Pesticidas teriam causado “síndrome de Havana”

Rolando Pujol / EPA

Embaixada dos EUA em Havana, Cuba

Estudos clínicos sugerem que sintomas misteriosos que afetaram diplomatas americanos e canadenses em Cuba podem ter sido provocados por agentes neurotóxicos usados em pesticidas para combater mosquito da dengue.

Os sintomas misteriosos que afetaram nos últimos anos diplomatas americanos e canadenses em Cuba podem ter sido provocados por agentes neurotóxicos utilizados em pesticidas para combater mosquitos, segundo um novo estudo divulgado nesta quinta-feira (19/09) no Canadá.

Entre o final de 2016 e maio de 2018, cerca de 50 diplomatas enviados por Washington e Ottawa para Havana, além de alguns de seus parentes, apresentaram problemas como falta de equilíbrio e coordenação, vertigem, enxaqueca, além de ansiedade, irritabilidade e o que as vítimas chamavam de “névoa cognitiva”.

Nem os EUA nem o Canadá deram explicações públicas sobre esse fenômeno, que ficou conhecido como “síndrome de Havana”. Também não confirmaram ou desmentiram se esses sintomas eram reflexos de um ataque com algum tipo de misteriosa arma acústica, como a imprensa americana chegou a divulgar sem apresentar provas.

A pedido do ministério do Exterior do Canadá, uma equipe da Universidade de Dalhousie e da Autoridade de Saúde de Nova Escócia, no Canadá, conduziu um estudo clínico com as 15 vítimas canadenses e até mesmo o cérebro de um cão de estimação depois de sua morte.

Os resultados foram divulgados no Enquête, um programa investigativo de televisão da Rádio Canadá. A equipe multidisciplinar liderada pelo neurologista Alon Friedman apresentou a hipótese “de exposição a baixas doses de neurotoxinas”.

Segundo o estudo, os exames realizados “sugerem fortemente” uma intoxicação por organofosfato, presente em pesticidas para combater mosquitos. Vinte e seis pessoas participaram do estudo, incluindo um grupo de controle formado por pessoas que nunca viveram em Cuba, foram submetidas a exames de sangue e cerebrais.

Friedman disse que existe um “vínculo direto” entre o aparecimento dos primeiros sintomas, entre 2016 e 2017, e uma extensa campanha de fumigação realizada naqueles anos pelo governo cubano, em toda a ilha e em particular em Havana, para combater o mosquito aedes aegypti, responsável pela disseminação dos vírus da zika e da dengue.

Os registros das embaixadas citados pela Rádio Canadá mostram que os escritórios e casas dos diplomatas estavam entre os locais que teriam sido dedetizados. “Estas duas fontes combinadas certamente expuseram os diplomatas excessivamente“, concluiu Friedman.

Em 2016, alguns diplomatas em Havana começaram a apresentar problemas de saúde inexplicáveis, com sintomas associados inicialmente aos supostos ataques acústicos. Eles teriam sofrido lesões cerebrais traumáticas, perdas de audição e dificuldades de concentração.

Na época, o incidente levou os EUA a retirar metade de seus funcionários da embaixada. O governo de Cuba foi acusado de estar por trás dos supostos ataques. Havana sempre negou as acusações, permitindo inclusive que agentes do FBI abrissem sua própria investigação a respeito, mas nem as autoridades cubanas nem as americanas ainda foram capazes de identificar uma causa.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Agora sabemos sobre o que os orangotangos estão conversando: estudo

Um novo estudo da Universidade de Exeter desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os pesquisadores passaram dois anos filmando mais de 600 horas do comportamento …

Cientistas desenvolvem holograma com som e toque iguais aos de Star Wars

Quando pensamos em desenvolver tecnologias baseadas nos filmes de Star Wars, a primeira, segunda e terceira coisa que passa pela cabeça dos fãs é a criação de sabres de luz da vida real. Mas, para os …

Secom diz que não há 'indicativo de câncer de pele' em Bolsonaro

Após o presidente Jair Bolsonaro declarar que tinha feito exame para investigar "possível câncer de pele", a Secretaria de Comunicação da Presidência disse por nota que não havia qualquer indicativo da doença. O chefe de Estado …

Evo Morales vai fazer da Argentina o seu comitê de campanha para as eleições na Bolívia

Em uma operação secreta, o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou à Argentina de onde vai comandar a campanha do seu partido para as próximas eleições. Depois de passar quase um mês no México, …

Boris Johnson vence por ampla margem no Reino Unido

O Partido Conservador do atual primeiro-ministro, Boris Johnson, conquistou a maioria absoluta dos assentos no Parlamento do Reino Unido nas eleições realizuadas nesta quinta-feira (12/12) no país. Esse resultado eleitoral garante ao premiê o número …

Simples e atemporal, azul clássico é a cor de 2020, segundo a Pantone

A cor do ano de 2020 será o Classic Blue, um azul clássico que oferece estabilidade e conexão. Quem diz isso é a Pantone, a principal empresa de cores do mundo, que oferece o sistema …

Segredos do idioma dos orangotangos são revelados

Um novo estudo da Universidade de Exeter (Inglaterra) desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os pesquisadores passaram dois anos filmando mais de 600 horas do comportamento …

Exaustos com o Brexit, britânicos vão às urnas pela quarta vez em quatro anos

O Reino Unido está indo às urnas nesta quinta-feira (12) para o que está sendo chamada de a eleição mais importante desta era. Os britânicos estão diante de duas escolhas: apoiar o primeiro-ministro conservador Boris Johnson e …

VÍDEO da NASA revela degelo dramático das geleiras do Alasca

Vídeo recém-publicado mostra derretimento de geleiras e calotas de gelo do Alasca visto do espaço. Algumas imagens revelam mudanças de quase 50 anos, e dão aos cientistas novas ideias relacionadas aos efeitos das mudanças climáticas …

Greta Thunberg é eleita Pessoa do Ano pela "Time"

Revista dedica capa à jovem adolescente sueca por liderar a maior manifestação pelo clima na história da humanidade e diz que mudanças significativas raramente ocorrem sem a força mobilizadora de indivíduos influentes. A ativista sueca Greta …