Governo Bolsonaro quer entregar apenas parte de vídeo de reunião

Tânia Rêgo / Agência Brasil

Encontro em 22 de abril foi citado por Sergio Moro como evidência da pressão do presidente para mudar comando da PF. Supremo ordenou a entrega da íntegra do vídeo da reunião, sem cortes. Prazo esgota na sexta-feira.

A Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou nesta quinta-feira (07/05) um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para entregar apenas parte das gravações de uma reunião ministerial que ocorreu no dia 22 de abril. O encontro foi citado pelo ex-ministro Sergio Moro como uma evidência de que o presidente Jair Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal.

Esse foi o segundo pedido de reconsideração da AGU ao STF após o ministro Celso de Mello determinar que o Planalto tem 72 horas para entregar as gravações. Na quarta-feira, o órgão já havia pedido para que o ministro revertesse a decisão, alegando que na reunião foram tratados “assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado”. O prazo determinado pelo STF para que o presidente entregue a gravação acaba esta sexta-feira.

Desta vez, a AGU pede ao ministro que reconsidere “a ordem de entrega de cópia de eventuais registros audiovisuais de reunião presidencial ocorrida no dia 22 de abril de 2020, para que se restrinja apenas e tão-somente a eventuais elementos que sejam objeto do presente inquérito”. Ou seja, o governo afirma que quer entregar apenas a parte das conversas entre Moro e o presidente.

O pedido contraria Celso de Mello, que ordenou que o governo encaminhasse a íntegra do vídeo sem alterações ou edições. Mello ainda mandou que o governo preservasse “a integridade do conteúdo” da gravação e impedir “que os elementos nela contidos possam ser alterados, modificados ou, até mesmo, suprimidos”.

Diante da postura do governo, a defesa do ex-ministro Moro também acionou o STF e solicitou que Mello mantenha a ordem de entrega da íntegra das gravações.

Os advogados do ex-ministro argumentaram que mesmo que a reunião eventualmente tenha tratado de “assuntos de relevância nacional” não se pode impedir que a Justiça analise a íntegra da gravação.

“Eventuais colocações constrangedoras do Exmo. Presidente da República, passíveis de constatação durante esta reunião, sobre estes ou outros assuntos ali tratados, não são motivos aptos a impedir o atendimento da determinação de Vossa Excelência, pois não se revelam ‘segredo de Estado’ (como referido pela AGU, que estejam ligados, por exemplo, às Relações Exteriores), estes sim, uma vez detectados no exame a ser realizado por Vossa Excelência sobre os tais registros audiovisuais, passíveis de proteção através de sigilo parcial”, apontaram os advogados no documento.

A entrega do vídeo é mais um capítulo da crise provocada pela saída de Moro do governo. O caso teve início em 24 de abril, quando o ex-juiz deixou a pasta da Justiça após 16 meses turbulentos como membro do governo Bolsonaro. Ao sair, Moro acusou o presidente de interferir na chefia da Polícia Federal, corporação subordinada ao Ministério da Justiça. O estopim foi a exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral sem o consentimento de Moro.

No lugar de Valeixo, Bolsonaro tentou nomear o delegado Alexandre Ramagem, um amigo dos filhos do presidente. A nomeação foi barrada pelo Supremo. No lugar, Bolsonaro nomeou um indicado de Ramagem, Rolando Alexandre de Souza, que imediatamente trocou a chefia da PF no Rio de Janeiro, estado que é reduto do clã do presidente e que concentra investigações de interesse do círculo de Bolsonaro.

Em depoimento à PF, Moro descreve que o presidente o pressionou para mudar o comando no Rio. “Moro, você tem 27 superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro”, escreveu Bolsonaro a Moro em mensagem de WhatsApp, segundo declarou o ex-ministro em depoimento.

Moro ainda mencionou a reunião ministerial de 22 de abril em seu depoimento. O procurador-geral da República, Augusto Aras, já solicitou ao STF depoimentos de outros ministros que estiveram na reunião: Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno Ribeiro Pereira (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência) e Walter Souza Braga Netto (Casa Civil).

Na ocasião, segundo Moro, o presidente cobrou tanto a substituição do superintendente da PF no Rio e de Valeixo da chefia da PF.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …