Polícia prende 2ª pessoa em operação após ataque terrorista no Louvre

Uma segunda pessoa foi detida pouco após um homem gritar “Alá é grande” e atacar um militar no museu do Louvre, em Paris, informou nesta sexta-feira o porta-voz do Ministério do Interior da França.

“Os investigadores estão tentando determinar se o segundo detido tem vínculos com o agressor”, disse o porta-voz, Pierre-Henri Brandet, em uma declaração perante a imprensa.

O representante da pasta afirmou que ainda não se sabe a identidade e a nacionalidade dos dois detidos, um deles gravemente ferido a tiros por um militar quando tentou atacar um soldado com uma faca.

A investigação sobre o incidente está a cargo da promotoria antiterrorista, mas o porta-voz de Interior detalhou que por enquanto “é preciso ser extremamente prudente sobre a motivação do indivíduo”.

Brandet afirmou que a inspeção das mochilas carregadas pelo agressor permitiu determinar que não havia explosivos com ele no momento do ataque.

O ministro do Interior, Bruno Le Roux, que está viajando, anunciou em comunicado que antecipará o retorno a Paris para presidir uma reunião com as instâncias afetadas e visitar o militar ferido, a quem desejou uma rápida recuperação.

Le Roux destacou o “sangue frio” e o “profissionalismo” dos militares e policiais que permitiram neutralizar o agressor e preservar a segurança dos visitantes do museu.

Segundo os primeiros indícios da investigação, revelados pelas autoridades, o indivíduo usou uma faca para atacar e ferir levemente um soldado do esquema de vigilância mobilizado na França após os atentados dos últimos anos.

O incidente aconteceu na esplanada em frente ao Museu do Louvre, localizada antes da entrada da galeria comercial subterrânea. Alguns militares presenciaram o fato e efetuaram cinco tiros que deixaram gravemente ferido o agressor, que lançou gritos de “Alá é grande” antes do ataque.

Um esquema especial de segurança foi estabelecido no museu e na no espaço comercial, onde cerca de mil pessoas foram confinadas como medida de precaução.

Agressor ferido a tiros é submetido a cirurgia

O indivíduo que foi gravemente ferido por militares franceses após atacar um soldado no Museu do Louvre nesta sexta-feira foi operado, e seu prognóstico é reservado, informaram fontes oficiais à emissora “BFMTV”.

O homem, que ainda não teve identidade e nacionalidade descobertos por estar sem documentação, foi levado ao hospital Georges Pompidou da capital francesa em meio a um grande esquema de segurança.

Todas as entradas do centro médico estão protegidas por agentes.

O soldado atacado sofreu ferimentos leves na cabeça causados pela faca do agressor e se encontra no hospital militar de Percy, na cidade de Clamart.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mal de Parkinson pode 'começar' antes do nascimento, diz estudo

Um novo estudo investigando a origem da doença de Parkinson jogou células do cérebro de pacientes em um verdadeiro "túnel do tempo". O objetivo foi identificar, especificamente em pacientes com manifestação precoce do Parkinson — diagnosticados …

Neste hotel os hóspedes dormem em bolhas na selva em meio a elefantes resgatados

Paraíso dos amantes de natureza e belas praias, a Tailândia já figura como destino preferido dos aventureiros há alguns anos. Com hospedagens para todos os gostos e bolsos, o país também possui diversas reservas ambientais …

Jamais pediria ajuda a Trump, diz Bolsonaro sobre brasileiros deportados

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (26/01), em visita de Estado à Índia, que "jamais" pediria ao líder americano, Donald Trump, para que brasileiros deportados por terem entrado ilegalmente nos Estados Unidos recebessem tratamento …

Destroços de navio de centenas de anos são encontrados na Polônia

Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma ponte destruída da 2ª Guerra Mundial em um rio polonês. Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma …

Por que cientistas estão determinados a provar que Einstein estava errado

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Bolsonaro faz apologia à ignorância, afirmam historiadoras no jornal Le Monde

  O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta segunda-feira (27) traz um texto de meia página criticando a política cultural em vigor atualmente Brasil. Assinado por duas historiadoras francesas e uma brasileira, …

OMS considera elevado risco global de coronavírus

A Organização Mundial da Saúde admitiu nesta segunda-feira (27/01) um erro na avaliação de risco global do novo coronavírus, que surgiu na China, e disse que o nível correto é elevado. Anteriormente, ele havia sido …

Quem é Vanessa Nakate, ativista negra cortada de foto com Greta em Davos

O tema era o meio-ambiente, mas o debate sofre o futuro da humanidade ganhou outros vultos quando a jovem ativista climática de Uganda, Vanessa Nakate, descobriu que havia sido cortada pela agência de notícias Associated …

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …