Quando mentimos, ficamos mesmo com “Nariz de Pinóquio”

The Wolf / Flickr

Não, o nariz não cresce quando mentimos. Ainda assim, uma equipe de pesquisadores voltou a testar o “efeito Pinóquio” e concluiu que o nariz muda de temperatura.

Afinal, a história do Pinóquio, escrita por Carlo Collodi, não é assim tão surreal. Através da utilização da termografia, os pesquisadores têm observado que, quando uma pessoa mente, o nariz não cresce, mas muda de temperatura.

Uma equipe espanhola voltou a testar o “efeito Pinóquio” em laboratório e concluiu que a mentira faz com que a temperatura do nariz desça entre 0,6 e 1,2 graus Celsius. O artigo científico foi publicado no Journal of Investigative Psychology and Offender Profiling.

A termografia é uma técnica que se baseia na temperatura corporal, criada durante a Segunda Guerra Mundial para detectar o inimigo.

Atualmente, além da equipe de Emilio Gómez Milán, da Universidade de Granada, há grupos de cientistas na Itália e nos Estados Unidos que procuram detectar mentiras através da termografia, mas com teorias diferentes e centradas em regiões da pele distintas.

Em relação a esta equipe espanhola, os resultados dos estudos ficaram conhecidos em 2012. A tese de doutorado de Alejandro Moliné, supervisionada por Emilio Gómez Milán, adiantava que quando fazíamos um grande esforço mental, a temperatura do nariz descia. Mas e quando mentimos, o que acontece?

Para responder à questão, a equipe de pesquisadores desenvolveu um modelo, com algumas melhorias a nível da precisão, de forma a detectar as mudanças da temperatura da pele através de radiação infravermelha.

Segundo o Público, foram feitas quatro experiências com 60 estudantes de psicologia sobre os marcadores térmicos do medo, da ansiedade ou da mentira.

Nessa última experiência, em uma das tarefas o grupo experimental tinha que fazer uma chamada telefónica de três ou quatro minutos para uma pessoa próxima e contar uma mentira, enquanto que os participantes do grupo de controle fizeram uma ligação em que descreviam o que viam na tela de um computador.

“Em ambos os casos, as circunstâncias fizeram os participantes se sentir ansiosos, mas o grupo experimental vivenciou o chamado ‘efeito Pinóquio’ no nariz e o efeito do esforço mental na testa, o que permitiu monitorar a mentira”, explica Emilio Gómez Milán em comunicado da Universidade de Granada.

“Quando mentimos, a temperatura da extremidade do nariz desce entre 0,6 e 1,2 graus Celsius, enquanto a da testa sobe entre 0,6 e 1,5 graus. Quanto maior for a diferença na temperatura entre as regiões faciais, maior será a probabilidade de a pessoa estar mentindo”, indica o pesquisador.

Isso acontece porque, quando alguém mente, fica mais ansioso, fazendo com que a temperatura do nariz se altere. Além disso, como tem que planejar a mentira, a atenção se concentra na zona da testa, aumentando a temperatura dessa região.

A equipe gostaria de ver o sistema aplicado em entrevistas da polícia, aeroportos ou campos de refugiados. “Dessa forma, poderia ser possível detectar se um criminoso está mentindo ou saber as verdadeiras intenções das pessoas que atravessam a fronteira entre dois países”, conclui Emilio Gómez Milán.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …

Emocionante avanço da teoria para a realidade: bizarro efeito quântico é observado

No núcleo toda estrela anã branca — o denso resto de uma estrela que queimou todo seu combustível — existe um fenômeno quântico enigmático: enquanto ganha massa ela reduz de tamanho chegando a um ponto …

Estudo prevê 300 mil mortes por covid até fim do ano nos EUA

Pesquisadores da Universidade de Washington pintam cenário sombrio caso restrições não sejam respeitadas. Enquanto primeiros epicentros registram queda, outros estados americanos divulgam taxas de infecções recordes. A epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos …

Coronavírus: Exportações devem cair mais de 20% na América Latina, diz ONU

As exportações da América Latina e do Caribe podem cair mais de 20% em 2020 devido às consequências da pandemia do coronavírus, que também terá um impacto negativo nas importações, disse uma agência da …

O que é nitrato de amônio, que pode provocar explosões como a de Beirute?

A recente tragédia no país árabe trouxe de novo à tona preocupações sobre o armazenamento do perigoso material, tornando necessário saber como esses incidentes ocorrem para os prevenir. A explosão de nitrato de amônio em Beirute, …

Astrônomos descobrem nuvens gigantes "escondidas" em Vênus há 35 anos

Uma equipe de astrônomos encontrou nuvens venenosas, com gotas de ácido sulfúrico em sua formação, em meio à densa atmosfera de Vênus. Curiosamente, essas nuvens já estavam presente na atmosfera venusiana há pelo menos 35 anos, …

Japão lembra 75 anos de bomba de Hiroshima e pede união contra armas nucleares

Esta quinta-feira (6) marca o 75º aniversário do primeiro ataque com bomba atômica do mundo. Cerca de 140 mil pessoas morreram no bombardeio à cidade japonesa, realizado pelo Estados Unidos no fim da Segunda Guerra …

Donald Trump determina bloqueio do TikTok e WeChat nos EUA em 45 dias

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump assinou na noite de ontem (6) uma ordem executiva determinando o fim de relações com as empresas responsáveis pelos apps TikTok e WeChat no país norte-americano. Em comunicado emitido …

Brasil caminha para ter 200 mil mortes pelo coronavírus até outubro, diz especialista

Na semana em que o Brasil deverá registrar 100 mil mortes pelo novo coronavírus, um especialista brasileiro indica que o país caminha para dobrar esse número em dois meses, atingindo 200 mil óbitos pela pandemia …

Petição defende que França assuma controle do Líbano

Suspeita de que desastre em Beirute foi causado por negligência eleva indignação dos libaneses, que pedem mandato francês pelos próximos dez anos no país. Apelo recebe mais de 50 mil assinaturas após visita de Macron. Quase …