Estudo revela que as bactérias percebem o ambiente como os humanos

As bactérias, assim como os seres humanos, sentem o ambiente, uma descoberta que pode levar ao desenvolvimento de melhores medicamentos contra infecções bacterianas, revelaram cientistas da Universidade do Colorado, em Boulder, nos Estados Unidos.

A descoberta, divulgada nesta quarta-feira (16) e considerada “a primeira observação documentada” do sentido do tato em bactérias individuais, é o resultado de um estudo realizado com bactérias Escherichia coli.

Segundo Giancarlo Bruni, do Departamento de Biologia Molecular, Celular e de Desenvolvimento da universidade, tanto as bactérias como os humanos utilizam pequenos impulsos elétricos gerados por íons de cálcio para transmitir informação do ambiente ao sistema nervoso e sensorial (ou seu equivalente bacteriano).

“Os humanos e as bactérias não são assim tão diferentes”, afirmou Bruni no estudo publicado na revista especializada Proceedings of the National Academy of Sciences, realizado com Joel Kralj, Andrew Weekley e Benjamin Dodd.

Os cientistas já sabiam que as bactérias reagem ao ambiente e se comportam de maneira distinta caso, por exemplo, tenham acesso ou não ao açúcar, ou se estiverem sobre uma superfície rígida ou macia, mas o novo estudo percebeu que as bactérias também “sentem” o que está ao redor.

Para comprovar isso, Bruni e os colegas colocaram as bactérias dentro de uma superfície pegajosa e as observaram com um microscópio. Se nada tocasse nas bactérias, estas se mantinham estáticas. Quando eram tocadas ou empurradas, “acendiam”, ou seja, emitiam uma luz tênue indicando que estavam usando eletricidade para transmitir informação.

“Acreditamos que as bactérias usam esses sinais elétricos para modificar seu estilo de vida”, explicou o professor Kralj, do Instituto BioFrontiers.

Isto significa que as bactérias e os humanos compartilham de “uma ferramenta comum para sentir o ambiente ao redor”, e os sinais elétricos e as origens do sistema neurológico humano, a partir de uma perspectiva evolutiva, remontam a “milhares de milhões de anos”, já que bactérias estão presentes entre os organismos mais antigos do planeta.

Mas também quer dizer que a “ferramenta comum” pode ser usada contra as bactérias, já que é exatamente essa ferramenta que faz com que certas bactérias sobrevivam aos antibióticos. Por isso, o passo seguinte do estudo, segundo os pesquisadores, será determinar de que maneira as bactérias usam seus impulsos elétricos para infectar as células humanas.

“Se bloquearmos a atividade elétrica da bactéria, talvez elas tenham menos chances de infectar, basicamente, porque não saberão onde estão e, portanto, não saberão como agir”, afirmou Kralj.

EFE // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …