A partir da Síria, Irã lança ataque contra Israel – que revida

Youssef Badawi / EPA

As forças sírias dizem ter conseguido interceptar um ataque massivo de mísseis israelenses lançados sobre Damasco

As forças iranianas na Síria dispararam na noite desta quarta-feira (9) duas dezenas de mísseis contra as forças israelenses na parte dos montes Golã, ocupada por Israel, declarou o exército do país.

Os projéteis, quatro dos quais foram interceptados pelo sistema de defesa antimíssil israelense, não causaram vítimas, indicou aos jornalistas o porta-voz do exército do país, o tenente-coronel Jonathan Conricus.

De acordo com o The Times of Israel, citado pela Sputnik News, os habitantes da região foram instruídos a procurar abrigo, havendo relatos de que a população ouviu explosões  que se repetiram várias vezes.

O porta-voz adiantou que os mísseis foram disparados pouco depois da meia-noite por homens da Força Al-Quds, da Guarda Revolucionária iraniana, sobre as linhas da frente do exército israelense nos montes Golã.

Sabemos que isso vem da Força Al-Quds“, disse Conricus, adiantando que “o exército israelense vê esse ataque iraniano contra Israel com grande severidade”.

O ataque ocorre em um contexto de forte tensão entre israelenses e iranianos, após várias operações atribuídas ao exército israelense contra os interesses iranianos na Síria.

Um ataque na noite de terça-feira (8) com mísseis “provavelmente israelenses” perto de Damasco matou 15 combatentes estrangeiros pró-regime, entre os quais oito iranianos, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que indicou: o alvo foi um depósito de armas pertencente aos Guardas da Revolução do Irã, força de elite do regime.

Antes, o exército israelense tinha informado que Israel se encontrava em “alerta máximo” frente ao risco de um ataque na zona dos montes Golã – território sírio ocupado e anexado pelo Estado hebreu –, “após identificar atividade irregular das forças iranianas na Síria”.

Os confrontos surgiram depois do anúncio de Donald Trump de que os EUA iriam abandonar o acordo nuclear com o Irã, que baixava as sanções econômicas aplicadas ao país em troca de o Irã não desenvolver armas nucleares.

Israel ataca dezenas de alvos iranianos na Síria

Israel atacou ao longo da noite de quarta-feira dezenas de alvos militares do Irã na Síria, após o ataque com 20 mísseis lançados pelo exército iraniano, anunciaram fontes militares.

“Atacamos dezenas de alvos militares na Síria”, disse a um grupo de jornalistas o porta-voz militar Jonathan Conricus, que adiantou: as forças israelenses que estiveram em operação “várias semanas, quase um mês, conseguiram frustrar vários ataques iranianos”.

“O ataque da noite passada foi um dos mais graves da Força Al-Quds da Guarda Revolucionária contra a soberania israelense. Foi ordenado e comandado pelo general Soleimani e não atingiu seus objetivos”, acrescentou.

Nenhum dos 20 mísseis do tipo Grad e Fajr lançados contra Israel caíram no país. Quatro deles foram interceptados e os restantes caíram na Síria.

O ataque iraniano foi lançado dos arredores de Damasco, a cerca de 30 ou 40 quilômetros da fronteira, e “foi muito grave” apesar de não ter deixado vítimas, provocando apenas danos materiais.

A operação israelense de ontem à noite “é uma das maiores realizadas pela Força Aérea nos últimos anos e a maior contra alvos iranianos. Foram atacados dezenas de alvos: centros de inteligência, bases militares, armazéns, mísseis balísticos e um veículo que servia como plataforma de lançamento de mísseis”.

“Estamos focados em destruir as capacidades iranianas na Síria, mas não em ferir as pessoas. Destruímos um trabalho de meses do Irã por lá”, afirmou Conricus, confirmando que “todos os alvos atacados foram destruídos e os aviões voltaram sem danos”.

Isso é algo que tínhamos previsto, mas a Inteligência e a Força Aérea e outras forças foram capazes de minimizar os danos” e, embora tenha advertido a Síria para não intervir, os aviões de combate enfrentaram “fogo em massa das defesas antiaéreas” sírias.

Entre os alvos na Síria atacados por Israel estão centros de inteligência associados ao Irã e o Eixo Radical, uma sede de logística da Força Quds, instalação militar logística em Al Kiswa, o complexo militar iraniano a norte de Damasco, bem como armazéns de munição da Força Quds no aeroporto da capital síria.

Também foram destruídos sistemas de inteligência e postos associados com a Força Quds, postos de observação militar e de munição na região da fronteira e um lançador iraniano, de onde saíram os mísseis em direção a Israel.

As autoridades decidiram que a vida civil no território ocupado dos montes Golã continuará normalmente, pelo que haverá aulas e trabalho, pedindo, no entanto, aos cidadãos que se mantenham em alerta.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …