Paris sofre com a falta de túmulos vagos nos cemitérios

borkurdotnet / Flickr

Cemitério de Montparnasse, Paris

Além da falta de espaços habitáveis, Paris agora enfrenta um outro problema: a escassez de lugares nos cemitérios. Em 2017, apenas 171 lugares foram vendidos em mausoléus da capital francesa, enquanto cinco mil pedidos de enterros tiveram que ser recusados nos 14 cemitérios de Paris.

Diante do problema, a Câmara Regional de Contas publicou um relatório no início deste mês no qual demonstra sua preocupação.

A mortalidade deve se acelerar nos próximos anos com o envelhecimento da população e a instituição aponta que, diante da alta demanda, a prefeitura de Paris não está conseguindo se programar para liberar túmulos nos cemitérios.

As regras são várias. Desde 2016, nenhuma pessoa pode ser enterrada na capital francesa se não tiver morado em Paris. Os espaços só podem ser liberados se não tiverem mais de 30 anos de existência. E, além disso, o serviço de conservação do patrimônio precisa provar que o mausoléu está abandonado.

Depois, mais de três anos são necessários para verificar que nenhum descendente do proprietário do túmulo quer conservá-lo. Em 2017, 3.150 pessoas foram enterradas nos 14 cemitérios da capital francesa, a maioria em mausoléus antigos, adquiridos de longa data. Mas, desde 2007, a capital não vende mais concessões antes do dia do falecimento.

Se no dia da morte da pessoa nenhum espaço estiver disponível, não resta nenhuma opção a não ser o enterro fora da capital – o que é o caso de 4.948 parisienses que tiveram que ser enterrados em cemitérios da periferia em 2017, por falta de lugar.

Outro problema é que 97% dos túmulos de Paris são eternos e boa parte deles têm valor patrimonial. No cemitério Père Lachaise, no 20° distrito de Paris, 30 mil túmulos são classificados como monumentos históricos porque guardam os restos mortais de celebridades, como a cantora francesa Edith Piaf ou o escritor inglês Oscar Wilde.

Para favorecer uma maior utilização dos túmulos, Paris propõe desde 2003 espaços por cinquenta, trinta ou dez anos. Ao mesmo tempo, nos últimos 15 anos, dobrou o preço dos espaços eternos. Em média, nos cemitérios das capitais, eles custam atualmente € 15.837 mil.

Com o objetivo de encontrar soluções, a prefeitura da capital começa a debater a questão neste mês.  Uma das principais propostas é acabar com a venda de túmulos perpétuos em vinte cemitérios locais.

Mas a ideia já enfrenta oposição, como “o lobby dos religiosos e das grandes famílias parisienses”, aponta o vereador Yves Contassot, encarregado da pasta de Meio Ambiente.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

As plataformas de gelo da Antártida “cantam” (e é bizarro)

A União Americana de Geofísica publicou um vídeo da plataforma de gelo Ross, na Antártica, “cantando”. Os tons sísmicos podem ser usados para monitorar as alterações nas plataformas de gelo. Exploradores polares registraram sons extraordinários ao examinar como …

Graffiti pode revelar a verdadeira data da erupção que destruiu Pompeia

Na terça-feira (16), as autoridades italianas anunciaram que a erupção vulcânica que destruiu a cidade romana de Pompeia, em 79 a.C., pode ter acontecido dois meses mais tarde do que pensavam os cientistas. Até agora, pensava-se …

Crianças com até 2 anos são as que mais usam aplicativos

Mais de metade das crianças com menos de 8 anos usa aplicativos como entretenimento e as crianças que mais usam os dispositivos eletrônicos têm até 2 anos. Segundo o estudo “Happy Kids: Aplicativos Seguros e Benéficos para Crianças”, do …

Mineral ultra-raro é descoberto em antiga cratera de meteorito na Austrália

Um mineral ultra-raro que se forma apenas quando rochas espaciais atingem a crosta terrestre com uma enorme pressão foi encontrado na Austrália. Até o momento, em todo o planeta, só foram encontrados seis exemplares desse …

Rede de trilhas de 18 mil km começa a ser construída no Brasil

O governo federal criou nesta sexta-feira (19) a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (Rede Trilhas), formada por quatro grandes corredores interligando paisagens naturais no país por onde milhões de pessoas poderão …

Jornalista saudita teria sido desmembrado ainda vivo; durou sete minutos

Jamal Khashoggi, o jornalista saudita desaparecido desde 2 de outubro, teria sido torturado durante sete minutos e desmembrado ainda vivo no interior do consulado da Arábia Saudita, em Istambul, revela a imprensa turca. O jornal turco …

Candidatos têm propostas antagônicas para direitos humanos

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) que disputam, no próximo dia 28, o segundo turno das eleições presidenciais deste ano, defendem diferentes pontos de vista sobre direitos humanos. Apesar de os dois citarem …

Eleita a 1ª deputada indígena do Brasil, Wapichana promete ser resistência

Combater as "ameaças" aos direitos dos povos indígenas será um dos principais desafios de Joênia Wapichana, a primeira mulher indígena na história a ser eleita para ocupar uma cadeira na Câmara dos Deputados. A adoção do …

Acessível e sustentável, parque suspenso em meio a Mata Atlântica é inaugurado em São Paulo

São Paulo e região metropolitana sofrem com a escassez de áreas verdes. O deficit acarreta na falta de opções de lazer e aumenta os efeitos da poluição. Por isso, é ótima a notícia de que São …

Com juristas, Haddad chama campanha anti-PT de “tentativa de fraude"

Na presença de vários juristas, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, chamou nesta quinta-feira (18) de “tentativa de fraude eleitoral” as denúncias publicadas sobre a suposta existência de um grupo de …