NASA quer transformar o sol em um telescópio superpoderoso

ESA

-

Recentemente, a NASA delineou planos para utilizar o sol como um gigantesco telescópio, a fim de caçar mundos alienígenas no cosmos. A teoria para isso foi discutida no evento Planetary Science Vision 2050, em Washington DC, nos EUA.

Tal telescópio, ainda não construído, seria posicionado de tal maneira a transformar o sol em uma “lente gravitacional” para ver planetas distantes mil vezes mais claramente do que podemos no momento.

A lente gravitacional é um fenômeno físico bastante peculiar, que pertence à escola einsteiniana da relatividade geral.

Apesar de Einstein ter explicado formalmente sua teoria em 1936, seus testes tecnicamente se estenderam algumas décadas antes, principalmente durante uma experiência de 1919 feita por Sir Arthur Eddington, um astrônomo e polímata inglês.

No que provou ser o primeiro experimento físico a verificar a Teoria da Relatividade Geral de Einstein – que postulava que a luz nem sempre viaja em linha reta -, Eddington foi a uma remota ilha ao largo da costa oeste da África para observar um eclipse solar total.

Uma série de imagens tiradas do eclipse continha um curioso grupo de faíscas brilhantes identificadas como o conjunto de estrelas Hyades.

Luc Viatour / Wikipedia

Faíscas brilhantes identificadas como o conjunto de estrelas Hyades

Faíscas brilhantes identificadas como o conjunto de estrelas Hyades

Como estas estavam posicionadas diretamente atrás do sol na época, a experiência mostrou que a imensa massa do astro tinha distorcido tanto o espaço-tempo que a luz proveniente do grupo Hyades estava se dobrando em torno dele, e fazendo o seu caminho para a Terra.

Brilhante, mas difícil

Agora, quase um século mais tarde, este princípio está sendo ponderado pelo Laboratório de Propulsão a Jato da NASA como uma maneira de ver exoplanetas e estrelas a muitos anos-luz de distância de nós.

Só o tempo dirá se essa proposta vai de fato se tornar realidade, mas apenas a ideia de usar o próprio sol como uma lupa já é promissora. Grandes dificuldades estão envolvidas, no entanto.

A experiência ocorreu em 1919, mas os cientistas não construíram um telescópio que utiliza o sol antes porque, graças à interferência gravitacional do resto do sistema solar, o efeito de lente gravitacional para tal telescópio só funcionaria se ele fosse posicionado 14 vezes mais longe do que Plutão está de nós agora.

Atualmente, nenhum objeto feito pelo homem chegou a viajar sequer perto dessa distância. Portanto, não há indícios de que tal supertelescópio apareça em breve – é preciso melhorar a tecnologia de propulsão primeiro.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …