Bolsonaro é autor de mais da metade dos ataques a jornalistas em 2019

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Jair Bolsonaro

Em todo o ano foram registrados 208 casos de ataques a veículos de comunicação e jornalistas, um aumento de 54%. Presidente foi responsável por 121 deles, afirma a entidade.

O presidente Jair Bolsonaro, sozinho, é responsável por mais da metade dos ataques a veículos de comunicação e a jornalistas registrados pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) em 2019, afirmou a organização nesta quinta-feira (16/01).

No ano passado foram 208 casos de ataques a veículos de comunicação e a jornalistas, um aumento de 54,07% em relação ao ano anterior, quando foram registradas 135. Bolsonaro foi o autor de 121 deles (58,17% do total).

São 114 ofensivas genéricas e generalizadas, além de sete casos de agressões diretas a jornalistas. A maioria foi feita em divulgações oficiais da Presidência da República (discursos e entrevistas do presidente, transcritos no site do Palácio do Planalto) ou no Twitter de Bolsonaro.

“A postura do presidente da República – ou melhor, a falta dela – mostra que, de fato, a liberdade de imprensa está ameaçada no Brasil. O chefe de governo promove, por meio de suas declarações, sistemática descredibilização da imprensa e dos jornalistas. Com isso, institucionaliza a violência contra a imprensa e seus profissionais como prática de governo”, afirmou a presidente da Fenaj, Maria José Braga.

Numa entrevista em dezembro, Bolsonaro pôs em dúvida a sexualidade do repórter que o questionava sobre o filho Flávio Bolsonaro, que é senador e estaria envolvido num suposto esquema de “rachadinha” que funcionava no gabinete quando era deputado estadual no Rio de Janeiro. “Você tem uma cara de homossexual terrível, mas nem por isso eu te acuso de ser homossexual”, disse o presidente.

Na mesma entrevista, ele respondeu de forma ofensiva a um jornalista que o perguntou sobre o comprovante de um empréstimo feito a Fabrício Queiroz. “Ô, rapaz, pergunta pra tua mãe o comprovante que ela deu pro teu pai, tá certo?”

Além dos ataques do presidente, os jornalistas brasileiros foram vítimas de outras violências em 2019, relatou a Fenaj. Houve dois assassinatos, 28 casos de ameaças/intimidações, 20 agressões verbais, 15 agressões físicas, dez casos de censura e outros de impedimentos ao exercício profissional, cinco ocorrências de cerceamento à liberdade de imprensa por ações judiciais, dois casos de injúria racial e outros dois de violência contra a organização sindical da categoria.

A Fenaj destacou que o número real deve ser bem maior, pois muitos casos não são denunciados pelas vítimas.

Os jornalistas Robson Giorno e Romário da Silva Barros, ambos com atuação em Maricá (RJ), foram assassinados em 2019. Em 2018, havia ocorrido um assassinato e, em 2017, nenhuma morte em razão do exercício profissional fora registrada pela Fenaj. Ainda foi assassinado o radialista Claudemir Nunes, que atuava numa rádio comunitária em Santa Cruz de Capiberibe (PE).

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …

Covid-19: Médicos pressionam governo francês para aumentar controles de pessoas vindas do Brasil

Especialistas acreditam que medidas do governo francês para frear entrada de variante P1 no país são insuficientes e pressionam para aumento de controles de passageiros provenientes do Brasil nos aeroportos ou pela suspensão dos …

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …