Afinal, Maria Madalena não era uma prostituta

Hermitage Museum / Wikimedia

“Madalena Penitente”, óleo de Ticiano, 1565

A partir das ruínas da cidade de Magdala, na Galileia, no norte de Israel, um grupo de os especialistas quer tirar a Maria Madalena o adjetivo de “prostituta” que durante séculos a acompanhou, e reconstruir sua imagem.

Considerada santa pelos credos católico, ortodoxo, anglicano e luterano do cristianismo, Maria Madalena, que teria descoberto a tumba vazia de Jesus e que, segundo o evangelho de São Marcos, presenciou sua ressurreição junto a “outra Maria”, é lembrada no calendário gregoriano com uma festividade em 22 de julho, e o papa Francisco elevou seu status litúrgico a “apóstola dos apóstolos“.

Mas, no imaginário popular, Maria Madalena é mais conhecida como uma pecadora que, arrependida, teria caminhado ao lado de Jesus como uma fervorosa seguidora, depois de abandonar um caminho de obscuras paixões que, séculos mais tarde, ainda lhe rendem uma fama alimentada em canções, livros e filmes que especulam sobre como foi sua vida, da qual pouco se sabe.

Maria era a líder do grupo de mulheres que acompanhava e apoiava Jesus, também com seus bens, e não me convence que este fosse o perfil de uma prostituta, que em geral está mais vinculado à pobreza”, explicou à Agência EFE o padre Juan Solana, que lidera o projeto Magdala na Terra Santa e divide seus dias entre Jerusalém e a histórica cidade às margens do mar da Galileia.

Neste enclave, que os evangelhos atribuem em até 12 ocasiões como o local de origem de Maria, Solana explica que os achados arqueológicos feitos nos últimos anos revelam um pouco mais da vida na época e respaldam a crença de que se tratava de um próspero ponto de comércio, com forte atividade pesqueira e de exportação de sal para Roma.

Lá se contempla a teoria proposta por especialistas de que esta devota teria tido uma boa posição econômica, derivada talvez da morte do seu marido, de quem pode ter herdado uma fortuna com a qual teria apoiado Jesus.

Mas, em certo momento da história, a percepção de como era Maria teria se alterado, destacou o padre Solana. Uma dessas ocasiões foi quando houve uma interpretação muito literal e com certa aversão dos evangelhos, como em Lucas 8:1-3.

“E aconteceu, depois disto, que andava de cidade em cidade, e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus; e os doze iam com ele e algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com seus bens”, afirma a passagem.

mazanto / Flickr

“A Conversão de Maria Madalena”, Paolo Veronese, 1548

Outro momento foram as palavras do papa Gregório em uma homilia do século VI na qual fundiu em Madalena as figuras de Maria de Betânia, irmã de Marta e Lázaro que lavou os pés de Jesus com seus cabelos, e uma mulher acusada de adultério a quem Cristo salvou de ser apedrejada.

Maria Madalena podia ter sido uma santa a quem Deus consentiu que o demônio incomodasse ou tentasse”, afirmou o religioso, acrescentando que cabe a possibilidade de que essas mulheres fossem “pessoas com sua própria história, personalidade”.

“No entanto, as pinturas renascentistas a tratam como uma pecadora arrependida (…) Daí passou à arte, à imaginação popular, à literatura, etc. E se criou uma grande confusão, que perdura até hoje na mente de muitos”, completou, ressaltando que no seio da Igreja esse não é o pensamento reinante, especialmente depois de uma exegese feita em meados do século passado.

Jennifer Ristine, presidente do Instituto Madalena e especialista nesta personalidade, sobre quem prepara um livro, explica à EFE que “a imagem de Maria Madalena foi criada com base na ficção, em tradições e interpretações erradas através dos séculos“, lamentando que “é difícil saber onde começou isto”.

Ristine lembra que nos séculos XIV e XVI era retratada com o peito descoberto, o cabelo loiro ou ruivo muito longo, em uma época em que existia uma tendência de que as cortesãs “pintassem seu cabelo de loiro”, razão pela qual destaca que já existia esta associação “que se viu através dos séculos” até a atual cultura popular.

É a mulher mais citada no evangelho, o que significa que para os primeiros grupos cristãos era, certamente, uma mulher muito importante, conhecida e influente”, defendeu a especialista. Para a especialista, “todo este assunto é complexo, uma lição moral. Tudo o que dizemos começa a formar ideias na mente das pessoas e deriva em uma reputação”.

“Temos algumas pistas de sua vida, mas realmente continua sendo um mistério com toda a cultura que cresceu ao longo dos séculos”, concluiu Ristine, que continuará tentando decifrar a história desta Maria que, garante, realmente existiu.

// EFE

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Maria Madalena ou Maria de Magdala nunca foi prostituta. Como ela era o mais importante de todos os discípulos e possível esposa de Cristo, a igreja excluiu ela por ser mulher. Essa é a provável verdade.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …