Líder do MTST é liberado após prestar depoimento

(dr) MTST

Guilherme Boulos fala a jornalistas logo após sua liberação da 49ª Delegacia de Polícia

Guilherme Boulos fala a jornalistas logo após sua liberação da 49ª Delegacia de Polícia

O coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, foi liberado por volta das 19h desta terça (17) da 49ª Delegacia de Polícia, localizada em São Mateus, zona leste de São Paulo (SP). 

Guilherme Boulos foi preso pela Polícia Militar por volta das 10h30 da manhã, enquanto negociava com policiais a reintegração de posse na Ocupação Colonial, no mesmo bairro. A polícia também prendeu o morador Josué Ferreira Lima, também liberado no início da noite desta terça.

“Eu fui indiciado pela polícia de São Paulo pelo crime de resistência. Pra mim, resistência não é crime. Crime é despejar 700 famílias sem ter alternativas“, compara Boulos.

Durante a ação truculenta da Polícia Militar (PM), ele e Lima foram detidos, acusados de desobediência civil e incitação à violência.

“A SSP soltou uma nota dizendo que eu havia atirado rojões na polícia. O secretário de segurança, Mágino Alves Barbosa Filho vai ter que se explicar, porque nem os policiais que me interrogaram questionaram isso”, afirma o militante.

Criminalização dos movimentos

Segundo Boulos, o MTST estava na manifestação para garantir que a desocupação fosse pacífica e, agora, “querem encontrar um culpado”, afirmou.

No ato de sua detenção, os policiais disseram que já o conheciam de outras manifestações e citaram que ele havia cometido atos de desobediência na manifestação realizada pelo MTST, que tentou chegar próximo à residência do presidente Michel Temer, no Itaim, bairro da elite paulistana.

“Foi uma prisão política, é evidente. Alegaram incitação à violência. Eles despejam 700 famílias com violência e eu é que incito a violência? Atribuíram a mim coisas que não aconteceram, por isso é uma prisão descabida”, disse Boulos.

Para o coordenador do MTST, “há um avanço do estado de exceção no país“. A ideia da PM de SP, segundo Boulos, é criminalizar os movimentos sociais”.

“Tem outras pessoas que militam em movimentos sociais que estão sendo presos, que estão sendo criminalizadas. Não é o primeiro e, lamentavelmente, parece que não vai ser o último”, disse.

O vereador Eduardo Suplicy (PT), que prestou depoimento no 49ª DP ao lado da também vereadora Juliana Cardoso (PT), do Padre Júlio Lanceloti, da Pastoral do Povo da Rua e Douglas Izzo, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-SP), também confirmou que os policiais tentam imputar crimes de desobediência ao coordenador do MTST.

“Eles não disseram que Boulos teve atos de violência, mas que ele conversava com as pessoas na barricada e voltava. Mas isso não significa que ele estava dando ordens para as pessoas soltarem rojões, ou qualquer outro artefato”, destacou.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública, disse que “após tentativas de negociação dos oficiais com as famílias, os moradores resistiram hostilizando os PMs, arremessando pedras, tijolos, rojões e montando três barricadas com fogo”.

Ainda segundo a nota, a PM agiu “para garantir o cumprimento da ordem judicial”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudos corroboram correlação entre tipo sanguíneo e risco de covid-19

A suscetibilidade ao contágio com o vírus Sars-Cov-2 pode variar segundo o grupo sanguíneo: os indivíduos do grupo O tendem a um menor risco, enquanto os demais estão também potencialmente mais expostos a quadros clínicos …

Bolsonaro reforça que brasileiro não será obrigado a tomar vacina contra a COVID-19

Declaração do presidente acontece três dias depois de o governador João Doria informar que vacinação será obrigatória no estado de São Paulo. O presidente Jair Bolsonaro reforçou hoje (19) na saída do Palácio da Alvorada o …

Engenheiros criam sabre de luz real de plasma retrátil de 2.200°C que corta aço

Os engenheiros por trás do canal do YouTube “The Hacksmith” criaram o sabre de luz de “Star Wars” no mundo real que é quente o suficiente para derreter aço e até titânio em segundos. James Hobson, …

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …