Ruivas são geneticamente abençoadas com “superpoderes”

A sociedade nos confundiu ao longo do tempo. Até hoje, não sabíamos se ser ruivo era sinônimo de ser único ou, pelo contrário, estranho. Mas a ciência veio esclarecer a dúvida: ser ruivo é, afinal, “ter superpoderes”.

A escritora Erin La Rosa, no seu livro The Big Redhead Book: Inside the Secret Society of Red Hair, explica que nós não somos naturalmente atraídos por cabelos vermelhos, sendo a sociedade a principal responsável por nos impor mensagens contraditórias sobre como é ser ruivo (umas boas e outras más).

De acordo com a alphr, o livro da escritora e performer norte-americana revela uma série de fatos interessantes sobre as mulheres ruivas. A autora se dirige, inclusive, às mais novas como os “unicórnios do mundo humano”.

“Pensem nisto: nós, ruivos, somos raros (representamos apenas 2% da população mundial), somos lindos (olá, Jessica Chastain), e temos a capacidade de voar (exemplo disso é a família Weasley, em Harry Potter)”, escreve a autora.

Ainda assim, Erin considera que a natureza das ruivas é muito mais especial e não se resume a apenas estas curiosidades. No seu livro, a autora compila um conjunto de pesquisas que provam que as mulheres ruivas são culturalmente negligenciadas e que são cheias de qualidades genéticas.

Em um estudo de 2003, da Universidade de McGill, ficou provado que as mulheres ruivas têm limites de dor mais altos. Graças à mutação do gene MC1R, que é o responsável pela coloração do cabelo, conseguem suportar uma maior intensidade de dor, conseguindo tolerar até 25% mais dor do que as loiras ou as morenas.

A Universidade de Louisville também revelou em um estudo que é necessário 20% mais de dose de anestesia geral para que faça efeito em uma ruiva, enquanto uma morena pode precisar apenas de um pouco de Novocaína, um anestésico local injetável muito usado pelos dentistas. Isto significa que a mutação é, literalmente, um “superpoder”.

Em 2005, a mesma universidade chegou à conclusão que o gene MC1R pode reativar o gene de detecção da temperatura humana, tornando os ruivos mais sensíveis a variações térmicas. No livro, Erin explica que “sabe quando o inverno está chegando”.

Além disso, a mutação faz com que os ruivos necessitem de menos vitamina D, dado que são capazes de produzi-la em um curto espaço de tempo. Este é um “superpoder” vantajoso, já que os baixos níveis de vitamina D podem provocar raquitismo, diabetes e artrite.

As pesquisas provam, também, que a “superioridade” está bem presente na televisão norte-americana. Um relatório de 2014, da Upstream Analysis, concluiu que 30% dos anúncios televisivos nos EUA contam com uma mulher ruiva em um papel de destaque.

A rede televisiva CBS, dos EUA, afirmou também que a cada 106 segundos uma pessoa ruiva surge nas telas dos norte-americanos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Detergentes podem contribuir para excesso de peso em crianças

Os produtos habitualmente utilizados na limpeza da casa podem promover alterações na microbiota intestinal (antes conhecida por flora intestinal) e provocar o excesso de peso em crianças. A conclusão é de um novo estudo realizado …

Em nome da ciência, polvos tomaram ecstasy (e teve muito amor envolvido)

O que acontece quando um polvo consome drogas, mais precisamente ecstasy? Cientistas norte-americanos tiveram a oportunidade de descobrir. De acordo com o Science Alert, a equipe de pesquisadores deu MDMA, substância psicoativa também conhecida por ecstasy, …

Companhia austríaca cria método que transforma plástico em petróleo

A companhia petrolífera austríaca OMV apresentou nesta quinta-feira um inovador procedimento que permite a produção de petróleo a partir de resíduos de plástico (material fabricado a partir desse recurso natural). A inovadora tecnologia, batizada de ReOil, …

Múmia e amuletos divinos são descobertos no Egito

Um grupo de arqueólogos descobriu várias múmias antigas no Egito – incluindo os restos de um misterioso indivíduo extremamente bem conservado – em uma sepultura comum na margem oeste do Rio Nilo.  A tumba foi encontrado …

Em caso raro, mulher doa órgãos e transmite câncer a quatro pessoas

Quatro pessoas que receberam órgãos da mesma doadora desenvolveram posteriormente câncer de mama, revelou um novo estudo. O caso, que remota a 2007, representa uma situação extremamente rara. Rins, pulmões, fígado e coração foram retirados de …

Criatura “alienígena” é encontrada em praia na Nova Zelândia

Uma família neozelandesa passeava ao longo de uma praia no norte de Auckland quando encontrou uma bizarra criatura vermelha em forma de bolha. A criatura, que foi identificada como uma espécie específica de medusa, tem um …

Veneza quer proibir turistas de sentarem ou deitarem no chão

Veneza, famosa pelos seus canais, testemunhou um dilúvio de turistas nos últimos anos, que ultrapassa em muito a população residente e sobrecarrega a cidade. As autoridades da cidade italiana têm tomado várias medidas para travar …

Teia de aranha gigantesca cobre praia na Grécia

Um enorme teia de aranha com cerca de 300 metros cobriu uma área à beira-mar na cidade de Aitoliko, na região oeste da Grécia. A época de acasalamento das aranhas transformou a praia no pior …

Depois dos morangos, agulhas chegam às maçãs e bananas na Austrália

As autoridades australianas investigam mais de 100 casos por todo o país. Agora, além dos morangos, as agulhas também já chegaram a frutas como maçãs, bananas e mangas. A Austrália investiga uma série de casos misteriosos …

Proibição de doações empresariais não blinda política de interesses privados, afirma cientista político

Apesar da proibição do financiamento empresarial de campanhas, que vigora no país desde 2015 por força de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a classe empresarial continua engajada em diferentes candidaturas. Se, por um lado, …