A Humanidade atingiu o pico de aptidão física

Se esta nova pesquisa estiver correta, a aptidão física atual dos humanos pode ser o melhor que a humanidade deve alcançar. De acordo com o estudo, os humanos têm limitações biológicas e pode não haver melhorias para a espécie.

Segundo a Science Alert, a culpa de não haver melhorias em termos físicos para a espécie humana é nossa: a poluição e as mudanças climáticas têm tido um impacto negativo nos limites biológicos.

Uma equipe multidisciplinar liderada pelo físico Jean-François Toussaint da Universidade de Descares em Paris conduziu uma revisão a 160 estudos de 120 anos. A pesquisa aprofundou a longevidade, a performance atlética dos humanos, as tendências de altura ao longo do tempo e o ambiente.

Com isso, a revisão concluiu que o tempo de vida, a performance física e a altura – que estavam em constante aumento durante o século XX – têm estacionado durante as últimas três décadas, desde metade de 1980.

“Estes traços já não aumentam, apesar do contínuo progresso médico, nutricional e científico. O que sugere que as sociedades modernas têm permitido que a nossa espécie chegue ao limite”, explicou Toussaint.

A revisão só foi possível agora. Os registros médicos e esportivos confiáveis, assim como a habilidade de medir com precisão coisas como o desempenho físico, só se tornou disponível durante o último século – e só agora, quando já temos mais de um século de registros, podemos analisá-los para observar as tendências.

Espera-se que os efeitos desta plenitude se manifeste em mais pessoas a atingir o limite e menos pessoas a quebrar recordes: prevê-se que o número de pessoas a ultrapassar o limite da expectativa de vida ou a quebrar recordes esportivos diminua.

Na verdade, já é até possível observar esses efeitos. Ninguém ainda conseguiu transpôr a marca dos 122 anos e 164 dias traçada por Jeanne Calment, em 1997. E ninguém ainda bateu o famoso recorde de Usain Bolt do sprint de 100 metros, em 2008.

Apesar disso, em alguns locais é possível ver as estatísticas médias de saúde e altura aumentar, mas em certas partes da África, pelo contrário, as alturas médias começam a diminuir, indicando nutrição insuficiente.

Os pesquisadores também relacionam a poluição com o baixo peso no nascimento, fraca saúde e menor expectativa de vida. As mudanças climáticas também estão ligadas à propagação de doenças, como a malária.

Estes fatores podem contribuir para impedir que os humanos cheguem ao seu limite no que toca ao fitness ou expectativa de vida.

“Observar tendências em decréscimo pode fornecer um sinal inicial de que algo está mudando e não é para melhor“, explicou Toussaint. “O atual declínio nas capacidades humanas que conseguimos ver hoje são um sinal de que as mudanças climáticas já estão contribuindo para as crescentes restrições que agora estamos considerando”.

Mas, otimisticamente, o cientista nota que agora existem algumas ideias sobre o que os limites máximos são. E se as análises estiverem corretas, os governos de todo o mundo podem começar a trabalhar para chegar aos mais elevados valores para as populações.

“Com as crescentes restrições ambientais, cada vez mais energia e investimento serão gastos para equilibrar as crescentes pressões dos ecossistemas. No entanto, se bem sucedido, deveremos observar um aumento nos valores médios de altura, vida útil e na maioria de biomarcadores humanos”, concluiu.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …

Pentágono confirma que 7 colombianos presos no Haiti passaram por treinamento militar nos EUA

Pentágono revelou que sete dos ex-militares colombianos acusados de assassinar o presidente haitiano Jovenel Moïse receberam treinamento nos EUA enquanto estavam no serviço militar colombiano. Além disso, os militares participaram de um programa de elite do …