Mark Zuckerberg pede perdão por Facebook dividir usuários

wiredphotostream / Flickr

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, utilizou seu perfil na rede social para pedir desculpas pelo papel negativo que sua empresa desempenha ao dividir as pessoas. O pedido foi feito em alusão ao feriado judaico de Yom Kippur, que ocorreu no sábado (30) e que leva os judeus a refletirem sobre o ano anterior e a pedir perdão pelos erros cometidos.

Na mensagem de desculpas, Zuckerberg não mencionou como a rede social serviu para dividir as pessoas, ainda que o Facebook venha sendo acusado constantemente de impulsionar mensagens falsas e muitas vezes negativas, conhecidas como “fake news”.

“Para aqueles que magoei este ano, peço perdão e vou tentar ser melhor. Pela forma como o meu trabalho foi usado para dividir as pessoas em vez de nos unir, peço perdão e vou trabalhar para fazer melhor. Que todos nós possamos ser melhores no ano que vem, e que todos vocês estejam inscritos no livro da vida”, escreveu Zuckerberg.

Em conjunto com o pedido de desculpas, o Facebook anunciou uma grande revisão na divulgação de propaganda política patrocinada na rede social.

Isso significa que os anúncios políticos na plataforma se tornarão mais transparentes, mostrando quais páginas estão patrocinando os anúncios e se existem diferentes versões da propaganda utilizada para segmentar públicos diferentes.

Papel contraditório

Para muitos, o pedido de desculpas de Zuckerberg também serviu para reconhecer que a rede social vem tendo um papel contraditório em termos sociais e políticos. O Facebook sofreu duras críticas ao propagar notícias falsas sobre a eleição norte-americana, além de endossar os discursos de ódio de todo o gênero.

No dia 6 de setembro, a rede social anunciou que havia descoberto uma operação, provavelmente sediada na Rússia, que investiu US$ 100 mil em anúncios nos Estados Unidos nos últimos dois anos com o objetivo de divulgar mensagens de conflitos políticos e sociais.

Apesar de analistas apontarem que a rede social em si não possui culpa, a empresa de Zuckerberg parece entender que esse tipo de conteúdo mina a credibilidade da plataforma e seu ambiente sadio, o que pode fazer com que os usuários queiram se afastar dela.

Investidores e anunciantes também podem começar a ver com maus olhos a ideia de que o Facebook tem sido utilizado como plataforma para a disseminação de notícias falsas e conflituosas entre os usuários.

Ciberia // CanalTech

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …