França aprova projeto de lei que prevê punir filmagem de policiais em ação

Deputados franceses aprovaram nesta terça-feira (24), em primeira leitura, o polêmico projeto de lei sobre a “segurança global”, que prevê punir a gravação e divulgação de policiais em ação. O texto será votado pelo Senado em janeiro de 2021.

O texto apresentado pelo partido governista A República em Marcha (LREM) e seu aliado Agir foi adotado por 388 votos a favor, 104 contra e 66 abstenções. Todos os deputados de esquerda votaram contra, denunciando “um ataque às liberdades”.

O projeto de lei trata da segurança geral na França, abrangendo questões que vão deste a polícia municipal até a segurança privada. O texto também deverá permitir o uso de drones pela polícia para registrar manifestações e reconhecimento facial pelas câmeras de vídeo de policiais, entre outras medidas. No entanto, é o polêmico artigo 24 que mobiliza a opinião pública nos últimos dias. Ele pode punir a captação e a difusão de imagens de forças de segurança em ação.

O objetivo, segundo os deputados governistas, seria “proteger aqueles que nos protegem”, evitando que gravações de policiais sejam publicadas nas redes sociais e utilizadas para identificá-los.

O texto prevê a pena de um ano de prisão e € 45 mil de multa caso imagens das forças de ordem em ação possam ser utilizadas para algum tipo de “ataque à integridade física e moral”.

Ataque contra a liberdade de imprensa

Para opositores e jornalistas, o artigo é um ataque direto contra a liberdade de imprensa e o direito de informar. Ele já havia sido aprovado na última sexta-feira (21), gerando uma forte indignação. No fim de semana, milhares de pessoas saíram às ruas de todo o país para protestar contra a decisão da Assembleia francesa.

Depois do ministro do Interior, Gérald Darmanin, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, se pronunciou nesta terça-feira sobre o polêmico artigo 24. Segundo ele, “nunca foi, não é, e nunca será intenção do governo atacar, de nenhuma forma, a liberdade de imprensa, de expressão e os fundamentos da lei de 1881″, sobre os direitos e deveres dos jornalistas na França.

“Não se trata de impedir quem quer que seja de filmar ou divulgar imagens permitindo esclarecer um fato ou um acontecimento público”, afirmou Castex. Segundo ele, o objetivo da futura lei é proteger as forças de segurança “de imagens vinculadas a mensagens que podem atingir a integridade dos funcionários de polícia e da segurança nacional”.

Devido à revolta da classe jornalística, uma emenda ao artigo foi feita, introduzindo a menção “sem prejuízo ao direito de informar”. O premiê receberá nesta semana representantes de sindicatos de jornalistas e representantes da imprensa francesa.

O texto será examinado em janeiro de 2021 pelos senadores. Segundo o primeiro-ministro, o projeto de lei também será examinado pelo Conselho Constitucional antes de ser sancionado.

Falta de unanimidade dentro do governo

Apesar de aprovado em primeira leitura e ser defendido pelos deputados governistas, não há consenso sobre a futura lei. “Não acredito em um Estado autoritário e não votarei esse texto”, declarou a deputada do LREM Nathalie Sarles à rádio France Bleu.

Para o senador do partido de direita Os Republicanos, o futuro delito é “inaplicável e inconstitucional”. “É uma faca de dois gumes para os policiais, que não vão ganhar nenhuma proteção extra com isso. E um ataque à liberdade de imprensa!”, defendeu, em entrevista ao jornal Le Monde.

O ministro francês da Justiça, Eric Dupond-Moretti, também deu a entender que há dúvidas dentro do próprio governo sobre o controverso artigo 24. “Estamos conversando sobre isso. Não queremos proibir os jornalistas de filmar e é preciso que encontremos um equilíbrio”, afirmou ao canal BFM TV.

No domingo (22), 33 personalidades que votaram para o presidente Emmanuel Macron em 2017, entre eles, o cineasta Costa-Gavras e o ex-jogador de futebol Lilian Thuram, assinaram uma carta pública pedindo a revogação do projeto de lei. Na segunda-feira (23), foi a vez da Comissão Europeia se pronunciar sobre a polêmica.

“A Comissão se abstém de comentar os projetos de lei, mas é evidente que em tempos de crise é mais importante do que nunca que os jornalistas possam fazer seu trabalho com liberdade e segurança”, disse um porta-voz da Comissão, Christian Wigand. “Como sempre, a Comissão se dá o direito de examinar a legislação final para verificar a sua conformidade com a legislação da União Europeia”, acrescentou o funcionário.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

O maior mar da lua Titã pode ter mais de 300 metros de profundidade

Os oceanos da Terra não são os únicos que guardam vários mistérios ainda não explorados: os lagos e mares de Titã, a maior lua de Saturno, também são enigmáticos. Assim, em um novo estudo, astrônomos …

Xi deixa alerta para Biden: protecionismo norte-americano pode gerar 'nova Guerra Fria'

O líder chinês deixou um aviso para o presidente norte-americano, Joe Biden: os EUA arriscam entrar em uma nova Guerra Fria se continuarem com as políticas protecionistas do ex-presidente Donald Trump. Em um discurso virtual na …

Polícia prende ladrões que abriam túmulos e roubavam crânios para rituais nos EUA

A polícia do condado de Lake, no estado da Flórida, nos EUA, prendeu dois homens acusado de violarem sepulturas e roubarem crânios e ossos no cemitério Edgewood, na região. A investigação utilizou DNA encontrado em charuto, …

Instituto Pasteur abandona projeto de vacina contra Covid-19

O Instituto Pasteur da França anunciou nesta segunda-feira o abandono do seu principal projeto de vacina contra a Covid-19, após os resultados decepcionantes dos primeiros testes clínicos. "As respostas imunológicas induzidas foram inferiores às observadas …

Biden reimpõe restrições para passageiros procedentes do Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, restabeleceu nesta segunda-feira (25/01) a proibição da entrada no país de pessoas procedentes da União Europeia, Reino Unido e Brasil para conter a pandemia de covid-19. A nova …

Quem é 'el Chapo asiático' que foi preso acusado de controlar mercado de drogas de R$ 380 bilhões

A polícia holandesa prendeu o suposto chefe de uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas do mundo: Tse Chi Lop, apelidado de "El Chapo" da Ásia. O cidadão canadense nascido na China é apontado como …

Homem recebe primeiro transplante duplo de braço e ombro

A ciência cada vez mais evoluída. Um homem da Islândia foi o primeiro do mundo a receber um transplante duplo de braço e ombro. A cirurgia foi um sucesso e o paciente, o islandês Felix Gretarsson, …

Bolsonaro pode enfrentar um tribunal internacional por crimes contra a humanidade

Jair Bolsonaro pode enfrentar acusações no Tribunal Penal Internacional (TPI) depois de ser acusado de crimes contra a humanidade. Líderes indígenas no Brasil e grupos de direitos humanos estão pedindo ao tribunal que investigue o presidente …

Presidente mexicano López Obrador é diagnosticado com Covid-19

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, 67 anos, entrou para a lista dos líderes mundiais que foram infectados pela Covid-19. Ele informou nesse domingo (24) que testou positivo para o novo coronavírus, …

Desenterram em Jerusalém granada de mão britânica da 1ª Guerra Mundial

Em pleno centro da cidade de Jerusalém, foi desenterrada uma granada de mão britânica da Primeira Guerra Mundial. O artefato perigoso foi descoberto em uma antiga cisterna por Oscar Becherno, responsável pela escavação arqueológica em nome …