NASA mostra como irá salvar a Terra de um asteroide apocalíptico

A caminhada da NASA para testar a tecnologia que pode vir a desviar asteroides ameaçadores da Terra está mais perto da realidade. De tal forma, que a Agência Espacial norte-americana mostra em vídeo como é que ela pode atuar.

As imagens conceituais divulgadas pela NASA mostram o DART (Double Asteroid Redirection Test, ou Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo, em português) a chocar deliberadamente com um dos componentes do sistema binário de asteroides conhecido por Didymos.

Está em causa a “técnica de deflexão de asteroides para defesa planetária” conhecida como “impacto cinético”, conforme explica a NASA em uma nota no seu site.

Basicamente, a ideia é que o DART atinja o asteroide “para mudar a sua órbita” e defender a Terra “contra um potencial futuro impacto” devastador, conforme explica o responsável da NASA, Lindley Johnson, citado na página da Agência norte-americana.

O projeto que busca testar este “impacto cinético” passa do conceito à fase de design, anuncia a NASA.

Para 2020 está previsto o lançamento do DART que voará então até Didymos, usando um “sistema autônomo de orientação a bordo”.

Didymos – que em grego significa “gêmeo” – consiste em dois “corpos”, Didymos A, com cerca de 780 metros de tamanho, e Didymos B, com apenas 160 metros, conforme refere a NASA.

O objetivo é que o DART atinja apenas o “corpo” mais pequeno de Didymos, estando o primeiro teste previsto para 2022 com este “pequeno asteroide não ameaçador”, destaca Lindley Johnson.

Assim, “a nave do tamanho de um frigorífico atacaria o corpo mais pequeno a uma velocidade cerca de nove vezes mais rápida do que uma bala, aproximadamente 3.7 milhas por segundo (6 quilômetros por segundo)”, vaticina a NASA.

Este impacto mudará a velocidade do asteroide “em uma pequena fração da sua velocidade total”, afirma a agência, destacando que perante uma ameaça real esta intervenção “muito antes do impacto previsto” levará a que “este pequeno impulso aumente, ao longo do tempo, para uma grande mudança do seu caminho para longe da Terra”.

O cientista do DART, Tom Statler, explica ainda no site da agência que “um asteroide binário é o laboratório natural perfeito para este teste”.

“O fato de Didymos B estar em órbita em torno de Didymos A faz com que seja mais fácil ver os resultados do impacto e assegurar que a experiência não muda a órbita do par em torno do Sol”, realça Statler.

Além da NASA, estão envolvidos neste projeto a Agência Espacial Europeia, o Observatório Côte d’Azur, na França, e o Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, nos EUA.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Planalto suspende indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

O Palácio do Planalto decidiu deixar em suspenso a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, para assumir a embaixada brasileira nos Estados Unidos, em meio a uma crise política …

Preso pai de família que vivia isolada na Holanda

Ex-membro de culto de 67 anos viveu quase uma década recluso, com os seis filhos, numa zona rural. Polícia suspeita privação de liberdade. Antes fora detido um austríaco, presumível locatário do sítio. Está detido o pai …

"É muito provável que haja verdadeiros análogos da Terra", afirma novo estudo

Um novo método de análise geoquímica de planetas distantes sugere que os muitos exoplanetas semelhantes à Terra podem existir fora do Sistema Solar, de acordo com pesquisa. Há um traço comum entre rochas de asteroides, ou …

Equipe 100% feminina vai para o espaço pela primeira vez na história da NASA

As astronautas norte-americanas Christina Koch e Jessica Meir deixaram juntas nesta sexta-feira (18) a Estação Espacial Internacional (ISS) para fazer um reparo de controladores de energia, marcando a primeira vez em seis décadas da história …

Tratamento para tuberculose é recorde, mas 3 milhões não têm acesso

Em 2018, o número de pessoas que receberam tratamento para a tuberculose bateu um recorde histórico em grande parte devido a uma melhor detecção e diagnóstico da doença. Em todo o mundo, sete milhões de pessoas …

"Blob": o que é a misteriosa criatura com 720 sexos e sem cérebro

Ele não tem boca, estômago, olhos, tampouco pode detectar ou digerir alimentos. Também não tem braços ou pernas, mas consegue se locomover — e, em um único dia, dobrar de tamanho. É capaz de aprender e …

Planalto suspende indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

Desgaste político e crise entre clã Bolsonaro e PSL minam nomeação do filho do presidente, que dificilmente seria aprovada pelo Senado. Caso ocorre após batalha pela liderança da legenda na Câmara. O Palácio do Planalto decidiu …

EUA aplicam tarifas punitivas sobre produtos da UE

Após aval da OMC, entram em vigor aumentos tarifários de 10% e 25%, afetando 7,5 bilhões de dólares em produtos do bloco europeu. Bruxelas poderá retaliar com sanções. As autoridades de comércio dos Estados Unidos confirmaram …

Polícia libera filho do chefe do narcotráfico El Chapo depois de emboscada

Alvos de uma violenta represália dos narcotraficantes, os policiais mexicanos foram obrigados a soltar Ovidio Guzmán López, um dos filhos do célebre El Chapo, do cartel de Sinaloa, pouco depois de prendê-lo, nesta quinta-feira (17) …

Pesquisa identifica quais as preferências musicais em cada região do Brasil

Ainda que a cultura brasileira tenha o hábito de importar, no bom e no mal sentido, tudo que pode de países estrangeiros – em especial dos EUA e alguns países da Europa – na hora …