Micro-organismos do plâncton marinho se organizam em comunidades

Os micro-organismos do plâncton marinho se organizam em comunidades complexas, mas que duram pouco e mudam rapidamente, concluiu um estudo de cientistas da Universidade de Granada e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O mar está repleto de micróbios, mas representa um meio muito hostil para esses organismos, pois tem uma baixa concentração de nutrientes e é muito mutável, em escalas distintas de espaço e de tempo, segundo informa a Universidade de Granada.

Perante essa situação adversa, os micro-organismos do plâncton, em vez de desenvolverem um modo de vida solitário, se coordenam entre si para formar comunidades biológicas complexas que funcionam como uma unidade, revelou o trabalho publicado na Nature Communications.

Um dos autores, Antonio Martín Platero, do departamento de microbiologia da Universidade de Granada, na Espanha, explica que “em cada gota d’água do mar vivem centenas de milhares de seres vivos invisíveis, os micro-organismos”.

Apesar da pequena dimensão, são responsáveis pelo bem-estar do planeta porque regulam vários processos, como o que é relacionado com os níveis de dióxido de carbono na atmosfera.

No mar, esses micro-organismos enfrentam um ambiente mutável e heterogêneo. Por isso, até agora, não se sabia até que ponto são capazes de se organizar e viver como uma comunidade, atuando em conjunto, ou se vivem e se desenvolvem de forma solitária ou em pequenos grupos.

No estudo agora divulgado, baseado na análise de amostras recolhidas na costa do Massachusetts, os cientistas demonstram que essa grande quantidade de micro-organismos forma comunidades complexas, mas bem definidas e submetidas a uma grande mutação, de modo que, em poucos dias, desaparecem as existentes e voltam a aparecer novas formadas por organismos distintos.

Segundo Antonio Martín Platero, os resultados “são de grande importância para compreender as redes tróficas, pois organismos de maior tamanho se encontram com numerosos grupos de micróbios, entre os quais poderia haver patogênicos ou outros que poderiam ser prejudiciais”.

Os cientistas falam sobre a necessidade de uma monitoração frequente nas águas costeiras recreativas, ou de atividades comerciais, para uma correta avaliação da exposição a potenciais perigos microbiológicos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Carro voador da NASA levanta voo pela primeira vez; veja como foi

A NASA anunciou que os testes com o eVTOL (veículo elétrico voador com decolagem vertical) mais promissor do mercado foram bem-sucedidos. Desenvolvido pela Joby Aviation, o carro voador experimental realizou uma série de procedimentos para coleta …

Mudanças climáticas: cientistas treinam vacas para usar banheiro contra aquecimento global

Vacas podem ser treinadas para usar um banheiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, segundo uma experiência realizada na Alemanha por pesquisadores alemães e da Nova Zelândia. No estudo, os cientistas treinaram os …

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …