Arqueólogos acreditam ter encontrado o lendário navio de James Cook

Archives New Zealand / Flickr

HMS Endeavour, navio da célebre viagem de James Cook

Um grupo de arqueólogos australianos e norte-americanos acredita ter localizado a área em que o Endeavour, navio que o explorador britânico James Cook usou em viagens à Austrália e à Nova Zelândia, teria afundado. Mais de dois séculos depois, o mistério pode estar desvendado.

De acordo com os pesquisadores, o navio naufragou em 1778 perto do porto de Newport, no estado de norte-americano de Rhode Island, anos depois de ter sido usado por Cook. “A equipe delimitou a possível área de naufrágio do Endeavour a um só local, o que é muito promissor”, disse o diretor do Australian National Maritime Museum, Kevin Sumption.

O navio naufragado foi encontrado graças à utilização de um sonar. Os mergulhadores vão agora fazer buscas mais precisas. “Será preciso muito mais trabalho, análise e pesquisa em detalhe até que possamos definitivamente dizer que encontramos o Endeavour de James Cook”, acrescentou Sumption em declarações à AFP.

Se confirmada a descoberta, os trabalhos arqueológicos devem começar no próximo ano e estar concluídos a tempo de assinalar os 250 anos da chegada de James Cook e da lendária embarcação à Austrália (em abril de 2020).

O Endeavour foi comprado pela marinha britânica em 1768 para uma missão científica no Oceano Pacífico, com objetivo de localizar o misterioso continente a sul do globo, conhecido então como Terra Australis.

Apesar de ser britânico, destaca o Sydney Morning Herald, os destroços que venham a ser encontrados são importantes para vários países – Estados Unidos, Inglaterra, Nova Zelândia e Austrália –, podendo levar a uma disputa a propósito do local onde os destroços deverão ser depositados.

O navio é conhecido principalmente pelas viagens do explorador britânico à Austrália e à Nova Zelândia. No porto de Darling, perto de Sydney, é possível ver uma réplica do navio. Depois que Cook o utilizou, a embarcação foi vendida e afundada com outros 12 navios, em 1778, durante a Guerra da Independência norte-americana.

As descobertas resultam de 25 anos de trabalho de pesquisa, em um trabalho conjunto entre o Museu Nacional Marítimo da Austrália e os arqueólogos da Marinha dos EUA.

Kathy Abbass, diretora do projeto, adiantou: “Podemos dizer que acreditamos saber qual dos barcos é o Endeavour. É empolgante. Estamos cada vez mais perto”, concluiu.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …