Placas tectônicas recém-descobertas podem explicar terremotos misteriosos no Pacífico

CNES

Nova camada de placas tectônicas foi descoberta abaixo de Tonga, no Pacífico

Nova camada de placas tectônicas foi descoberta abaixo de Tonga, no Pacífico

Dentro do manto terrestre, uma imensa camada rochosa que fica entre a crosta e o núcleo da Terra, há uma nova camada de placas tectônicas, diz um novo estudo da Universidade de Houston, no Texas.

E esse achado, dizem os autores da pesquisa apresentada nesta semana em uma conferência no Japão, explicaria uma série de terremotos misteriosos ocorridos no Pacífico entre 1946 e 1996.

Graças a uma técnica de mapeamento 3D, o geólogo Jonny Wu e sua equipe descobriram essa camada de placas submetidas a um processo de subduccção, pelo qual a borda de uma placa desliza sob a borda da outra, há milhões de anos.

“Basicamente, 90% da atividade sísmica superprofunda, a mais de 500 km de profundidade, ocorre na área de Tonga, que é onde nós encontramos este novo bloco”, disse Jonny Wu

Comportamento parecido

Por mais de meio século, sabe-se que os continentes deslizam sobre a superfície do planeta. Como parte desse processo, o fundo do oceano se abre e deixa escapar magma do manto. Mas o oposto também pode ocorrer: é quando as placas colidem causando tremores de terra, cadeias montanhosas e vulcões.

Quando convergem, as placas afundam-se no manto, dando lugar ao que é chamado de subduccção – quando a borda de uma fica abaixo da borda outra. Isso faz com que uma das duas placas seja empurrada em direção ao manto, onde continua afundando até o núcleo da terra.

domdomegg / Wikimedia

 Durante um processo de subducção, a borda de uma placa é inserida sob a borda da outra

Durante um processo de subducção, a borda de uma placa é inserida sob a borda da outra

As placas descobertas por Wu foram submetidas a um processo de subducção há 50 ou 60 milhões de anos, e agora são mantidos a uma profundidade de entre 440 e 660 quilômetros, na chamada zona de transição.

No entanto, em vez de afundar até o núcleo, elas se comportam de forma muito semelhante à das placas tectônicas da superfície: movem-se milhares de quilômetros horizontalmente, a uma velocidade parecida. E a energia liberada pela colisão também pode gerar terremotos.

Mistério resolvido

De acordo com os pesquisadores, o movimento dessas placas poderia explicar os misteriosos tremores de terra conhecidos como os terremotos de Vityaz, que se originaram no manto entre as ilhas Fiji e a Austrália.

Esses sismos, diz Wu, poderiam ser o resultado do deslizamento de uma placa que sofreu subducção dentro da zona de transição.

O cientista explica que os resultados da pesquisa são preliminares e ainda têm de ser submetidos a uma análise crítica por outros cientistas.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estão interligadas? Rochas de asteroide interestelar são parecidas com as que caíram na Terra

Pedregulhos descobertos na superfície do asteroide Ryugu, explorado pela sonda japonesa Hayabusa-2, apresentam semelhanças às rochas de meteoritos que caíram na Terra. Imagens captadas na superfície do asteroide Ryugu exibem rochas isentas de poeira que não …

Startup cria case de celular que também é máquina de café

Você é apaixonado por café, mas vive na rua e nunca tem tempo para sentar em algum lugar e tomar um espressinho que seja? Então você precisa conhecer a Mokase, um case desenvolvido pelos designers …

Após episódio da Groenlândia, nacionalistas flamengos oferecem Valônia a Trump por R$4,57

Organização juvenil flamenga posta no Twitter oferta de € 1,00 a Trump pela região da Valônia. Episódio segue piada de Trump na rede e expõe desavenças entre diferentes regiões da Bélgica. A Valônia é uma das …

G7 acorda sobre ajuda à Amazônia "o mais rápido possível"

Macron afirma que apoio a países afetados pelos incêndios é consenso entre líderes das maiores potências econômicas. Em vídeo gravado em reunião entre europeus, Merkel diz que ligará para Bolsonaro para discutir questão. Durante sua 45ª …

Análise de mudança climática de Marte enche pesquisadores de esperança sobre vida passada

Hoje Marte é um deserto seco e gelado quase sem atmosfera que se considera não ter água líquida. Em geral, é um lugar inóspito. Mas podia ter sido diferente no passado? Nós já sabemos que houve …

Microplásticos na água representam 'risco pequeno à saúde', diz estudo

Microplásticos na água potável não parecem representar um risco para a saúde nos níveis comumente encontrados atualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em seu primeiro relatório sobre a questão, a OMS descobriu …

Ativistas veganos oferecem "churrasco de cão" na Torre Eiffel em ato de conscientização

Um "churrasco de cão" acompanhado de espetinhos de legumes surpreendeu nesta sexta-feira (23) os turistas que visitavam a Torre Eiffel em Paris, uma ação da organização PETA para defender o veganismo. "Cão ou porco: qual é …

Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas contra incêndios amazônicos

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, realizou um pronunciamento, transmitido em rede nacional nesta sexta-feira, para comentar a situação dos incêndios na Amazônia. O presidente pediu "serenidade ao tratar dessa matéria" e disse que divulgação de …

Isso é o que aconteceria se os EUA e a Rússia começassem uma guerra nuclear

As tensões entre EUA e Rússia vêm escalando a um ponto perigoso já faz um tempo. As duas nações possuem armas nucleares, mas o que aconteceria se elas realmente utilizassem estas armas para se bombardearem? Uma …

Alex Navalny, principal opositor do Kremlim, é libertado após um mês na prisão

Alexei Navalny, principal opositor ao Kremlin, foi liberado nesta sexta-feira (23), depois de passar 30 dias na prisão por ter convocado os russos a participar no grande movimento de protesto que abala Moscou, anunciou seu …