Astronautas podem ter que produzir oxigênio quando chegarem a Marte

Quando se trata de viagens espaciais, existe uma regra simples: se você não trouxe consigo, você precisa “fabricar” quando chegar. Geralmente, isso se refere ao material usado para construção, mas pode ser aplicado ao oxigênio também.

Em um estudo publicado na Plasma Sources Science and Technology, pesquisadores portugueses e franceses mostraram que tanto a temperatura como a pressão da atmosfera marciana são suficientes para produzir oxigênio de forma eficiente.

Os astronautas usarão plasma não-térmico para quebrar o dióxido de carbono, que compõe a maior parte da atmosfera do Planeta Vermelho.

“O plasma de reforma do CO2 na Terra é um campo crescente de pesquisa, impulsionado pelos problemas das mudanças climáticas e da produção de combustíveis solares”, afirmou o principal autor do estudo, Dr. Vasco Guerra, da Universidade de Lisboa, em comunicado.

“Os plasmas de baixa temperatura são um dos melhores meios para a decomposição de CO2 – a separação da molécula em oxigênio e monóxido de carbono – tanto pelo impacto direto de elétrons quanto pela transferência de energia elétrica para a excitação vibratória”.

A atmosfera de Marte é 1% tão densa quanto a nossa, com uma temperatura média de -60°C (-76°F). Isso pode parecer um obstáculo para a conversão de CO2 no início, mas essas condições são na verdade uma vantagem.

“A decomposição de plasma de baixa temperatura oferece uma solução dupla para uma missão tripulada a Marte. O método não só proporcionaria um fornecimento estável e confiável de oxigênio, mas também uma fonte de combustível, uma vez que o monóxido de carbono foi proposto para ser usado como uma mistura propulsora em veículos espaciais”, disse Guerra, citado pelo IFLScience.

Fazer o oxigênio no próprio Planeta Vermelho é uma das várias estratégias propostas para tornar a viagem até Marte mais barata. Chamada In-Situ Resource Utilization (ISRU), o método de decomposição de CO2 espera maximizar os recursos naturais encontrados no ambiente local.

“Esta abordagem ISRU poderia ajudar a simplificar significativamente a logística de uma missão a Marte. Isso permitiria aumentar a autossuficiência e reduzir os riscos para a equipe, exigindo menos veículos para realizar a missão”, acrescentou Guerra.

Elon Musk quer enviar a primeira missão com tripulação em meados dos anos 2020 e a viagem da NASA a Marte está planejada para a década de 2030. Então, estudos como este podem ser muito importantes para o futuro da exploração espacial.

EM, Ciberia // IFLScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Documentos oficiais mostram que a China escondeu informações sobre a Covid-19

Relatórios oficiais chineses teriam sido transmitidos à rede de TV americana CNN por meio de um informador anônimo. A investigação se chama “Wuhan files” e tem como foco o começo da pandemia de Covid-19, em …

Jovem que filmou morte de George Floyd por policiais brancos ganha prêmio por bravura

A mulher que filmou o assasinato de George Floyd pelo policial Derek Chauvin vai ser condecorada com um prêmio por sua coragem. Darnella Frazier, de 17 anos, fez o registro enquanto ia com o primo …

Remédio experimental reverteu o declínio mental da idade avançada em dias

Apenas algumas doses de um medicamento experimental podem reverter o declínio relacionados à idade na memória e flexibilidade mental em ratos, de acordo com um novo estudo realizado por cientistas da UC San Francisco. A droga, …

Bebê nasce de embrião congelado há 27 anos: quase a idade da mãe

A pequena Molly Everette Gibson, de um mês, estabeleceu um novo recorde no mundo. A garotinha, filha de Tina e Ben Gibson, nasceu de um embrião que foi congelado há 27 anos e gerado por …

Covid-19: exame pioneiro mostra danos em pulmões 3 meses depois de infecção por coronavírus

A covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, pode estar causando anormalidades pulmonares ainda detectáveis mais de três meses após os pacientes serem infectados, revela um novo estudo. Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, …

"Hyperloop de levitação": a próxima revolução nas viagens?

Imagine viajar para o trabalho a quase 1.000 km/h, pairando um pouco acima do solo, sem barulho de motor. Pode soar como um filme de ficção científica, mas este cenário se aproximou da realidade quando o …

OMS alerta para situação "muito preocupante" da Covid-19 no Brasil

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse nesta segunda-feira que a situação da pandemia de Covid-19 no Brasil é "muito, muito preocupante". A declaração foi dada durante uma entrevista …

NASA detecta 150 objetos voadores não identificados orbitando a Terra

Para além de qualquer especulação vaga ou teoria da conspiração, os famosos Objetos Voadores Não-Identificados – mais conhecidos como OVNIs – são uma realidade, cada vez mais documentada e tornada publica por agências espaciais como …

Reino Unido aprova vacina da Pfizer para uso já na semana que vem

O governo do Reino Unido anunciou nesta quarta-feira (02/11) a aprovação da vacina para covid-19 produzida em parceria pela Pfizer e pela Biontech e adiantou que ela estará disponível já na próxima semana. O governo comunicou …

Com 14 prêmios no Oscar do turismo, Portugal tenta se reinventar na pandemia de COVID-19

Portugal conquistou 14 prêmios no World Travel Awards 2020, considerado o Oscar do turismo mundial, na noite de sexta-feira (27). Lisboa, Madeira e Algarve foram os destaques como melhores destinos do mundo na premiação, feita …