Netanyahu declara vitória em Israel

Kremlin.ru / Wikimedia

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

Na terceira eleição em menos de um ano no país, primeiras projeções sugerem vantagem para o atual premiê, ainda que em números insuficientes para obter a maioria no Parlamento.

Resultados das primeiras pesquisas após as eleições em Israel nesta segunda-feira indicam uma apertada vitória do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu sobre seu rival Benny Gantz, mas sugerem que o bloco governista deverá ficar sem os votos necessários para obter a maioria no Parlamento.

Projeções iniciais divulgadas pelas três principais emissoras de televisão israelenses apontavam que a coalizão liderada pelo partido de direita Likud de Netanyahu conquistaria 60 das 120 cadeiras no Knesset [o Parlamento de Israel], ficando apenas a uma vaga da maioria parlamentar.

Pouco depois, os canais 12 e 13 reduziram a projeção para 59 cadeiras, o que, se confirmado, sinaliza novas dificuldades para a formação de uma coalizão de governo, após meses de impasses.

“Ganhamos graças à nossa crença em nosso caminho e graças ao povo de Israel“, disse Netanyahu no Twitter pouco depois da divulgação das primeiras projeções.

Gantz, o líder da legenda centrista Azul e Branco, expressou frustração com os resultados iniciais. “Falarei honestamente: entendo e compartilho da decepção e da dor, porque não é o resultado que queríamos”, disse o candidato aos seus apoiadores.

Para Netanyahu, a vitória, após os resultados inconclusivos das eleições de abril e setembro do ano passado, não deixará de trazer alívio depois de uma campanha marcada pelas suspeitas de corrupção que pesam contra ele.

Sua reeleição ficou ameaçada pelas acusações de recebimento de propinas, quebra de confiança e fraude, relacionadas a alegações de que ele teria concedido favores em nome do Estado para os grandes empresários de mídia no país, envolvendo milhões de dólares, em troca de cobertura jornalística favorável. O premiê nega todas as acusações.

Netanyahu fez uma campanha fortemente baseada em políticas de segurança, que parece ter conseguido manter o apoio de sua base eleitoral e se sobrepor ao fato de que ele deverá ser levado a julgamento no dia 17 de março.

Se conseguir obter a maioria parlamentar, o Netanyahu poderá honrar as promessas de anexar assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada e no vale do rio Jordão, como previsto do plano de paz para a região apresentado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A proposta do acordo de paz foi rechaçada pelos palestinos, que afirmam ser um presente de Trump para Israel. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse ao Conselho de Segurança da ONU que o plano anula os direitos dos palestinos à “autodeterminação, liberdade e independência”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Donald Trump e Joe Biden travam debate caótico

Xingamentos e interrupções marcam primeiro duelo direto. Trump se recusa a condenar racistas, e Biden chama presidente de palhaço e mentiroso. Democrata sinaliza que pretende retaliar Brasil por devastação ambiental. Faltando pouco mais de um mês …

Flight Simulator tem um bug com buraco bizarro no mapa do Brasil

Vejam só: encontraram um bug respeitável na edição 2020 de Flight Simulator, o respeitado simulador de voo da Microsoft. E, para o nosso orgulho, a falha se localiza especificamente no Brasil. Se você sobrevoar as coordenadas …

Médica fez viagem institucional para impedir aborto de criança vítima de estupro e Damares teria atuado nos bastidores

Uma reportagem da Folha de São Paulo afirmou que uma das médicas que trabalhou para impedir o aborto legal de uma criança de 10 anos que foi estuprada em São Mateus, ES, confessou, em entrevista, …

COVID-19: produção de vacina pode causar morte de meio milhão de tubarões, alertam especialistas

Óleo natural feito a partir do fígado dos tubarões é um componente-chave entre os ingredientes utilizados por vários candidatos a vacina contra a COVID-19. A Shark Allies, uma organização de defesa aos tubarões, da Califórnia, EUA, …

Quem é Amy Barrett, a indicada de Trump para Suprema Corte?

Se aprovada pelo Senado, atual juíza federal e católica devota poderá influenciar a vida pública dos EUA por décadas e mover de vez a composição da Corte para uma orientação conservadora. Se no Brasil o presidente …

Uber ganha 18 meses de licença para atuar em Londres

Após uma longa batalha jurídica, a Uber ganhou uma licença para restabelecer suas operações em Londres pelos próximos 18 meses. Em novembro de 2019, a empresa havia sido impedida de atuar na capital inglesa, depois que …

Testes de DNA da moda não identificam indígenas brasileiros

Testes de DNA estão na moda. Se você pensou em exames para comprovar paternidade ou algo nesse sentido: não é disso que estamos falando (embora pudéssemos). A nova tendência — entre aqueles que têm condições para …

EUA e Brasil querem barrar governo Maduro na Organização Pan-Americana da Saúde

Os Estados Unidos, o Brasil e outros 11 países rejeitaram nesta segunda-feira (28) a legitimidade do governo de Nicolás Maduro na Venezuela para participar do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). A …

Água líquida em Marte: descobertas mais reservas no polo sul do Planeta Vermelho

Em 2018, pesquisadores italianos anunciaram que haviam encontrado evidências da existência de água líquida em Marte, abaixo da calota polar sul. Agora, a equipe voltou em mais uma série de informações que não apenas sustentam essa …

Cientistas russos encontram nova forma de tratamento para covid-19

Uma equipe de cientistas russos sugeriu tratar os pacientes gravemente afetados pelo coronavírus SARS-CoV-2 da mesma maneira que são tratados alguns casos de intoxicação. De acordo com os especialistas do Instituto de Pesquisa de Medicina de …