Arqueólogos acreditam ter encontrado o lendário navio de James Cook

Archives New Zealand / Flickr

HMS Endeavour, navio da célebre viagem de James Cook

Um grupo de arqueólogos australianos e norte-americanos acredita ter localizado a área em que o Endeavour, navio que o explorador britânico James Cook usou em viagens à Austrália e à Nova Zelândia, teria afundado. Mais de dois séculos depois, o mistério pode estar desvendado.

De acordo com os pesquisadores, o navio naufragou em 1778 perto do porto de Newport, no estado de norte-americano de Rhode Island, anos depois de ter sido usado por Cook. “A equipe delimitou a possível área de naufrágio do Endeavour a um só local, o que é muito promissor”, disse o diretor do Australian National Maritime Museum, Kevin Sumption.

O navio naufragado foi encontrado graças à utilização de um sonar. Os mergulhadores vão agora fazer buscas mais precisas. “Será preciso muito mais trabalho, análise e pesquisa em detalhe até que possamos definitivamente dizer que encontramos o Endeavour de James Cook”, acrescentou Sumption em declarações à AFP.

Se confirmada a descoberta, os trabalhos arqueológicos devem começar no próximo ano e estar concluídos a tempo de assinalar os 250 anos da chegada de James Cook e da lendária embarcação à Austrália (em abril de 2020).

O Endeavour foi comprado pela marinha britânica em 1768 para uma missão científica no Oceano Pacífico, com objetivo de localizar o misterioso continente a sul do globo, conhecido então como Terra Australis.

Apesar de ser britânico, destaca o Sydney Morning Herald, os destroços que venham a ser encontrados são importantes para vários países – Estados Unidos, Inglaterra, Nova Zelândia e Austrália –, podendo levar a uma disputa a propósito do local onde os destroços deverão ser depositados.

O navio é conhecido principalmente pelas viagens do explorador britânico à Austrália e à Nova Zelândia. No porto de Darling, perto de Sydney, é possível ver uma réplica do navio. Depois que Cook o utilizou, a embarcação foi vendida e afundada com outros 12 navios, em 1778, durante a Guerra da Independência norte-americana.

As descobertas resultam de 25 anos de trabalho de pesquisa, em um trabalho conjunto entre o Museu Nacional Marítimo da Austrália e os arqueólogos da Marinha dos EUA.

Kathy Abbass, diretora do projeto, adiantou: “Podemos dizer que acreditamos saber qual dos barcos é o Endeavour. É empolgante. Estamos cada vez mais perto”, concluiu.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'O Gambito da Rainha': série da Netflix ignora sexismo no xadrez, diz ex-campeã

Existem várias cenas comoventes em O Gambito da Rainha, a série da Netflix que conta a história fictícia de Beth Harman, uma jovem prodígio do xadrez da década de 1960. Em uma delas, um jogador experiente …

Detectada "partícula fantasma" no Sol que confirma teoria da década de 1930

Uma equipe internacional de cientistas conseguiu, pela primeira vez, detectar diretamente a presença do ciclo carbono-nitrogênio-oxigênio (CNO) na fusão nuclear do Sol. Este ciclo representa uma das reações de fusão pelas quais as estrelas convertem hidrogênio …

Musk acertou? Tesla se aproxima dos US$ 500 bilhões de valor de mercado

Nesta segunda-feira (23), a Tesla atingiu o valor de mercado de US$ 498 bilhões. E isso em um momento em que não se sabe se a empresa vai conseguir atingir a sua meta de entregar …

Papai Noel é considerado 'trabalhador essencial' na Irlanda

Na mesma semana em que novas restrições de viagem foram colocadas em prática no Reino Unido e na Irlanda diante dos estragos causados pela segunda onda da pandemia de covid-19 na Europa, a Irlanda fez …

Especialistas da ONU advertem sobre viés racista em algoritmos

Os países devem fazer mais para combater o racismo, principalmente nos algoritmos de inteligência artificial utilizados para reconhecimento facial e controles policiais. Essas ferramentas podem reforçar discriminações, alertam especialistas da ONU. Segundo a especialista jamaicana …

Estudo de dentes de megalodonte revela segredos do tubarão de 18 metros

Especialistas em tubarões revelaram mais informações sobre um dos maiores predadores dos mares – o megalodonte. Nova pesquisa de dentes fossilizados da espécie Odotus megalodons, chamada também de megalodonte, sugere que os tubarões fêmeas desta espécie …

Escritor é alvo de censura e terá conta no Twitter suspensa por críticas contra Igreja Universal

O escritor J. P. Cuenca foi censurado por uma decisão judicial e terá sua conta do Twitter suspensa após o juiz da comarca de Campos dos Goytacazes (RJ), Ralph Machado Manhães Junior, acatar um pedido …

"Tesouro" espetacular de antigos artefatos de caça na Noruega é descoberto sob gelo derretido

Arqueólogos descobriram um “tesouro” de artefatos enquanto outra grande mancha de gelo derrete nas montanhas norueguesas, revelando um total de 68 flechas e muitos outros itens de um antigo local de caça de renas. As primeiras …

Não é mais 90%? AstraZeneca assume erro de eficácia da vacina da COVID-19

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford, que estão desenvolvendo juntas uma vacina contra a COVID-19, revelaram na última quarta-feira (25) que houve um erro no momento da divulgação dos resultados dos testes da vacina …

6G colocaria China em posição de liderança 'inatacável' sobre EUA, diz analista

Enquanto os padrões de tecnologia 5G para redes celulares de banda larga ainda estão sendo implementados em vários países, a China recentemente lançou um satélite 6G em órbita. Descrito como o primeiro satélite 6G do mundo, …