EUA querem desenvolver “mini bombas” nucleares para resposta a ataques de menor potencial

À medida que a Coreia do Norte, Índia, China e outros expandem seus arsenais nucleares, o vice-presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA está tentando fazer com que os EUA construam dissuasores nucleares de pequeno rendimento.

Falando quinta-feira em Washington em um evento do Instituto Mitchell, o general da Força Aérea dos EUA, Paul J. Selva, disse que “se tudo o que você tem é armas de alto rendimento para responder a um ataque de baixo rendimento, ainda é um ataque nuclear”.

“Se os EUA fossem alvo de um ataque nuclear limitado ou direcionado, responder com uma arma convencional provavelmente não terá o tipo de valor dissuasivo., diz o general norte-americano.

Até junho, a China tinha testado mísseis Dongfeng de médio alcance capazes de atingir bases estratégicas norte-americanas e japonesas, informou a Sputnik.

A China continua a ter o programa de mísseis balísticos mais ativo e diversificado no mundo, segundo informou o Centro Nacional de Inteligência Atmosférica e Espacial, acrescentando que Moscou espera “manter a maior força de mísseis balísticos estratégicos fora dos Estados Unidos”.

O professor da Universidade de Stanford, Siegfried Hecker, estima que existem cerca de 25 ogivas nucleares no arsenal da Coreia do Norte e que as forças armadas de Pyongyang podem produzir entre seis e sete nukes por ano.

A Índia tem entre 120 e 130 armas nucleares, mas especialistas sugerem que a nação asiática tem plutônio suficiente para uma força nuclear de 150 a 200 armas.

Em dezembro do ano passado, o Conselho de Ciências da Defesa do Departamento de Defesa dos EUA (DSB) publicou um relatório sobre as prioridades para o governo. Entre os temas de interesse e foco para o conselho estavam as armas de baixo rendimento.

O DSB incluiu várias recomendações em seu relatório, algumas das quais suscitam preocupação com a segurança dos EUA, de acordo com críticos que discordam do desenvolvimento de uma ogiva nuclear de pequena ou variável produção.

O Conselho encorajou a próxima administração presidencial a “fornecer muitas outras opções” para reduzir a proliferação nuclear, incluindo uma “empresa nuclear mais flexível que poderia produzir, se necessário, uma opção adaptada rápida se as opções não-nucleares ou nucleares existentes se revelarem insuficientes”.

A única possibilidade estipulada no relatório é desenvolver armas de baixo rendimento.

A senadora da Califórnia, Dianne Feinstein, expressou sua oposição ao desenvolvimento de mais opções nucleares no arsenal dos EUA em entrevista ao Roll Call no início deste ano, observando que “a proposta de desenvolver armas nucleares de baixo rendimento é apenas o primeiro passo para construí-las” observando que ela continuaria a combater “esforços imprudentes com todas as ferramentas à disposição”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Índia vê casos explodirem e vira um dos epicentros da pandemia

Com quase 700 mil casos de covid-19, a Índia ultrapassou a Rússia e se tornou nesta segunda-feira (07/07) o terceiro país mais atingido pela pandemia de covid-19 em todo o mundo. O Ministério da Saúde indiano …

Filho interrompe ao vivo de repórter para pedir biscoitos

Em mais uma das patacoadas do home-office, a jornalista Deborah Haynes da Sky News acabou sendo interrompida por seu filho, que fez um pedido bastante singelo para a mãe: ele queria alguns biscoitos. O vídeo foi …

Encontrados metais em crateras da Lua que podem dar pistas sobre sua formação

A hipótese mais aceita sobre a formação da Lua diz que ela surgiu após a colisão entre a Terra e um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. O suposto evento é chamado de “hipótese …

Coronavírus empurra Cuba de volta à crise

Apesar de a covid-19 estar sob controle no país, os problemas econômicos têm se agravado, e a já difícil situação de abastecimento se torna mais crítica. Segundo semestre deve ser ainda pior na ilha caribenha. Cuba …

Boicote ao Facebook: como a debandada de grandes anunciantes pode afetar sobrevivência da rede social

Boicotes podem ser extremamente eficazes: é o que o Facebook está descobrindo. No final do século 18, o movimento abolicionista encorajou o povo britânico a ficar longe de bens produzidos pelos escravos. Funcionou. Cerca de 300 …

Cientista conta quais formas de vida os humanos podem encontrar em Marte

A humanidade tem cada vez mais chances de conhecer outras formas de vida, conforme desenvolve suas capacidades de exploração espacial. Em Marte, poderemos encontrar organismos introduzidos por veículos espaciais e modificados sob influência das condições no …

O coronavírus do ocidente é uma versão mais perigosa do que a original

Esforços são realizados para identificar se o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, passou por mutações em relação ao primeiro identificado em Wuhan, na China, em dezembro do ano passado. Em abril, um estudo não revisado pelos …

Missão indiana levará sonda para investigar efeitos do vento solar em Vênus

Em 2005, o Instituto Sueco de Física Espacial (IRF) enviou à órbita de Vênus a sonda ASPERA-4, através da missão Venus Express, da agência espacial europeia ESA. A sonda estudou o planeta até 2014, medindo …

O mistério das centenas de elefantes encontrados mortos em Botsuana

A morte “totalmente sem precedentes” de centenas de elefantes em Botsuana nos últimos meses está cercada de mistério. O biólogo e ativista Niall McCann afirmou que colegas no país do sul da África identificaram mais de …

Coronavírus na Coreia do Norte: Kim Jong-un declara 'sucesso brilhante' no combate à pandemia e zero casos

O líder norte-coreano Kim Jong-un elogiou o "sucesso brilhante" de seu país ao enfrentar a pandemia de covid-19, segundo a agência de notícias estatal KCNA. Falando em uma reunião do Politburo, Kim disse que o …