Gurus da tecnologia apelam à ONU pela proibição de “robôs assassinos”

Mais de cem especialistas em robótica estão cobrando da ONU uma iniciativa para prevenir o desenvolvimento de “robôs assassinos”.

Em uma carta à organização, líderes de setores que usam inteligência artificial, incluindo o bilionário Elon Musk, cofundador e CEO da Tesla, alertam para o risco de “uma terceira revolução (na tecnologia) de guerra” e pedem a proibição do uso de Inteligência Artificial (IA) no desenvolvimento e uso de armas.

“Uma vez desenvolvidos, elas permitirão um conflito armado numa escala maior do que nunca, e em intervalos de tempo mais rápidos que os humanos podem compreender”, diz a carta assinada por 116 especialistas.

Estas podem ser armas de terror, armas que déspotas e terroristas usam contra populações inocentes, e armas que podem ser hackeadas (e reprogramadas) para fazer coisas indesejáveis”, acrescenta.

Há um tom de urgência na mensagem dos líderes de tecnologia, que alertam que “não há muito tempo para agir”. “Uma vez a caixa de Pandora seja aberta, será difícil fechá-la”, diz o texto.

Por isso, eles pedem que essa tecnologia “moralmente errada” seja acrescentada à lista de armas banidas pela Convenção das Nações Unidas sobre Certas Armas Convencionais (CCW).

Além de Musk, também assina o documento o cofundador do DeepMind do Google, Mustafa Suleyman.

Na carta, os especialistas também lamentaram o adiamento para novembro de uma reunião de um grupo da ONU focado em armamento autônomo, que deveria discutir o assunto nesta segunda-feira (21).

Uma possível proibição no desenvolvimento de tecnologia de “robôs assassinos” já tinha sido discutida por comitês da ONU. Em 2015, mais de mil especialistas de tecnologia, cientistas e pesquisadores escreveram uma carta alertando sobre os perigos das armas autônomas.

Entre os signatários da carta de 2015 estavam, além de Musk, o cientista Stephen Hawking e o cofundador da Apple Steve Wozniak.

O que é um “robô assassino”?

Um robô assassino é uma arma totalmente autônoma que pode selecionar alvos sem a intervenção humana. Ele ainda não existe, mas os avanços na tecnologia o tornam cada vez mais próximo da realidade.

Defensores dessa tecnologia dizem que as leis de guerra atuais são suficientes para resolver quaisquer problemas que possam surgir se eles forem usados.

Os que se opõem ao seu uso acreditam que se trata de uma ameaça à humanidade e que quaisquer “funções de morte” autônomas devem ser banidas.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudo: declínio de abelhas se aproxima da extinção em massa

De acordo com um novo estudo liderado por cientistas da Universidade de Ottawa (Canadá), a probabilidade de uma população de abelhas sobreviver em qualquer lugar diminuiu 30% no curso de uma geração humana. Os pesquisadores sugerem …

Pesquisador diz ter descoberto droga capaz de apagar memória ruim de separação amorosa

Um pesquisador de Montreal, no Canadá, diz ter encontrado uma maneira de acabar com o sofrimento causado por uma separação traumática — ele "edita" as memórias dolorosas usando um betabloqueador e sessões de terapia. Alain Brunet …

Documento revela que Facebook poderia ter virado uma "Wikipédia da vida privada"

Steven Levy, conhecido editor da Wired, conseguiu colocar as mãos em algo que ele talvez nunca imaginou encontrar: um diário de Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook, datado de 2006 e que mostra algumas …

Missão suicida: satélite queimará na atmosfera da Terra, mas por uma boa causa

Na próxima semana, a Agência Espacial Europeia (ESA) vai destruir um satélite, lançando-o em direção à atmosfera da Terra, só para vê-lo queimar durante a reentrada. Sim, tudo de propósito. Trata-se de um experimento muito …

Pé Grande vagueia pelo Reino Unido enquanto centenas de relatos são registrados

Apesar de a lenda do Pé Grande ser tipicamente americana, centenas de pessoas relataram ter visto a enigmática criatura em diversas localidades do Reino Unido. Se por um lado o Reino Unido é um país relativamente …

Um terço de todas as espécies de animais e plantas pode desaparecer em 50 anos

Um novo estudo da Universidade do Arizona (EUA) estimou que um terço de todas as espécies de plantas e animais do planeta pode ser extinta em até 50 anos devido aos efeitos da mudança climática. Para …

Huawei ataca governo dos EUA e lembra caso Snowden

Em comunicado publicado nesta quinta-feira (13), a Huawei voltou a se defender dos ataques feitos pelos Estados Unidos nesta semana, afirmando que, se tem alguém envolvido com espionagem internacional, esse alguém é justamente o governo …

Os efeitos políticos e religiosos do encontro entre Lula e o papa

Reunião no Vaticano vai além de troca de gentilezas entre dois líderes sul-americanos. Para especialistas, audiência tem repercussões para o ex-presidente, o PT e a própria Igreja Católica, que vive disputa de poder. A reunião entre …

Candidato de Macron à prefeitura de Paris renuncia devido a escândalo sexual

Reviravolta na campanha pelas eleições municipais em Paris a apenas um mês da votação. O candidato do partido presidencial, Benjamin Griveaux, renunciou nesta sexta-feira (14) à corrida pela prefeitura da capital. A decisão foi anunciada …

Sim, essa foto de uma manta rosa é real

A imagem acima foi publicada recentemente pela Australian Geographic. A cor pouco usual da manta, no entanto, chamou a atenção do público, que cogitou a utilização de Photoshop. O animal é realmente cor de rosa, no …