Processo contra o Google nos EUA pode afetar o modo como você usa seu celular

Na última terça-feira (23), o Departamento de Justiça dos EUA entregou um “presente de Halloween” pouco agradável ao Google: um gigantesco processo antitruste, acusando a empresa de práticas que eliminam a competição nos mercados de busca e publicidade e que prejudicariam os consumidores, já que eles não teriam alternativas e ainda seriam privados da inovação que a concorrência pode trazer.

O Google, claro, não ficou calado. Em um post em seu blog oficial, a empresa afirma que a ação judicial do Departamento de Justiça dos Estados Unidos é “profundamente falha”. Segundo a Big Tech, “as pessoas usam o Google porque escolhem fazê-lo, não porque são forçadas ou, porque não conseguem encontrar alternativas”. Além disso, o Google diz que o governo norte-americano apoia-se em argumentos antitruste duvidosos para criticar seus esforços de tornar a Busca disponível de modo mais fácil para as pessoas.

Mas, em última análise, essa disputa pode atingir a nós, usuários de smartphones de alguma forma? Spoiler: SIM!

No entanto, nada mudará para os consumidores no curto prazo. Os casos antitruste demoram anos e anos para avançar e gerar algum resultado. Tome como exemplo a Microsoft, sofreu uma ação semelhante da Justiça americana por causa de práticas anticompetitivas com o seu antigo navegador, o Internet Explorer. E a coisa toda rolou durante 13 anos até um acordo final entre as partes.

O fato é que antes do processo parar em um tribunal, o Google e o Departamento de Justiça se sentarão à mesa para tentarem chegar a um acordo e só essa etapa em si leva um bom tempo. Mas, caso as duas partes não se entendam, aí sim o caso vai parar na corte. E para que saia um resultado, a coisa toda levará anos e anos, principalmente por cauda das apelações que os dois lados usarão, caso não concordem com a decisão do juiz.

Mas caso o juiz emita uma decisão que force o Google a mudar suas práticas de negócios, ela impactará tanto os bilhões de usuários Android e outros serviços da “Big G’, quanto outras bilhões de pessoas que usam serviços concorrentes. Inclusive, o caso pode alterar a quantidade de dados que as pessoas fornecem ao Google ou afetar os aplicativos que vêm instalados nos telefones. Veja como isso pode acontecer:

Os contratos do Google

No cerne do caso aberto pelo Departamento de Justiça estão os contratos do Google com outras empresas, que definem o seu mecanismo de busca como a opção padrão em aparelhos como iPhones e os smartphones da Samsung. É um negócio dos bons e o Google paga bilhões de dólares por ano para garantir que o seu recurso de pesquisas seja o centro das atenções. Isso significa que a empresa está no controle do que as pessoas veem sempre que pesquisam por itens em seus telefones.

A reclamação do Departamento de Justiça foca especificamente no acordo do Google com a Apple. O primeiro paga à segunda de US$ 8 bilhões a US$ 12 bilhões em receita publicitária por ano para manter o seu mecanismo de busca como padrão.

É uma prioridade para ambas as empresas. O processo afirma que, em 2018, o CEO do Google, Sundar Pichai, e o CEO da Apple, Tim Cook, se reuniram para discutir como eles poderiam trabalhar juntos para gerar receita. Após a reunião, um funcionário da Apple teria escrito a um funcionário do Google: “Nossa visão é que trabalhemos como se fôssemos uma única empresa”.

O acordo é uma é muito bem-vindo para ambas as big techs: o processo diz que ele é responsável por 15% a 20% dos lucros anuais da Apple. Também afirma que quase metade do tráfego de busca do Google no ano passado veio de dispositivos com iOS O negócio é tão importante que caso o Google o perca, ele ativaria um cenário chamado de “Código Vermelho”, de acordo com a ação do Departamento de Justiça. Ou seja, a coisa ficaria bem preocupante para a gigante das buscas.

O preço dos smartphones

De acordo com o site CNET, em uma teleconferência realizada nessa semana, o Google argumentou que o acordo com a Apple ajuda a manter os preços dos telefones baixos.

A empresa disse que seus pagamentos à Maçã são parte do que ajuda a fabricante do iPhone a entrar no segmento inferior do mercado, algo que a Apple fez ao adicionar o iPhone SE, modelo de baixo custo, à sua linha.

Se a Apple não receber mais essa receita, analisa o Google, ela poderá repassar os custos junto aos consumidores, o que significa preços mais altos. O Google também argumenta que reduziu o preço de outros dispositivos ao fornecer seu sistema operacional móvel Android gratuitamente aos fabricantes de telefones.

Em entrevista a mesma CNET, Avi Greengart, analista-chefe da empresa de pesquisas Techsponential, diz que o argumento do Google faria sentido se fosse aplicado a qualquer fabricante de smartphones. No entanto, o Google estende a lógica ao falar apenas sobre o iPhone que, mesmo em sua versão mais “popular”, não é dos mais baratos se comparado a seus rivais na mesma categoria.

“A Apple não precisa obter esse dinheiro do Google. Ela poderia obter essa receita de outro pretendente, como a Microsoft , diz Greengart. “Não está claro para mim que os preços dos telefones subam [caso o Google perca o processo antitruste contra o governo dos EUA]”.

A Microsoft – que, como dissemos antes, foi alvo do Departamento de Justiça dos EUA, duas décadas antes do Google – torna o Bing, o concorrente de busca mais próximo do Google, embora esteja em um equidistante segundo lugar. O Bing detém 7% do mercado dos Estados Unidos, muito atrás dos 88% do Google.

A Microsoft também paga à Apple para ter o Bing em destaque nos dispositivos Apple, mas sem a mesma efetividade em termos de tráfego.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …