiram estudá-la em roedores e descobriram que os ratos criados sem o gene tinham sofrido uma alteração no limite da dor. O passo seguinte se baseou em desenvolver uma ninhada com a mutação genética e foi possível observar que os roedores dessa ninhada eram totalmente insensíveis a altas temperaturas.

“Com mais pesquisas para entender exatamente como a mutação altera a sensibilidade à dor e para entender quais outros genes podem estar envolvidos, podemos identificar novos alvos para o desenvolvimento de medicamentos”, afirmou a professora Anna Aloisi, professora da Universidade de Siena e participante do estudo.

Acredita-se que a família Marsili seja a única no mundo afetada pela mutação. Por isso, seu papel pode ser determinante no novo caminho que se abre, agora, no desenvolvimento de medicamentos para o alívio da dor.

Ciberia // BBC / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Índio vive sozinho há 22 anos na Amazônia; e está muito bem, obrigado

Foram registradas novas imagens do índio que vive sozinho há 22 anos, na Amazônia, depois de a comunidade a que pertencia ter sido dizimada em um ataque de fazendeiros. Segundo a TSF, o índio vive sozinho …

Israel e Hamas decidem cessar fogo

Israel e o Hamas acordaram um cessar-fogo, nesta sexta-feira (20), após a escalada de violência que provocou cinco mortos, anunciou um porta-voz do grupo islâmico. Em comunicado, o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhoum, atribuiu o cessar-fogo …

Dr. Bumbum e a mãe foram suspeitos por morte do namorado dela em 1997

O médico Denis Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, e sua mãe, Maria de Fátima Furtado, seguiram ao presídio José Frederico Marques, em Benfica, nesta sexta-feira (20). No entanto, a dupla também já foi suspeita de …

Maior eclipse do século poderá ser visto do Brasil

Na próxima sexta-feira, dia 27 de julho, o Brasil verá aquele que deve ser o mais longo eclipse lunar total do século 21. No país, o início da fase total do eclipse será às 16h30 …

Quando levam um copo d'água ao presidente da Comissão Europeia, "todos sabemos que é gin”

Um jornalista francês, um dos veteranos especialistas em assuntos europeus, levanta dúvidas sobre a capacidade de Jean-Claude Juncker governar, falando abertamente sobre o suposto “alcoolismo” do presidente da Comissão Europeia. “Quando um oficial de justiça traz …

Felicidade: a nova disciplina da Universidade de Brasília

Novidade na Universidade de Brasília (UnB): alunos vão estudar Felicidade, uma disciplina pioneira no Brasil! Sim, o curso mais procurado da Universidade de Yale, nos EUA, chegou ao país. A disciplina – que foi criada …

Governo quer garantir leilão de distribuidoras da Eletrobras para evitar liquidação

Após a decisão que autorizou o leilão de privatização das distribuidoras de energia da Eletrobras, o governo trabalha com a perspectiva de encerrar o processo até o final de agosto, para evitar uma eventual liquidação …

Bacon pode fazer muito mal à saúde mental

Um estudo recente concluiu que comer carne processada pode aumentar o risco de episódios maníacos em pessoas com distúrbios mentais. Uma pesquisa conduzida pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, concluiu que os pacientes que recebem …

Trump foi gravado discutindo pagamento a modelo da Playboy

O ex-advogado de longa data de Donald Trump Michael Cohen gravou em segredo uma discussão com ele sobre pagamentos a uma ex-modelo da "Playboy" que afirma ter tido um caso com o presidente americano. O advogado …

Comer antes de ir para a cama aumenta risco de câncer

Os famosos lanchinhos noturnos ou os jantares tardios podem aumentar o risco de câncer, de acordo com um novo estudo que mostra os danos causados pela interrupção do relógio interno do nosso corpo. Cientistas espanhóis descobriram …