Kremlin nega ter envenenado opositor de Putin

varfolomeev / Flickr

Manifestação de apoio a Alexei Navalny (ao centro)

O governo da Rússia rechaçou nesta quinta-feira (03/09) as alegações de possível envolvimento no caso Alexei Navalny, um dos principais opositores do Kremlin, que foi envenenado e atualmente está na Alemanha.

Na quarta-feira, a Alemanha havia divulgado a comprovação “de modo inequívoco” da presença de um agente químico neurotóxico do grupo de agentes novichok no corpo de Navalny.

Não há razão para censurar o Estado russo“, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, segundo a agência russa Tass. Segundo Peskov, o caso não beneficiaria ninguém. “Eu não acho que isso [o envenenamento de Navalny] seja útil para ninguém, se você olhar sobriamente para o que aconteceu.”

O porta-voz do governo russo afirmou que não vê razão para eventuais sanções contra a Rússia ou o projeto do gasoduto Nord Stream 2 (entenda) no Mar Báltico.

Os países da União Europeia (UE) começaram a discutir uma resposta ao envenenamento de Navalny, mas alertaram que ainda é muito cedo para impor sanções até que uma investigação identifique culpados.

Berlim comunicou os outros 26 Estados-membros da UE sobre os estado de Navalny e as descobertas em relação ao agente neurotóxico. O porta-voz da diplomacia da UE, Peter Stano, pediu uma investigação transparente por parte de Moscou, que se disse disposta a cooperar.

“Queremos que os responsáveis sejam levados à Justiça, mas para isso a investigação precisa ser lançada e deve trazer resultados”, disse Stano, em Bruxelas, quando questionado se poderia haver sanções em retaliação. “Ainda não chegamos lá, então é difícil falar em punição se não tivermos o responsável.”

O agente químico neurotóxico usado para envenenar Navalny faz parte da mesma série de agentes novichok desenvolvidos pela União Soviética e usado, por exemplo, contra o ex-agente duplo Sergei Skripal, morto na Inglaterra em 2018.

Navalny, de 44 anos, é um dos maiores críticos do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Aliados do opositor afirmam que o Kremlin quer eliminar o político.

Navalny adoeceu enquanto voava de Moscou para a cidade siberiana de Tomsk, em 20 de agosto. A aeronave precisou fazer um pouso de emergência, e o ativista foi levado ao hospital. Ele estava a caminho de Tomsk para realizar pesquisas para seu fundo anticorrupção, mas também para acompanhar as eleições regionais.

Em 22 de agosto, ele foi transportado para a Alemanha a pedido de sua família. Navalny está em coma induzido, mas em estado considerado estável, no Hospital Universitário Charité, em Berlim.

Inicialmente, os médicos russos haviam vetado o traslado do ativista, alegando que seu estado crítico de saúde não permitia a remoção. Apoiadores de Navalny denunciaram a recusa como uma tentativa do governo russo de protelar a transferência até que indícios de envenenamento não pudessem mais ser rastreados em seu corpo.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …