O Japão já ganhou a Copa (pelo menos no que toca a dar o exemplo)

Francis R. Malasig / EPA

Os torcedores japoneses têm dado o exemplo na Copa da Rússia por recolherem o lixo no final dos jogos

Os japoneses têm dado o exemplo nesta Copa da Rússia por recolherem seu lixo no final dos jogos. Torcedores de outras seleções, como o Senegal e o Brasil, já seguem os mesmos passos.

Mamoru e Paroshi, dois torcedores do Japão, olham um para o outro e riem antes de responder à pergunta que se tornou frequente desde que a Copa da Rússia começou: “por que os japoneses recolhem o próprio lixo?”

“É a cultura japonesa”, dizem ambos, quando confrontados com o episódio no final do jogo contra a Colômbia na Arena Mordovia, em Saransk, que venceram por 2-1, que chocou meio mundo.

O civismo dos japoneses rapidamente se tornou viral, não só nas redes sociais como também entre a imprensa mundial. Felizmente, a prática tem ganhado seguidores e, agora, até torcedores de outras seleções, como o Senegal e Brasil, já foram vistos fazendo a mesma coisa.

Para os japoneses, é estranho que as pessoas estejam tão surpreendidas. “Nós sujamos, nós limpamos. Isso é normal no Japão“, diz Mamoru. E, como diz o provérbio que dá vida à tradição, “não jogue terra no poço que dá água”.

Mais do que uma prática que acontece nos estádios de futebol russos, essa é uma filosofia japonesa, passada de geração em geração, conhecida por “souji” (a palavra tem vários significados, mas pode ser traduzida por uma bem simples de entender: “limpeza”).

Currículo escolar

Nas escolas japonesas, as crianças estão responsáveis por realizar certas tarefas como, por exemplo, limpar banheiros, varrer o chão ou lavar a louça, em um sistema rotativo coordenado pelos professores. O objetivo é ensinar os estudantes a terem cuidado com os espaços públicos que frequentam.

“Aprendemos desde cedo que é fácil levar esse hábito para onde quer que vamos“, explica Chikako Ehara, outro torcedor da seleção da Terra do Sol Nascente.

Já na Copa do Brasil, em 2014, o hábito japonês de recolher o próprio lixo já tinha sido notado porque os torcedores iam para os estádios preparados para limpar tudo antes de saírem. Durante a maior parte dos jogos, os sacos de lixo azuis eram improvisados a partir de balões usados para torcer pela equipe.

Mamoru explica que não é preciso muita organização para fazer isso acontecer. Basta que cada um limpe a área em sua volta. “É também uma forma de sermos respeitosos com os anfitriões”, afirma.

“Para nós, é uma honra que outros países também estejam fazendo o ‘souji’. Esperamos que outros torcedores se inspirem a fazer o mesmo”, diz ainda Chikako.

Prática errada?

No entanto, a limpeza dos estádios feita pelos torcedores tem gerado outro debate. No Japão, há quem diga que fazer o “souji” fora de casa significa interferir na cultura dos outros países.

Em um artigo publicado em 2014, o escritor japonês Mayumi Matsumoto, que vive em Londres, questionou se a prática não seria, na verdade, desrespeitosa para outras culturas e questionou mesmo se não poderia gerar perda de empregos.

“Não devemos desprezar as pessoas de outros países que não fazem a limpeza em eventos esportivos. Essas pessoas estão se comportando da forma que é natural para elas. E temos que pensar nas pessoas que precisam de emprego nos países mais pobres”.

Por enquanto, na Copa da Rússia, o “souji” está claramente ganhando o debate.

Ciberia // BBC / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas revelam nova razão que explica dependência do álcool

De acordo com um novo estudo, a dependência do álcool tem uma relação direta com as mudanças climáticas: quanto mais frio é o clima e menos incidência de sol, mais as pessoas tendem a consumir …

Cientistas encontraram pássaro que é três espécies em uma só

Cientistas encontraram um pássaro incomum na Pensilvânia, que guarda um incrível segredo genético: a toutinegra é o híbrido de três espécies diferentes de pássaros. Uma equipe de cientistas encontrou um pássaro incomum na Pensilvânia, cuja mãe …

Hitler abraçou uma menina judia; 85 anos depois, a foto foi a leilão

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazista ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por …

No deserto mais seco do mundo, a chuva mata

No deserto mais seco e mais antigo da Terra, as coisas não funcionam da mesma maneira que em outros lugares. A água, por exemplo, não é uma bênção. No deserto do Atacama, no Chile, as …

CIA pensou em usar “soro da verdade” nos interrogatórios do 11 de setembro

O “Projeto Medicação” foi posto de lado em 2003, mas, até lá, os médicos da CIA estudaram a hipótese de substituir as violentas técnicas de interrogatório pelo uso de um “soro da verdade” que fizesse …

Distração de professora provoca ferimentos em 40 crianças na China

A distração de uma professora que se esqueceu de apagar uma luz ultravioleta em uma escola de Tianjin, perto de Pequim, causou ferimentos e queimaduras em mais de 40 crianças, informou nesta sexta-feira a imprensa …

Hábito diário pode ajudar a prever morte prematura

A velocidade com que caminhamos fornece muitas pistas sobre o nosso estado de saúde e pode mesmo ajudar a prever uma morte prematura.  Segundo um novo estudo, realizado o por cientistas da Universidade do Sul …

Assassino de John Lennon sente “mais vergonha” a cada dia que passa

Mark David Chapman, que assassinou John Lennon em 1980, disse a um conselho de condicional que se sente “mais e mais envergonhado” a cada ano que passa por ter assassinado o ex-Beatle. “Há 30 anos, eu …

Submarino argentino ARA San Juan é achado um ano após ter desaparecido com 44 tripulantes

A carcaça do submarino argentino Ara San Juan, desaparecido desde 15 de novembro de 2017 com 44 tripulantes a bordo, foi localizada no fundo do oceano Atlântico, a 800 metros de profundidade, a leste da …

Cientistas determinam qual foi o pior período na história da humanidade

Cientistas americanos chegaram à conclusão de que em 536 d.C., "um dos períodos mais terríveis" começou na história da humanidade. Segundo o historiador medieval Michael McCormick, arqueólogo da Universidade de Harvard, um "nevoeiro misterioso" caiu sobre a …