Ruivas são geneticamente abençoadas com “superpoderes”

A sociedade nos confundiu ao longo do tempo. Até hoje, não sabíamos se ser ruivo era sinônimo de ser único ou, pelo contrário, estranho. Mas a ciência veio esclarecer a dúvida: ser ruivo é, afinal, “ter superpoderes”.

A escritora Erin La Rosa, no seu livro The Big Redhead Book: Inside the Secret Society of Red Hair, explica que nós não somos naturalmente atraídos por cabelos vermelhos, sendo a sociedade a principal responsável por nos impor mensagens contraditórias sobre como é ser ruivo (umas boas e outras más).

De acordo com a alphr, o livro da escritora e performer norte-americana revela uma série de fatos interessantes sobre as mulheres ruivas. A autora se dirige, inclusive, às mais novas como os “unicórnios do mundo humano”.

“Pensem nisto: nós, ruivos, somos raros (representamos apenas 2% da população mundial), somos lindos (olá, Jessica Chastain), e temos a capacidade de voar (exemplo disso é a família Weasley, em Harry Potter)”, escreve a autora.

Ainda assim, Erin considera que a natureza das ruivas é muito mais especial e não se resume a apenas estas curiosidades. No seu livro, a autora compila um conjunto de pesquisas que provam que as mulheres ruivas são culturalmente negligenciadas e que são cheias de qualidades genéticas.

Em um estudo de 2003, da Universidade de McGill, ficou provado que as mulheres ruivas têm limites de dor mais altos. Graças à mutação do gene MC1R, que é o responsável pela coloração do cabelo, conseguem suportar uma maior intensidade de dor, conseguindo tolerar até 25% mais dor do que as loiras ou as morenas.

A Universidade de Louisville também revelou em um estudo que é necessário 20% mais de dose de anestesia geral para que faça efeito em uma ruiva, enquanto uma morena pode precisar apenas de um pouco de Novocaína, um anestésico local injetável muito usado pelos dentistas. Isto significa que a mutação é, literalmente, um “superpoder”.

Em 2005, a mesma universidade chegou à conclusão que o gene MC1R pode reativar o gene de detecção da temperatura humana, tornando os ruivos mais sensíveis a variações térmicas. No livro, Erin explica que “sabe quando o inverno está chegando”.

Além disso, a mutação faz com que os ruivos necessitem de menos vitamina D, dado que são capazes de produzi-la em um curto espaço de tempo. Este é um “superpoder” vantajoso, já que os baixos níveis de vitamina D podem provocar raquitismo, diabetes e artrite.

As pesquisas provam, também, que a “superioridade” está bem presente na televisão norte-americana. Um relatório de 2014, da Upstream Analysis, concluiu que 30% dos anúncios televisivos nos EUA contam com uma mulher ruiva em um papel de destaque.

A rede televisiva CBS, dos EUA, afirmou também que a cada 106 segundos uma pessoa ruiva surge nas telas dos norte-americanos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …