A forma de respirar influencia o olfato, a memória e o medo

A respiração não serve apenas para encher nossos pulmões de ar e permitir a troca gasosa do nosso sangue, mas também afeta nosso pensamento e funcionamento cerebral, segundo um novo estudo da Northwestern University (EUA).

Pesquisadores descobriram que o ritmo da respiração cria atividade elétrica no cérebro humano, e que os efeitos são diferentes dependendo se respiramos pela boca ou pelo nariz e se estamos inspirando ou expirando.

O trabalho foi publicado na revista The Journal of Neuroscience.

No início do trabalho, os pesquisadores analisaram dados de eletroencefalografia de sete pacientes com epilepsia. Esses pacientes tiveram eletrodos implantados em seus cérebros antes de passar por cirurgia para tentar determinar a origem das convulsões. Os dados mostraram que a atividade cerebral parece entrar em sincronia com a respiração.

Estímulo cerebral

Essa atividade foi observada em três regiões do cérebro: o córtex piriforme, que processa cheiros; o hipocampo, que controla a memória; e a amígdala, que está ligada ao processamento de emoções.

“Uma das principais descobertas desse estudo é que há diferença dramática na atividade cerebral na amigdala e do hipocampo durante a inspiração quando comparado com a expiração”, diz a neurologista Christina Zelano. “Quando você inspira, descobrimos que você está estimulando neurônios no complexo olfativo, amigdala e hipocampo”.

Os pesquisadores descobriram que a estimulação parece estar limitada à inspiração, e apenas quando a respiração acontece pelo nariz, e não pela boca.

Experimento de interpretação de expressões

No experimento conduzido no estudo, participantes sentados na frente de uma tela de computador e usando uma máscara respiratória tinham que classificar imagens entre expressões de medo ou de surpresa. Assim que as fotografias de rostos apareciam, eles tinham que selecionar uma das duas emoções o mais rápido possível.

O objetivo era analisar como a amigdala – que está envolvida na interpretação de expressões faciais – é afetada pela respiração. Participaram desse experimento 70 voluntários com idades entre 18 e 30 anos.

O resultado foi que os participantes selecionavam a opção correta com maior velocidade quanto inspiravam pelo nariz. Essa diferença foi de apenas uma fração de segundo, e aconteceu apenas na identificação das expressões de medo. Já o tempo de identificação de expressões de surpresa não se alterou com os diferentes tipos de respiração.

Teste de memória

Um experimento separado envolvendo 42 participantes testou a memória dos voluntários, medindo a atividade no hipocampo. Os voluntários viam imagens de objetos na tela do computador e depois tinham que se lembrar deles.

No experimento, o grupo se lembrou melhor dos objetos quando inspirava pelo nariz, com 5% mais acertos do que quando estavam expirando.

white_ribbons / Flickr

-

Quando você inspira, está estimulando neurônios no complexo olfativo, amigdala e hipocampo

Respiração ofegante

O estudo sugere que nossas habilidades cognitivas melhorem com a inspiração, e isso pode explicar por que ficamos ofegantes em situações perigosas. Assim, uma reação como a fuga acontece mais rapidamente.

Observações mostram que um adulto respira em média entre 12 e 18 vezes por minuto, enquanto esse número aumenta para 20 quando a pessoa entra em pânico.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bill Gates vai financiar sete pesquisas de vacina contra COVID-19

Bill Gates, o fundador, ex-CEO e atual filantropo, anunciou durante entrevista no talk show norte-americano Daily Show With Trevor Noah que, por meio de sua própria fundação, estará financiando sete pesquisas clínicas que buscam descobrir …

Bolsonaro é denunciado no TPI por “crime contra a humanidade”

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) denunciou o presidente Jair Bolsonaro por crime contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional.  A denúncia foi protocolada nesta quinta-feira (2) na corte de Haia. Segundo …

O primeiro ‘autor’ do mundo era uma mulher

Enheduanna viveu no século 23 antes da nossa era na Mesopotâmia. Princesa, sacerdotisa e poeta, ela pode se orgulhar de ter sido a primeira autora do mundo a ter seu nome conhecido em uma época …

Maduro envia carta ao povo dos EUA pedindo "cessação das sanções"

Nicolás Maduro enviou uma carta ao povo dos Estados Unidos expressando uma mensagem de solidariedade e paz, e pedindo fim das ameaças militares e das sanções contra Venezuela. No documento, o chefe de Estado venezuelano exprime …

Governo dos EUA alerta população para novo "11 de Setembro" devido à covid-19

Chefe da Saúde Pública do país prevê que próxima semana será "a mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos". Ele compara repercussão a dois dos maiores traumas da história dos Estados …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

IA sincronizada com música cria rostos falsos, o resultado pode se aterrorizante

As pessoas ainda aprendem a melhor forma de empregar as redes neurais artificiais, aprendizado de máquina e avanços em inteligência artificial. Entre as pesquisas práticas há a busca por empregar essas técnicas de forma a …

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento

"Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já …

Dois anos após mortes de Marielle e Anderson, Anistia Internacional cobra identificação de mandantes

Dois anos após os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018, o crime permanece sem solução e ilustra a impunidade no combate à violência …

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …