Extinção da Humanidade seria “mutuamente benéfica”: para a natureza – e para os próprios humanos

O ativista norte-americano Les U. Knight defendeu no sábado (11), em entrevista à agência de notícias portuguesa Lusa, que a extinção da espécie humana seria “mutuamente benéfica” para a Humanidade e para a Natureza.

O fundador do Movimento para a Extinção Voluntária da Espécie Humana (VHEMT) apresentou o conceito na sexta-feira (10), no Fórum do Futuro, realizado no Porto (norte de Portugal), e apontou o “benefício mútuo” para a Natureza, que tem sofrido com “a drenagem de recursos pelos humanos”, e da própria espécie.

Tanto o planeta como os humanos beneficiariam muito se nós parássemos de procriar ou pelo menos reduzíssemos muito a reprodução”, disse, reforçando que a ideia seria “uma redução pacífica”.

O norte-americano, que participou no Fórum do Futuro no âmbito de uma parceria com a companhia de teatro portuguesa Mala Voadora, fundou o VHEMT em 1991.

O professor e ativista explicou que chegou à ideia por ter testemunhado “em primeira mão vários casos de destruição do meio ambiente” e que nos últimos 26 anos tem procurado “difundir de todas as formas possíveis” a ideia de que os humanos estariam muito melhor se fossem muito menos.

O objetivo principal é “reenquadrar duas formas de olhar para o mundo”: a primeira sendo a forma como pensar em não reproduzir parece algo impensável, porque “a maior parte das pessoas assume simplesmente que é o que vão fazer na vida”, e a outra “a supremacia humana na biosfera”, porque ao aceitar a extinção da espécie humana talvez se pense “melhor na extinção das outras espécies”.

Se os humanos se consideram “parte da Natureza”, têm nela um impacto negativo, uma vez que “onde habita um humano, normalmente não vive mais nada”.

“Isso não teria mal se não estivéssemos a expandir esse espaço de habitação e extinguindo os habitats naturais, o que é uma das causas principais para a extinção de espécies”, comentou.

Na opinião de Knight, que também trabalha como professor, “não só o sistema de educação como toda a cultura” está influenciada “pela propaganda natalista”, “tão profunda no condicionamento de cada um que quase não se nota”.

O aquecimento global e as mudanças climáticas, bem como a mudança no panorama político internacional, trouxeram “um sentido de urgência maior em relação ao meio ambiente”, argumentou, porque “se percebe o quão rápido pode ser desfeito o trabalho de décadas no que toca ao meio ambiente e à liberdade reprodutiva, que tem sido reprimida”.

Entre os fatores que levaram a um aumento da repressão sobre a liberdade reprodutiva está o machismo e o patriarcado, que tem “um peso enorme” e que atrasa “os enormes passos em frente com a igualdade de gênero”, o que pode ser minimizado com “educação para mulheres e tudo o que é necessário para que as pessoas possam tomar decisões fundamentadas”.

Na opinião do ativista, a natalidade vai baixar no futuro, em parte devido ao aumento da liberdade reprodutiva, mas também devido ao “maior acesso a informação”.

Les U. Knight dedicou-se à causa como o trabalho de uma vida com o objetivo de “difundir a ideia e o movimento”, usando às vezes “um pouco de humor para ajudar a passar a mensagem”, apesar de não se fixar no objetivo da extinção da raça humana, baseando-se antes “na capacidade de fazer refletir” e conseguir, no futuro, “ver uma redução no número de pessoas sem que tenha havido uma causa desastrosa”.

“Como professor, estou habituado a trabalhar todos os dias sem ver resultados tangíveis. Eu sei que é um processo. Sei que não vou ver o dia em que a espécie humana estará extinta”, referiu, explicando que o objetivo é “tão a longo prazo” que procura antes transmitir o conceito ao maior número de pessoas possível.

Segundo o fundador do movimento, “muitas pessoas estão chegando a esta ideia por si”, pelo que estima que “cerca de 3 milhões de pessoas chegaram ao conceito”, que, reforça, “não quer banir ninguém, mesmo quem já teve filhos”, e que as inclui “em uma ideia quase de ficção científica, porque não se convencem 7 bilhões de pessoas”, a intenção é “contrariar a ideia de que só é bom se formos mais”.

“Temos um adesivo para carros que diz: ‘Que possamos viver muito e desaparecer’, e isso resume o nosso movimento, é como um lema não oficial”, concluiu.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China exorta Trump a não abrir 'caixa de Pandora' com aquisição do TikTok

China apela aos EUA que não abram a caixa de Pandora, exigindo vender a companhia TikTok, eles serão os próprios culpados pelas consequências, declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin. O presidente …

Twitter bloqueia conta oficial de campanha de Trump

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (5) ter bloqueado temporariamente a conta oficial da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por conta de um tuíte que continha informação equivocada sobre a …

Líbano inicia luto nacional e recebe ajuda internacional

Diversos países enviam suprimentos médicos a Beirute. Presidente da França chega ao Líbano para avaliar situação. Megaexplosão deixou ao menos 137 mortos, incluindo diplomata alemão, e mais de 5 mil feridos. Beirute amanheceu nesta quinta-feira (06/08) …

StarShip finalmente levanta voo: a nave que um dia levará cem humanos para Marte e Lua

A SpaceX fez um lançamento de teste com sucesso do seu gigantesco protótipo do StarShip SN5 em Boca Chica, Texas (EUA), a uma altura planejada de 150 metros. A massiva torre de aço inoxidável flutuou no …

EUA conduzem lançamento de teste do míssil balístico Minuteman III

O projétil não tinha ogiva de combate, mas era equipado com três veículos recuperáveis que foram submetidos a testes. Militares dos EUA lançaram na manhã desta terça-feira (4) um míssil balístico Minuteman III a partir da …

Beirute soma mais de 100 mortos e 4000 feridos após explosões

O Líbano vive nesta quarta-feira (5) um dia de luto nacional, após as explosões na região portuária de Beirute, na tarde de ontem. A tragédia soma pelo menos 100 mortos, 4.000 feridos e 300.000 …

Mensagem na areia salva marinheiros desaparecidos no Oceano Pacífico

Trio de marinheiros que havia se desviado de rota e ficado sem combustível foi localizado numa pequena ilha da Micronésia após três dias. Aeronaves avistaram sinal gigante de SOS escrito na areia da praia. Três homens …

Problemas cardíacos duradouros se apresentam em 78% dos pacientes de coronavírus

O entusiastas do retorno da economia para a normalidade defendem suas opiniões geralmente com base no fato da maioria dos pacientes exibirem sintomas leves ou sequer ter qualquer sintoma de coronavírus, comparando negligentemente o Covid-19 …

Governo britânico vai pagar parte da conta de consumo em pubs e restaurantes

Incentivos não vão faltar para quem estava com saudades de frequentar bares, pubs e restaurantes no Reino Unido. Durante o mês de agosto, o governo britânico vai bancar parte da conta de quem sair …

Cientistas revelam origem de estranhos meteoritos encontrados na Terra

Uma equipe de cientistas norte-americanos teoriza que alguns dos meteoritos, que não se encaixam nas duas categorias principais, têm uma origem até hoje desconhecida por astrônomos. Um grupo significante de meteoritos, que existem hoje na Terra, …