França: Estudo com cães farejadores de coronavírus dá resultado preliminar surpreendente

Pixabay

Nas últimas três semanas, cerca de 20 cães farejadores do Corpo de Bombeiros e da polícia francesa, especializados em detectar explosivos ou drogas, foram treinados para identificar a presença do coronavírus no suor de pacientes com a Covid-19.

Os primeiros resultados surpreenderam o coordenador do estudo, o professor Dominique Granjean, da Escola Veterinária de Maison-Alfort, na região parisiense.

Alcançamos 100% de resultados positivos em algumas sessões“, disse o professor à rádio France Inter. Agora, o estudo entra na segunda fase e deve fornecer resultados conclusivos dentro de dez dias.

O objetivo da primeira etapa da pesquisa, iniciada no dia 23 de abril, era verificar se os cachorros habituados a identificar explosivos e drogas também tinham o faro sensível ao coronavírus. “Os resultados foram surpreendentes”, explicou o veterinário.

Inicialmente, os cães foram apresentados a amostras de suor de pacientes positivos à Covid-19 para despertar o olfato ao “cheiro” do novo vírus. Depois, o pesquisador organizou várias sessões nas quais colocava em uma sala apenas uma amostra positiva para o Sars-CoV-2 ao lado de várias outras negativas. A cada vez, o cão devia parar diante da amostra positiva para mostrar que havia farejado o vírus.

“Uma das nossas interrogações era saber se o coronavírus provoca um odor específico no suor do doente. Chegamos a sessões em que os cães acertavam em 100% das vezes a amostra contamidada pelo coronavírus”, revelou o professor Granjean.

“Ficou claro que os cães conseguem distinguir o cheiro da amostra positiva seja em relação a amostras negativas de suor ou sem nenhum traço de transpiração”, explicou.

A segunda fase do estudo, a partir desta semana, será de validação da experiência. Os cães terão de distinguir entre duas amostras, uma positiva e outra negativa.

O objetivo será verificar se o cachorro para diante do indício positivo, se ele late ou se senta quando fareja o coronavírus. Para o ensaio demonstrar sua eficácia, o cão deve latir sistematicamente quando estiver diante do indício positivo para a Covid-19 e não o confunda, em hipótese alguma, com uma amostra negativa.

Esta fase deve estar concluída dentro de dez dias, estima Grandjean. “Mas nunca se sabe, os cães, mesmo treinados, não são máquinas”, explica o veterinário, entusiasmado com a possibilidade de ver os farejadores se tornarem úteis para o diagnóstico do coronavírus.

Além da França, vários países estão testando cães para essa função, incluindo Brasil, Bélgica, Reino Unido e Estados Unidos.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …