Manchester nomeia Ariana Grande cidadã de honra após atentado de maio

A Câmara Municipal de Manchester (Reino Unido), por unanimidade de seus vereadores, nomeou nesta quarta-feira (12) a cantora americana Ariana Grande cidadã de honra, em reconhecimento à atuação após o atentado terrorista de 22 de maio.

Um terrorista suicida, Salman Abedi, detonou uma bomba de fabricação caseira em uma saída da Manchester Arena, logo após o término do show da estrela do pop, provocando a morte de 22 pessoas, entre as quais sete eram menores.

O presidente da corporação municipal, Richard Leese, apresentou esta moção e descreveu a cantora de 23 anos como uma “jovem mulher americana para quem teria sido compreensível não querer voltar a este lugar”.

Por outro lado, acrescentou, “trouxe consolo a milhares de pessoas e ajudou a arrecadar milhões para o fundo de emergência ‘We Love Manchester'”, ao voltar à cidade para fazer um show beneficente que aconteceu em junho, junto com Coldplay, Justin Bieber e Katy Perry.

A votação da iniciativa terminou com uma representação com violinos, viola e violoncelo do tema “Don’t look back in anger” do Oasis, que, para o prefeito da cidade, Eddy Newman, se transformou em um “hino” pela forma na qual a população reagiu ao atentado.

Em setembro começarão os planos para levantar um memorial às vítimas na cidade.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …