200 anos de história perdidos: Museu Nacional é totalmente destruído pelas chamas

Um incêndio de proporções ainda imensuráveis deflagrado neste domingo (2) destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, que corre agora o risco de desabamento. As razões do incêndio são ainda desconhecidas.

“O arquivo histórico do museu, de 200 anos de história, foi totalmente destruído”, disse o vice-diretor do museu, Luiz Fernando Dias Duarte, pouco depois de os bombeiros terem lançado um alerta para o risco de desabamento do edifício, em consequência do incêndio que não causou vítimas, informou a GloboNews.

O presidente Michel Temer emitiu em comunicado: “Incalculável para o Brasil a perda do acervo do Museu Nacional. Hoje é um dia trágico para a museologia do nosso país. Foram perdidos duzentos anos de trabalho, pesquisa e conhecimento. O valor para a nossa história não pode ser medido, pelos danos ao prédio que abrigou a família real durante o império. É um dia triste para todos brasileiros.

Antes, o Ministério da Educação já havia lamentado as consequências do incêndio no Museu Nacional criado por D. João VI e que completa 200 anos em 2018.

O ministério destacou que serão feitos todos os esforços para auxiliar a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que geria o museu, no que for necessário para a recuperação do patrimônio histórico.

A reitoria da universidade indicou que o incêndio começou por volta das 19h30 e que não há registro de vítimas. As razões do incêndio ainda são desconhecidas, segundo a agência France-Presse.

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou que um contrato de revitalização do Museu Nacional foi assinado em junho, mas não houve tempo para que o projeto pudesse acontecer e para que a “tragédia” fosse evitada.

Segundo o governante, citado pela GloboNews, houve “negligência” em períodos anteriores. Já a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, falou em uma “tragédia anunciada”.

O Museu Nacional é a mais antiga instituição científica do Brasil, voltada para a pesquisa e memória da produção do conhecimento, hoje vinculada à UFRJ, pode-se ler no site dedicado ao museu.

A sua história remonta aos tempos da fundação do Museu Real, por D. João VI, em 1818, cujo principal objetivo era propagar o conhecimento e o estudo das ciências naturais em terras tupiniquins. Hoje, é reconhecido como um centro de pesquisa em história natural e antropológica na América Latina.

Acervo com mais de 20 milhões de peças

O museu detinha um acervo composto por mais de 20 milhões de itens, distribuídos por coleções que servem de base para a pesquisa desenvolvida pelos Departamentos de Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia, Vertebrados e Invertebrados.

Do acervo do museu fazia parte uma coleção egípcia e outra de arte e artefatos greco-romanos, bem como coleções de paleontologia, incluindo um esqueleto de um dinossauro encontrado em Minas Gerais e o mais antigo fóssil humano descoberto no atual território brasileiro, batizado de “Luzia”.

Grande parte das coleções do Museu Nacional foi reunida durante a Regência e o Império, entre as quais as oriundas do “Museu do Imperador”, localizado em uma das salas do Paço da Boa Vista. D. Pedro II, assim como a Imperatriz Leopoldina, sua mãe, nutria grande interesse pelo colecionismo e pelo estudo das ciências naturais.

A instituição, criada há 200 anos, foi fundada por D. João VI, de Portugal, e era o mais antigo e um dos mais importantes museus do país.

O Museu Nacional do Rio de Janeiro era o maior museu de História Natural e Antropologia da América Latina e o edifício tinha sido residência da família real e imperial brasileira.

Segundo o El País, o museu tinha ainda o maior e mais importante acervo indígena e uma das bibliotecas de antropologia mais ricas do Brasil.

A instituição, ligada à Universidade Federal do Rio de Janeiro, era alvo de cortes orçamentais há pelo menos três anos.

O vice-diretor do Museu Nacional considerou o incêndio uma “catástrofe insuportável”. “O arquivo de 200 anos virou pó. São 200 anos de memória, ciência, cultura e educação, tudo transformado em fumaça por falta de suporte e consciência da classe política brasileira”, afirmou o responsável, destacando: “Meu sentimento é de imensa raiva por tudo o que lutamos e que foi perdido na vala comum”.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. INCOPETENCIA TOTAL O BRASIL TEM UMA HISTORIA, E POR INCOPETENCIA ESTA SE DESTRUINDO AO POUCO, RECEBEM VERBAS, MAS ADMINISTRAM PESSIMAMENTE, É LAMENTÁVEL ESSE INCENDIO, TODOS ESPECIALISTAS DIZEM QUE FOI UMA FATALIDADE,,, SERÁ ??? OU FOI NEGLIGENCIA ADMINISTRATIVA.
    NOSSO PAÍS É ASSIM,, SEM, HISTORIA, SEM, EDUCAÇÃO, SEM, SAÚDE E NÓS NÃO TEMOS O PREPARARO PARA REIVINDICAR NADA, NA VERDADE É ESSA A NOSSA CULTURA,,, PENA!!!! .

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Vacinação contra a Covid-19 será obrigatória em voos da companhia aérea australiana Qantas

A vacina contra a Covid-19 ainda não está pronta, mas as companhias aéreas já começam a se preparar. É o caso da australiana Qantas, que anunciou a futura exigência de um certificado de vacinação …

Galinhas substituem agrotóxicos em ação contra veneno na agricultura

A presença de insetos é uma frequente preocupação para agricultores. Os animais são capazes de prejudicar plantações e, para evitá-los, é comum que fazendeiros recorram a pesticidas. A utilização de produtos químicos, no entanto, é nociva …

França aprova projeto de lei que prevê punir filmagem de policiais em ação

Deputados franceses aprovaram nesta terça-feira (24), em primeira leitura, o polêmico projeto de lei sobre a "segurança global", que prevê punir a gravação e divulgação de policiais em ação. O texto será votado pelo …

Astrônomos revelam que 2ª minilua da Terra é do tamanho de carro pequeno

A minilua chamada 2020 CD3 conta com um diâmetro de entre um metro e 1,5 metro e chegou a ficar a 13 mil quilômetros do nosso planeta. A minilua 2020 CD3, que orbita a Terra nos …

Diego Maradona morre aos 60 anos

O ex-jogador argentino Diego Maradona, maior astro da história do futebol do país sul-americano, morreu nesta quarta-feira (25/11) aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória em sua casa em Tigre, ao norte de Buenos …

Incêndios na Amazônia deixam rastro de destruição por décadas

Entre galhos e folhas esturricados sobre o solo que abrigava uma área de floresta intacta, o cheiro de queimada ainda é forte. Próximo a uma das aldeias da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia, vazios surgiram …

EUA: conheça a região com a maior taxa de mortalidade por Covid-19 no mundo

Mais de 12 milhões de pessoas estão contaminadas pela Covid-19 nos Estados Unidos. Mas o vírus não ataca o país de maneira equitativa. Os estados do centro assistem a uma progressão acelerada da epidemia …

Osmar Terra, negacionista da pandemia, está internado com covid-19 em UTI

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), um dos maiores negacionistas da pandemia e fomentador de fake news sobre o novo coronavírus, está internado com covid-19 em um hospital em Porto Alegre. Segundo comunicado do Hospital São …

Detalhe microscópico revela segredos de retratos egípcios de 1.800 anos

Análise das partículas da tinta revelou novas informações sobre os retratos enterrados ao lado das múmias egípcias há mais de 1.800 anos. A pintura Retrato do Homem Barbudo foi feita entre 170 e 180 d.C. e …

Ação da polícia contra migrantes em Paris gera críticas

Forças de segurança desmontam de forma violenta acampamento improvisado no centro da capital francesa. Ministro do Interior diz que imagens são chocantes. Ação ocorre na véspera de votação de lei que favorece polícia. A ação da …